Em radiohead:

Concertos salvadores para um segunda-feira besta. Radiohead tocando o “In Rainbows” todo para 240 pessoas

>>

* Em janeiro de 2008 o grupo do absurdo Radiohead fez mais uma de suas absurdices ao tocar em Londres no clube 93 Feet East, club no coração da zona bombada de Londres, em Brick Lane, Shoreditch, lado oeste da cidade. Ali cabem, se muito, 240 pessoas. Já vi o brasileiro Bonde do Rolê tocando lá, só para dar uma ideia da potencia do local.

Fora que, naquele janeiro, a circustância era tremenda. A banda de Thom Yorke tinha lançado o absurdo (desculpa o termo recorrente) álbum “In Rainbows” em setembro de 2007 e ainda não havia feito apresentações ao vivo. O disco, o sétimo do grupo, foi aquele revolucionário, ou “revolucionário”, do “pague quanto quiser”, em sua versão digital. A versão física, CD e vinil, chegaria às lojas no meio de dezembro.

Para aumentar a comoção, o “In Rainbows”, o sétimo deles, era o primeiro disco do Radiohead em quase cinco anos. Veio para suceder o “Hail to the Thief”, de 2003, último trabalho deles com a EMI. E daí em diante o grupo inglês seguiria o caminho da independência, o que deu a ideia de liberar o preço do álbum digital.

Daí então, para aquecer as turbinas para o que viria ser a turnê mundial do “In Rainbows”, que só começaria em maio e nos EUA ainda por cima, resolveram fazer um showzinho em Londres, num lugar minúsculo, tocando o álbum inteiro, que naquela altura era o primeiro lugar das paradas britânicas, apenas para 240 pessoas.

Este especialíssimo show foi colocado na íntegra pela banda em seu canal de Youtube, no final de semana. Encorpado por uns outros hits.

Está servido?

*****

* O setlist:
00:00:27​ 15 Step
00:04:48​ Bodysnatchers
00:10:16​ Nude
00:15:21​ Weird Fishes/Arpeggi
00:21:21​ All I Need
00:26:02​ Faust Arp
00:29:20​ Reckoner
00:34:50​ House of Cards
00:41:06​ Jigsaw Falling Into Place
00:46:49​ Videotape

00:54:46​ Up on the Ladder
00:59:23​ You and Whose Army?
01:02:39​ The National Anthem
01:08:08​ My Iron Lung
01:14:04​ The Bends

>>

Popnotas – Pearl Jam no parque, só até hoje. Radiohead no Tik Tok. O Brit Awards. E os rolês pesados da Demi Lovato

>>

– Foi primeiro de abril ontem, coisa e tal. Mas foi real que o dia da mentira marcou também o fato de que o cultuado grupo inglês Radiohead abriu uma conta no TikTok. No vídeo de poucos segundos, um personagem criado pela banda há alguns anos para webcasts, o Chieftain Mews, aparece em um telejornal comentando “Tik, tok, tik, tok, this is your wake-up call”. Material suficiente para gente especular. O que o Radiohead vai aprontar? Porque a gente sabe que eles aprontam mesmo.

@radiohead

♬ original sound – Radiohead

– Saíram as indicações ao nosso prêmio de música predileto, o Brit Awards, que vai entregar seus troféus em cerimônia no dia 11 de maio, uma terça-feira, na gigantesca O2 Arena, em Londres. E que sempre rende performances legais e tretinhas. Vai ser transmitido pela TV e talvez tenha broadcast na internet também. A sensibilíssima cantora Arlo Parks, a popesca Dua Lipa, o duo de hip hop Young T & Bugsey, mais Celeste, AJ Tracey e Joel Corry lideram a corrida, com três indicações cada. A principal categoria, o do “British Album of the Year”, está sendo disputado assim:
Arlo Parks – “Collapsed in Sunbeams”
Celeste – “Not Your Muse”
Dua Lipa – “Future Nostalgia”
J Hus – “Big Conspiracy”
Jessie Ware – “What’s Your Pleasure?”

