Em Red Hot Chili Peppers:

POPCAST – As 1001 histórias do Rock in Rio de 2001 – 20 anos. A melhor edição da história?

>>

* 2001 já ia ser um ano por si só espetacular, com a chacoalhada de garagem que bandas como Strokes e White Stripes ia dar na cena musical do planeta. Mas naquele ano, antes da explosão, no final de janeiro, teve a terceira edição do Rock in Rio 2001.

Muita gente, talvez como a gente, considera essa a melhor edição de um festival por tudo o que ocorreu nele. Em cima do palco e fora dele.

popcast

E, na edição do Popcast, o podcast da Popload, eu, @lucioribeiro, e minha parceira Isadora Almeida (@almeidadora) lembramos as aaaaaaltas histórias do acidental e acidentado festival carioca neste ano em particular. O RiR 2001 comemorou 20 anos agora em janeiro.

Sem querer dar muito spoiler, ajudou o fato de eu estar imerso no festival e fora dele naquelas duas semanas de janeiro, trabalhando na cobertura do evento pela Folha de S.Paulo.

Causos de Oasis, Neil Young, Silvinho Blau Blau, Queens of the Stone Age, Britney Spears, Carlinhos Brown, Cássia Eller, REM, Chili Peppers (e não Head Rót) foram destaque no Popcast, que ainda teve o famoso pódio das principais músicas da semana, minhas e da Isa, fora o pitaco sobre a CENA nacional.

E fora, claro, a playlist que este podcast gera.

***

* O Popcast desta semana foi uma homenagem à grande Sophie. R.i.p.
** A foto que ilustra a chamada para este post na home da Popload é de Nick Oliveri, o baixista da banda Queens of the Stone Age, que tocou pelado no Rock in Rio 2001. E foi preso ainda no palco. E alegou, na delegacia: “Mas no Carnaval, aqui no Rio, todo mundo não fica pelado?”.

>>

Após 13 anos, John Frusciante se reúne com o Red Hot Chili Peppers em apresentação com covers de Gang of Four e Stooges

>>

100220_rhcp2

Após 13 anos, aconteceu enfim a aguardada reunião do Red Hot Chili Peppers com seu antigo guitarrista, John Frusciante, que teve seu retorno oficial anunciado recentemente.

O grupo se reuniu no último final de semana em um evento especial em homenagem a Andrew Burkle, jovem de 27 anos filho do dono do time de hockey Pittsburgh Penguins, Ron Burkle, que morreu recentemente.

A ausência ficou por conta do baterista Chad Smith, que tinha compromissos pessoais. Em seu lugar tocou o baterista Stephen Perkins, do Jane’s Addiction.

O RHCP tocou três músicas, sendo apenas “Give It Away” do catálogo autoral da banda. As outras duas foram covers: “Not Great Men”, da Gang of Four, e “I Wanna Be Your Dog”, dos Stooges.

Os primeiros shows do Red Hot com Frusciante de volta devem acontecer no mês de maio, quando o grupo norte-americano fará um rolê pelos festivais Hangout (Alabama), Boston Calling e BottleRock (Califórnia).

>>

Em seu próprio festival, Eddie Vedder toca Daniel Johnston e divide o palco com The Strokes e Red Hot Chili Peppers

>>

Fotos: Stephen Hoffmeister

Fotos: Stephen Hoffmeister

Rolou neste final de semana em Dana Point, Califórnia, o Ohana Festival, evento que tem como curador nada menos que o incrível Eddie Vedder, líder do Pearl Jam. E, desde a sexta-feira, o cantor fez questão de estar presente e conferindo tudo de perto.

A primeira aparição de Vedder no palco foi com os Strokes. Ele disse que atendeu ao convite de Julian Casablancas e que aquela era uma forma de agradecer a todos os artistas que se envolveram com o festival. Na parte que interessa, Eddie cantou com a banda de Nova York as canções “Had to Imagine”, do seu Pearl Jam, e ainda “Juicebox”.

Já no sábado, Eddie fez um show solo e não deixou de homenagear Daniel Johnston, que morreu no início deste mês. O vocalista do PJ era bastante fã do artista americano e fez uma cover de “Walking the Cow”, canção lançada originalmente em 1983, no discaço “Hi, How Are You”. Eddie canta a faixa de forma frequente em seus shows, mas esta foi a primeira vez após a passagem de Johnston.

Encerrando o festival, ontem, Vedder invadiu o palco do Red Hot Chili Peppers e armou com a banda de Anthony Kiedis uma cover de “Just What I Need”, para homenagearem Ric Ocasek, do The Cars, que também morreu recentemente.

Os registros dos três episódios podem ser conferidos abaixo.

>>

Um pouco de Rock in Rio: Red Hot Chili Peppers é confirmado como “novo” headliner do festival

>>

040716_rhcp2

A organização do Rock in Rio anunciou na noite desta quinta-feira que o Red Hot Chili Peppers será a atração principal da programação do dia 3 de outubro.

A banda norte-americana, que domingo passado fez uma dobradinha com o Post Malone no Grammy, volta ao Brasil pouco mais de um ano após a apresentação no Lollapalooza.

O grupo também tocou no Rock In Rio em 2017, 2011, e fez show histórico na edição de 2001, quando 250 mil pessoas acompanharam a apresentação, recorde na história do festival.

Outra atração confirmada pelo Rock in Rio foi a Dave Matthews Band, também figurinha que já passou pelo festival. Eles tocam na noite do Bon Jovi, dia 29 de setembro.

Os ingressos para o Rock in Rio serão colocados à venda em abril.

>>

É muita tatuagem para um Grammy só: o rock e o hip hop se chocam com o Post Malone no meio dos Red Hot Chili Peppers

>>

Rob Latour/REX

Rob Latour/REX

Não foram apenas St. Vincent e Dua Lipa que misturaram seus estilos musicais e belezas no palco do Grammy. Parece que as dobradinhas foram calculadamente programadas nas apresentações ao vivo no palco.

Duas partes que se envolveram foram o veterano e big Red Hot Chili Peppers junto ao rapper-sensação-tatuado Post Malone, uma das principais atrações do Lollapalooza Brasil deste ano.

Malone abriu a performance com “Stay” no violão e, logo em seguida, emendou com “rockstar”. Foi aí que Anthony Kiedis chegou com seu terno vistoso e seus amigos para misturar tudo com “Dark Necessities”, single do mais recente disco do RHCP, “The Getaway”.

Pior, tudo funcionou bem direitinho.

>>