Em Ryan Gosling:

SXSW – Filme de Terrence Malick mostra tretas amorosas na cena musical de Austin

>>

Captura de Tela 2017-03-13 às 5.33.21 PM

* Começa hoje, segunda, em Austin, Texas, a etapa musical do impressionante South by Southwest, a maior vitrine de nova música do mundo, seja por bandas novas ou veteranos procurando novos espaços no mercado. A palavra “nova” e o nome do Sxsw andam juntos desde o final dos anos 80.

O Sxsw já movimenta uma das mais incríveis cidades americanas desde a semana passada, por causa do festival de interatividade e de cinema, ambos importantíssimos também para quem quer entender o mundo hoje e principalmente o mundo de amanhã nessas áreas.

Mas a música, suas mais de 2200 bandas tocando em mais de 90 espaços (o que significa ginásios gigantes e palcos na rua, no topo de restaurante, quintal de loja, estacionamento de churrascaria), do meio-dia fora da programação até à noitão em programação oficial, com grupos de 67 países se apresentando por dois dias de folia sonora, começa hoje, um pouco mais “modesto” que os outros dias, mas ainda assim com shows do maravilhoso !!! e solo da Cindy Wilson, que era do B-52s.

Uma galera brasileira representará nossa CENA em Austin. Boogarins, Autoramas, FingerFingerrr e o Maglore são alguns dos nomes que se apresentam no Sxsw.

Captura de Tela 2017-03-13 às 5.30.27 PM

Na verdade, a música do Sxsw começou na mostra de cinema, quando no final de semana foi exibido o aguardadésimo filme novo do diretor americano Terrence Malick , “Song to Song”. A produção, que estreou no Sxsw e entra em cartaz nos EUA nesta semana e dizem chegar ao Brasil em abril, tem só gente badalada: Ryan Gosling (o cara da foto lá em cima), Natalie Portman, Rooney Mara (a mina da foto lá em cima) e Michael Fassbender no elenco. A trama? Dois triângulos amorosos em meio à cena musical de Austin. Se for para esticar o elenco, ainda que em ponta, temos no filme Iggy Pop, Patti Smith, os Chili Peppers, Johnny Lydon, a Florence, os Black Lips, Lykke Li, até a Cate Blanchett e o Val Kilmer.

Velho parceiro meu de South by Southwest, o publicitário e brother Rafael Urenha está em Austin desde a semana passada com a antena ligada para as novidades do Sxsw. Ele viu o “Song to Song”, do Malick, e conta para nós o que achou sobre o show. Ou melhor, o filme.

‘Song to Song’, o filme que teve sua premiere mundial na noite de abertura do SXSW 2017, é por vários aspectos um clássico filme de Terrence Malick. A narrativa flui livremente por entre imagens de cair o queixo do começo ao fim, seja um lago banhado pela luz do sol ou um moshpit de punks num festival de música.

O casting é a fina nata do cinema atual: Ryan Gosling e Rooney Mara, como músicos aspirantes em Austin, e Michael Fassbender, o perturbado executivo de gravadora. Mas ainda tem Natalie Portman, Cate Blanchett, Holly Hunter e Val Kilmer (quase reprisando uma cena de “The Doors”).

A impressão que dá é que nenhum ator recusa quando Malick chama. Ainda assim, palavras como ‘desafiadora’, ‘dolorida’, ‘diferente’ foram repetidas pelos atores na hora de resumir a experiência de filmar com o aclamado diretor, durante o papo ao vivo que antecedeu a estreia do filme.

O casting é completado pela participação especial de Likke Li, Patti Smith, Iggy Pop, Johnny Rotten, os Red Hot Chili Peppers, todos bem à vontade nos bastidores dos shows.

Mas não se engane. O filme é sobretudo uma investigação livre e não linear sobre relacionamentos, traições, obsessões, tudo isso com a cena musical de Austin como mero pano de fundo.

Lindo de morrer, confuso e emocionante, como todo bom filme de Malick.”

>>

O Melhor do Twitter: “C* Verde x MoonLaLaLight” edition

>>

Screen Shot 2017-03-03 at 20.14.21

*Edição NSFW e proibida para menores.*

Rede TV. Carnaval. Oscar. NÃO HÁ REGRAS. Ainda não conseguimos assimilar esta semana. Se você ficou alguns minutos fora do Twitter, lá na avenida, no meio da folia, provavelmente acordou apavorado com uma avalanche de c* verde na timeline. Aliás, nunca na história do OMDT esta palavra foi tão usada (ok, talvez na semana passada, com o surgimento do Chupa C*). Já pedimos desculpa antecipadamente pelo conteúdo, digamos, impróprio. E quando você acha que o meme da semana está garantido, vem o Warren Beatty e… VRAAÁ manda o maior plot twist da história do cinema em pleno domingo de Carnaval. Presenciamos um momento histórico (NOOOSSSA) e discutimos muito sobre ele. Pois, Twitter. <3

E a Lovefoxxx no cinema?

>>

* Aêêê Brasil-il! OITO MESES depois de ter sido lançado nos EUA, “DRIVE” finalmente estreia no Brasil. No filme, Ryan Gosling faz o papel de um dublê de filme de ação que nas horas vagas é “piloto de fuga” de assaltos.

* A trilha tem a deliciosa “Nightcall”, do francês de electro-house Kavinsky. Produzida por Guy-Manuel De Homem-Christo, um dos capacetes do Daft Punk, e mixada por SebastiAn (da Ed Banger Records), a música foi muito comentada no ano passado por ter a participação da Lovefoxxx, lembram?

* E daí que, de cara, a gente já dá uma voltinha de carro com Driver, personagem de Gosling, e com a Lovefoxxx, nos 2:44 minutos iniciais mais bacanas dos últimos tempos. Ou tô exagerando?