– A simplesmente complicadíssima estrela pop Demi Lovato (foto na home) foi o assunto pop do final de semana, ao ter lançado “Dancing with the Devil… the Art of Starting Over”, seu sétimo álbum. O disco saiu poucos dias depois que o documentário “Demi Lovato: Dancing with the Devil”, de 23 minutos, e na mesma data em que ela lançou o terceiro single+vídeo do álbum, o da faixa “Dancing with the Devil”. Tudo pesado. E tudo material desenvolvido em relação a seus traumas de abuso sexual e drogas que a levou a uma overdose que quase a matou, em 2018. Lovato optou por manter sua carreira ativa e por revelar seus problemas para ajudar pessoas que passaram pelo que ela passou.

– Pelo que entendemos, é por tempo limitado e deve sair do ar hoje. Então veja enquanto dá. A enorme banda americana Pearl Jam liberou em seu Youtube e no Facebook, neste final de semana, um show gigante de 2h30 que fez em 2010 no Hyde Park, em Londres. Este foi um dos 26 shows da “The Backspacer Tour”, de divulgação de seu nono disco, o “Backspacer”, em arenas, festivais e parques. Foram 27 músicas, com covers de Pink Floyd e Joe Strummer & The Mescaleros incluídas.

>>

POPLOAD TV – Programa Gliv Rocks leva ao nosso Youtube 11 shows surpreendentes

>>

* Assunto sensível por este país é o negócio que convencionávamos chamar de “show”, aquela história de uma banda tocando real num palco e um público real assistindo. Enquanto somos impedidos de olhar para a frente neste quesito, nos resta dar uma olhadinha para trás, porque ali tem uma vida inteira incrível a ser relembrada.

Nessas tem o Popload TV desta semana, nesta parceria incrível e documental com o Gliv Rocks, uma das primeiras ações que estamos retomando para dar uma vida nova ao canal do Youtube da Popload.

E hoje o Gliv Rocks apresenta, nesta linha fuçando a história recente, uma lembrança de 11 shows SURPREENDENTES, mas dentro de um certo olhar. São aqueles concertos que a gente vai até esperando que vai ser bom, afinal para isso que pagamos ingresso. Mas no fim sai de lá transformado, maravilhado, mexido.

Dei meu pitaco com o show que foi o do Hot Chip no Brasil, o Alexandre selecionou dez dele e até queríamos saber o seu. Assiste aí e depois nos fala?

***

* Obviamente, o programa gerou uma playlist com 22 músicas dos artistas e bandas destacados neste “surpreendente” programa. Duas canções para cada.

>>

Um Radiohead “indie” ao vivo de 1996, que ressurgiu agora na internet, para matar saudade de show. Por que não?

>>

* Reapareceu na rede um show de quando o Radiohead ainda era uma banda de indie rock e não um grupo espacial de outro planeta. O ano é 1996. Britpop bombando que era uma beleza e eles tinham ainda só os dois primeiros discos “normais”, os ótimos “Pablo Honey”, 1993, e “The Bends”, 1995. E o transformador “OK Computer” só sairia no ano seguinte.

A apresentação em questão, que você pode ver na íntegra abaixo, Thom Yorke de cabelo arrepiadinho punk, aconteceu no tradicionalíssimo festival holandês Pinkpop e começa com a maravilhosa “My Iron Lung”, tem “Creep” lá no meião do setlist e não no “finalzinho matador” e faz a banda tocar guitarra a valer.

***

* A minutagem do show do Pinkpop, para facilitar
00:00:00​ My Iron Lung
00:05:25​ Planet Telex
00:09:46​ Electioneering
00:13:26​ High and Dry
00:18:15​ (Nice Dream)
00:22:19​ Street Spirit (Fade Out)
00:27:21​ Bones
00:30:53​ Lift
00:34:54​ The Bends
00:39:08​ Creep
00:43:57​ Lucky
00:48:37​ You
00:52:43​ Just
00:56:37​ Fake Plastic Trees
01:02:56​ Anyone Can Play Guitar

>>

POPNOTAS: Filme de Joe Strumer no festival da Cultura Inglesa, a musa Kathleen Hanna cantando “WandaVision”, a melhor música do Jupiter Apple, Ariana Grande despejando inéditas luxuosas e o Radiohead vai ao balé

