Em queens of the stone age:

POPLOAD TV – Programa Gliv Rocks leva ao nosso Youtube 11 shows surpreendentes

>>

* Assunto sensível por este país é o negócio que convencionávamos chamar de “show”, aquela história de uma banda tocando real num palco e um público real assistindo. Enquanto somos impedidos de olhar para a frente neste quesito, nos resta dar uma olhadinha para trás, porque ali tem uma vida inteira incrível a ser relembrada.

Nessas tem o Popload TV desta semana, nesta parceria incrível e documental com o Gliv Rocks, uma das primeiras ações que estamos retomando para dar uma vida nova ao canal do Youtube da Popload.

E hoje o Gliv Rocks apresenta, nesta linha fuçando a história recente, uma lembrança de 11 shows SURPREENDENTES, mas dentro de um certo olhar. São aqueles concertos que a gente vai até esperando que vai ser bom, afinal para isso que pagamos ingresso. Mas no fim sai de lá transformado, maravilhado, mexido.

Dei meu pitaco com o show que foi o do Hot Chip no Brasil, o Alexandre selecionou dez dele e até queríamos saber o seu. Assiste aí e depois nos fala?

***

* Obviamente, o programa gerou uma playlist com 22 músicas dos artistas e bandas destacados neste “surpreendente” programa. Duas canções para cada.

>>

POPCAST – As 1001 histórias do Rock in Rio de 2001 – 20 anos. A melhor edição da história?

>>

* 2001 já ia ser um ano por si só espetacular, com a chacoalhada de garagem que bandas como Strokes e White Stripes ia dar na cena musical do planeta. Mas naquele ano, antes da explosão, no final de janeiro, teve a terceira edição do Rock in Rio 2001.

Muita gente, talvez como a gente, considera essa a melhor edição de um festival por tudo o que ocorreu nele. Em cima do palco e fora dele.

popcast

E, na edição do Popcast, o podcast da Popload, eu, @lucioribeiro, e minha parceira Isadora Almeida (@almeidadora) lembramos as aaaaaaltas histórias do acidental e acidentado festival carioca neste ano em particular. O RiR 2001 comemorou 20 anos agora em janeiro.

Sem querer dar muito spoiler, ajudou o fato de eu estar imerso no festival e fora dele naquelas duas semanas de janeiro, trabalhando na cobertura do evento pela Folha de S.Paulo.

Causos de Oasis, Neil Young, Silvinho Blau Blau, Queens of the Stone Age, Britney Spears, Carlinhos Brown, Cássia Eller, REM, Chili Peppers (e não Head Rót) foram destaque no Popcast, que ainda teve o famoso pódio das principais músicas da semana, minhas e da Isa, fora o pitaco sobre a CENA nacional.

E fora, claro, a playlist que este podcast gera.

***

* O Popcast desta semana foi uma homenagem à grande Sophie. R.i.p.
** A foto que ilustra a chamada para este post na home da Popload é de Nick Oliveri, o baixista da banda Queens of the Stone Age, que tocou pelado no Rock in Rio 2001. E foi preso ainda no palco. E alegou, na delegacia: “Mas no Carnaval, aqui no Rio, todo mundo não fica pelado?”.

>>

Queens of the Stone Age relembra tragédia do Bataclan e contra-ataca o terrorismo tocando música boa e fazendo o bem

>>

091120_qotsa2

A próxima sexta-feira, 13, marcará uma triste e emblemática data do mundo pop, pois irão se completar cinco anos do fatídico ataque terrorista que assolou Paris, especialmente a lendária casa de shows Bataclan, enquanto o Eagles of Death Metal se apresentava.
Na ocasião, 89 pessoas morreram e desde então todo show no local passou a ter um significado diferente.

Para relembrar a data, o Queens of the Stone Age colocará no ar em seu canal no YouTube um show inédito do grupo, acústico, realizado no Musem of Old and New Art da Tasmania, em setembro de 2018. A intenção é arrecadar fundos para duas instituições parisienses que auxiliam as famílias das vítimas, chamadas Life for Paris e The Nick Alexander Memorial Trust, esta última criada em homenagem a Nick Alexander, que fazia parte da equipe do Eagles of Death Metal e morreu no atentado.

O setlist é composto por canções como “I Never Came”, “Go With the Flow” e “In the Fade”, além de covers de Dean Martin e Marty Wilde. “Este show foi feito originalmente para um hospital infantil de Hobart, na Tasmania, e estamos felizes que podemos ter uma segunda chance para promover algo bom com ele. 2020 tem sido um ano difícil e as pessoas necessitadas estão mais necessitadas do que nunca. Doe se você puder”, disse Josh Homme em mensagem.

O Queens of the Stone Age não faz shows desde 2018 e pretende retomar sua agenda ano que vem, caso tudo volte ao normal. A banda está escalada para estrelar os festivais de Reading e Leeds, na Inglaterra, no final de agosto.

>>

Sessions do Queens of the Stone Age começam a surgir do “porão”

>>

Captura de Tela 2020-06-01 às 12.14.31 AM

* Poucos dias atrás, avisamos aqui sobre a chegada da excelente série musical “From the Basement” ao YouTube. O programa, que era comandado pelo produtor e engenheiro de som Nigel Godrich, é geralmente lembrado pelas ótimas aparições do Radiohead, que meio que marcou a série, embora o programa teve outras bandas igualmente notáveis tocando. Sempre em performances intimistas e enxutas, com som e áudio impecáveis.

Mais recentemente, começaram a subir o arquivo do show do Queens of the Stone Age no programa. De tudo que já foi gravado da banda (e há muita coisa), são alguns dos vídeos mais legais que já fizeram, em especial as versões de “Mexicola” e “I Think I Lost My Headache”. Confira os vídeos que já foram disponibilizados, abaixo. Nos próximos dias, ainda devem surgir no canal versões dos clássicos “Monsters in the Parasol” e “You think I Ain’t Worth a dollar but I Feel like a millionaire”.

>>

Sharon Van Etten viaja aos anos 70 e bota o Josh Homme no meio de um vídeo de partir o coração

>>

210520_sharonjosh2

A lindeza Sharon Van Etten resolveu reviver uma canção clássica do pop dos anos 70. O som em questão é “(What’s So Funny ‘Bout) Peace, Love and Understading”, escrito por Nick Lowe, no ano de 1974, e que ganhou projeção gigante quatro anos mais tarde na voz de Elvis Costello e seus The Attractions.

Passado esse tempo todo e como se não bastasse apenas ela, Sharon resolveu ainda convocar Josh Homme para participar da gravação.

A duplinha que adoramos musicalmente bastante (manera nas pisadas gerais, Josh!) aproveitou ainda para fazer um vídeo “em casa”, de forma totalmente remota e com os familiares. E, mesmo assim, ficou ótimo e de partir o coração. Ainda mais neste período “vulnerável” em que estamos.

“Quando um amigo sugeriu que tentássemos tocar a música atemporal de Nick Lowe, fiquei nervosa e empolgada, me perguntei que direção tomaríamos juntos”, comentou Sharon sobre a parceria com Josh.

O vídeo ficou mais ou menos assim:

>>