Em samira winter:

CENA – Sujinho e familiar, gringo porém brasileiro, Shower Curtain lança seu segundo EP

1 - cenatopo19

* Em 2017, o Winter, projeto de Samira Winter, curitibana que vive nos EUA e tem seu som mais conhecido no underground gringo que aqui, tocou no Brasil com a participação de Victoria Winter, sua irmã. Já falamos do Winter por aqui por ser uma banda quase da nossa CENA de tão brasileira que é, embora criada nos EUA.

Processed with VSCO with a6 preset

Agora Victoria (foto acima) chega aqui com seu próprio protagonismo, o projeto Shower Curtain, que acabou de lançar um novo EP, seu segundo (o primeiro, “Mariposa”, é de 2018), desta vez na mão inversa. é Samira quem empresta serviços, de produção, para o projeto da irmã, Victoria. Não se perca nas questões familiares.

A levada sonora segue a linha da casta Winter, um “dreampop sujo porém delicado” conforme já definimos. São três músicas, começando com a algo barulhenta “Should I Call You?”, acalma com “What If”, emenda a melhor delas, “Time to Kill”, e fecha com “All That You Do”.

A faixa do “Shower Curtain EP” que ganhou vídeo é mesmo a última, a “alegre” (bem entre aspas) “All That You Do”, com imagens que traduz o sentimento melancólico da música, paixões que existem nos sonhos e só por lá, entre outros detalhes a serem captados.

Está com um tempinho para captar coisas?

Aqui o EP.

Aqui embaixo o vídeo.

***

* As fotos usadas para este post, aqui e na home da Popload, são de Lívia Rodrigues.

>>

TIPO CENA – Winter, da Califórnia, lança vídeo de gatinho com música de garagem. Melhor combinação.

>>

1 - cenatopo19

* Na real, é “meio CENA”.

Ela já fez turnê conjunta com a My Magical Glowing Lens em 2017, tocou no festival Picnik de Brasília em 2016 e já passou por uma porção de cidades do Brasil em suas muitas visitas ao país: Winter, meio brasileira, meio americana, divulga agora, via Popload, o segundo single fofo-garagem do álbum que vai lançar em abril. Com vídeo.

O lançamento em terras tupis, em parceria com o selo paulista Balaclava, não é novidade dos gringos por aqui. O namoro da Winter com o seu país de origem já vem de longa data. A banda de Samira Winter, formada em Boston mas alocada agora no sol da Califórnia, se apresentou pela primeira vez no país em 2013 e seguiu vindo nos anos seguintes, tendo a última aparição no ano passado, na já comentada turnê de 17 shows com a My Magical.

Captura de Tela 2018-04-02 às 6.03.53 PM

Com essas visitas frequentes ao Brasil, eles acabaram ganhando fãs por todos os cantos imagináveis e hoje já tem parada certa pelo país quase que anualmente. Um dos fatores que também influenciam suas passagens constantes é que a vocalista tem parte da sua família morando em Curitiba. Ou seja, ela passa um tempinho “em casa”, faz uns shows, conhece umas cidades e deixa fãs por onde passa. Gênia!

Em sua carreira, além de tocar frequentemente no Brasil, a Winter já foi atração de festivais pelo mundo, entre eles o SXSW do Texas e o Desert Daze, do deserto americano, sendo esse segundo ao lado de nomes importantes como Unknown Mortal Orchestra, Courtney Barnett & Kurt Ville e King Gizzard.

capa high school_preview

Voltando ao single, a faixa se chama “Zoey” e integra seu segundo disco completo, “Ethereality” (capa acima), com data de lançamento para o próximo dia 6. Segundo Samira, a música foi inspirada em seu companheiro de longa data, seu gatinho Zoey, e começou a ser composta na varanda da sua casa, enquanto brincava com alguns acordes e sem muita pretensão.

Samira também comenta que seu novo álbum traz composições que retratam um pouco da angústia de estar se tornando adulta, mas não querer crescer. Ela complementa contando que muitas das músicas acabaram sendo compostas logo depois que ela terminou a faculdade, entre seu apartamento em LA e a casa da sua família no Brasil, meio que naquele momento chave de dar oi para a vida adulta sem necessariamente estar preparada.

No vídeo ela mistura os apuros de um gatinho perdido com a de uma pessoa aparentemente desorientada buscando seus caminhos. As histórias e cenários caminham paralelamente enquanto Samira canta com seu microfone rosa de plástico e dançarinos fazem uma coreografia com cara de colegial. Já no som a banda traz mais uma vez seu dreampop sujo e delicado, ótimo para quem gosta de outros nomes do tipo, como Best Coast, Alvvays e até as Hinds.

>>