>>

* Em março acontece a 24ª edição do Cultura Inglesa Festival. Todo virtual, evidentemente. E, em meio a muitas atividades que incluem de intervenções urbanas, música, vídeos, gastronomia e literatura, vai rolar, de 6 a 28/3, o Cultura Inglesa à la Carte, uma mostra de cinema britânico em parceria com o grupo Petra Belas Artes. Tudo acontecerá dentro de uma plataforma especial criada pelo festival para o público conseguir acompanhar online. Entre os filmes da mostra, está um sobre o festival de Glastonbury e um algo antigo chamado “Joe Strummer: o Futuro Está para Ser Escrito”, de 2008, documentário dirigido pelo bamba Julien Temple sobre o líder do fenomenal grupo punk The Clash. Temple era amigo íntimo do músico, morto em 2002. Tem depoimentos de Martin Scorsese, Johnny Depp e Bono, entre outros.

* Ela já foi rainha das riot-grrrls nova-iorquinas, uma das maiores musas lesbo que a cena independente já viu, liderou duas bandas punks incríveis, a Bikini Kills e Le Tigre, é “acusada” de ter dado o nome de uma certa música do Nirvana chamada “Smells Like Teen Spirit” e tem um documentário inteirinho sobre ela, o “The Punk Singer”. Então tudo bem que nesta semana aqui Kathleen Hanna cantou o tema de abertura do falaaaado seriado “WandaVision”, da Disney+. E daí?

* A marcante “Modern Kid”, música do mais que marcante cantor gaúcho Júpiter Maçã (foto na home da Popload), está para ser lançada nas plataformas de streaming em quatro versões: a original, uma radio edit e duas demos. Uma vez em inglês, então vale corrigir o nome artístico de Flavio Basso para esse evento: Jupiter Apple. Embora seja de 2008/2009, esta reedição da música ganha a estampa de comemorativa de 10 anos e já tem link para pre-save. A ótima e britpopiana (ou seria boweiana) “Modern Kid” nunca saiu em álbum de Júpiter, apenas em um EP editado por um selo dele, em 2011. Para esse aniversário de 10 anos, foi relançado ainda o vídeo da canção, espertíssimo e em 4K, que mostra uma senhora banda o acompanhando, à época: Luiz Thunderbird no baixo, Dustan Gallás na guitarra e Astronauta Pinguim nos teclados. Flavio Basso, o Júpiter ou Jupiter, morreu em 2015. Modern Kid seria a melhor canção dele?

* Que a cantora Ariana Grande sempre veio grande (dsclp) com seus lançamentos, isso não é de hoje. Ela lançou hoje a versão luxuosa de seu mais recente álbum, “Positions”, seu sexto disco, cheio de inéditas e o remix de “34+35”. Esta última canção, o remix, ganhou video oficial na semana passada, com a participação de Doja Cat e Megan Thee Stallion. Versão bombator. As inéditas são “Someone like U (Interlude)”, “Test Drive”, “Worst Behaviour” e “Main Thing”. Fancy?

* Os fãs do Radiohead já devem ter se acostumado com o relativo silêncio da banda nas redes sociais, que às vezes dura semanas, até meses inteiros. Afinal de contas, não há lançamentos do grupo planejados (até onde sabemos), e o projeto de postar shows completos no YouTube está aparentemente concluído. Porém, também é costume da banda reaparecer, mesmo que brevemente, com alguma coisa inusitada. Hoje, foi uma postagem singela no Instagram, direcionando os fãs a uma performance de balé (!) polonesa (!!) utilizando Radiohead como trilha sonora (!!!). Sem muito contexto, apenas apareceu – e deve desaparecer “dentro de 24 horas”, de acordo com o Instagram do Radiohead. A performance pode ser conferida abaixo. O trecho com músicas do Radiohead vai do início até os 27 minutos de vídeo, aproximadamente. As músicas utilizadas são:
– Daydreaming
– True Love Waits
– The Butcher
– Reckoner
– Staircase

>>