Em sasquatch festival:

Sasquatch! bota The Cure puxando a fila de suas atrações lindas

>>

120116_sasquatch

Um dos festivais mais legais do mundo nos últimos anos, que naturalmente acabou se tornando um dos prediletos da Popload, o Sasquatch! anunciou hoje uma penca de atrações incríveis que vão tocar no incrível Gorge Amphitheatre, um dos lugares mais inspiradores para shows nos Estados Unidos.

O evento acontece no fim de semana do Memorial Day, entre os dias 27 e 30 de maio, e terá como headliners nomes como The Cure, Disclosure, Florence and the Machine e Major Lazer.

Além destes peixes grandes, um time de bandas ótimas ajuda a dar gás ao festival, que terá ainda nomes como Grimes, Jamie xx, Caribou, Yeasayer, Mac DeMarco, Four Tet, Yo La Tengo, Kurt Vile, Sufjan Stevens, M83, Alabama Shakes, ASAP Rock, Savages…

Melhor a gente ir logo para o line-up completo e o pôster cool.

120116_postersasquatch

Sasquatch 2015. Sylvan Esso tem a vibe

>>

* Popload em Quincy, bem ao norte da West Coast americana.

* Sim, o adorável War on Drugs arrastou um bom público para o horário, final de tarde, palco principal, no Sasquatch Festival, evento que durou quatro dias e acabou segunda desta semana num country side distante três horas de Seattle. Som viagem, tempo bonito, visual incrível. Banda e lugar, tudo combinando. O War on Drugs está em seu “momentum”, finalmente. Mas, convenhamos, é banda que estourou tarde, seu som é retrô, o grupo parece de tiozão etc. Estou falando isso sem que seja um problema, veja bem. War on Drugs é incrível ao vivo. Apenas em termos de comparação boba. Veja.

IMG_9738

Assim que o WoD acabou, corri para ver o Sylvan Esso (foto acima), em outro palco, meio “longe” dali. A apresentação dessa nova banda, dupla ela-canta-ele-aperta-botões da Carolina do Norte, já tinha começado. O Sylvan Esso soltou seu primeiro disco no ano passado, uma delícia pop cheia de pequenos singles bons que desde antes de o álbum de estreia sair já tocava bastante em rádios cool dos EUA. O disco, homônimo, teve inclusive uma vendagem representativa, dada as circunstâncias que envolvem um nome como o Sylvan Esso na cena.

Daí que o pequeno Sylvan Esso tinha bem mais público que o War on Drugs, veja bem. A molecada toda estava lá. Cantando tudo, acompanhando letra a letra o que narrava desde o palco a ótima Amelia Meath, que tem uma bela “voz indie” quebrada e fofa e dança que é uma beleza.

E a tal de vibe estava toda ali, com o Sylvan Esso.

>>

Popload vai a Seattle (e Portland), rumo ao Sasquatch!

>>

* Não são só as bandas, DJS e produtores brasileiros que vão se pirulitar para o calor europeu e americano, atrás de música. A Popload se manda para Seattle nesta semana, com passagem sonora por Portland, para acabar no Sasquatch Festival, um dos visuais mais bonitos do planeta para ver show. Fora o line-up, também de uma belezura importante. Tudo do lado esquerdo do mapa americano, bem lá em cima.

Screen Shot 2015-05-12 at 21.28.05

Neste ano o festival traz em grande elenco nomes como…
Kendrick Lamar, Modest Mouse, Hot Chip, Spoon, War on Drugs, SBTRKT, Courtney Barnett, Future Islands, Father John Misty, José Gonzalez, Royal Blood, Glass Animals, Sharon Van Etten, Sylvan Esso, Perfume Genious, Jungle, Rustie, Strand of Oaks, Twin Peaks, Will Butler, Lana Del Rey, Broncho, Chromeo, Sleater Kinney, The Decemberists, Ryan Adams.

Screen Shot 2015-05-12 at 21.24.49

O Sasquatch Festival acontece por quatro dias no espetacular Gorge Amphitheatre, um desfiladeiro entrecortado pelo rio Columbia com um visual arrebatador. Um morro de grama constitui uma “arquibancada natural” para o palco principal, que tem ao fundo o belo rio e montanhas. À noite, a luz da lua e das estrelas se misturam à parafernália de imagens que saem do main stage.

O Sasquatch 2015 acontece semana que vem, de 22 a 25 de maio, em Gorge, que fica a umas três horas de Seattle, de carro.

Falaremos mais sobre o festival e sobre Seattle/Portland nos próximos dias.

>>

Sound and vision. O XX no Sasquatch 2013 foi de chorar

>>

* Popload no Sasquatch 2013, Quincy, Washington.

Espetáculo sonoro e visual, eu chapo com a capacidade cada vez mais acentuada de o cultuado grupo inglês The XX tocar melodias tão delicadas num grande festival e a galera entrar total na onda da banda, fazendo um certo “silêncio” (na medida em que 20 mil pessoas juntas fazem silêncio) para não estragar o silêncio que o XX trabalha tão bem no meio de suas músicas. De um tempo para cá a banda aprendeu que as luzes podem jogar a favor de seu som. E o resultado, como visto aqui no Sasquatch, ainda mais com a vibe que tem esse festival do desfiladeiro, chegou a ser maravilhoso.

Vi o show de perto do palco e fiquei vidrado. Mas me arrependo um pouco de não ter visto parte dele meio de longe, no topo da montanha, deitado na grama, como 70% do festival faz neste palco principal. Porque a noite não tava completamente escura e daria para ver o vale. Mas não se pode ter tudo.

Abaixo tem um vídeo da abertura do show, com a música “Try”, do segundo disco (“Coexist”), talvez minha preferida do álbum. Sem palavras para essa banda, esse show. O vídeo não é dos melhores. Mas sente a vibe.

>>

Começa hoje, com 127 bandas, o emergente Sasquatch, um festival "monstruoso" e de visual absurdo

>>

* Popload em Seattle, indo para Quincy, WA

* Mais sobre o Sasquatch, festival que começa logo mais no espetacular Gorge Amphitheatre, um desfiladeiro entrecortado pelo rio Columbia, e só termina na segunda-feira à noite, por causa do feriadão americano.

Escrevi um textão hoje que foi publicado na Ilustrada, da Folha de S.Paulo, e recoloco ele aqui, na íntegra, aproveitando a não-limitação de espaço que temos aqui na internet.

A parada desse festival é a seguinte:

* Alternativa para os alternativos, começa nesta sexta-feira às 4 da tarde (8 da noite no Brasil), em Quincy, no Estado de Washington, no extremo noroeste dos EUA, o Sasquatch Festival, um dos eventos musicais que mais cresce em território americano, hoje em dia o país dos festivais. Até 2000, quase não tinha nenhum. Só experimentos que ficaram pelo caminho e sem regularidade, tipo Lollapalooza, Woodstock e outros, não botando nesta conta a Warped Tour. Festival gigante, sempre foi, coisa de inglês.

Com um visual mais bonito que o do Coachella, uma escalação mais bem selecionada (do ponto de vista independente) que o Lollapalooza de Chicago, o Sasquatch Festival acontece até segunda-feira próxima, com quatro dias, quatro palcos e 127 atrações invadindo o feriado do Memorial Day, dedicado aos combatentes de guerra americanos.

Conhecido como o festival ianque mais “paz e amor” e de “boas vibrações” (isso desde bem antes de a maconha ser legalizada para uso recreativo no Estado), o Sasquatch acontece numa região que dista perto de três horas de carro de Seattle e um pouco mais que isso de Portland (Oregon), duas das cidades indies mais vivas dos EUA.

As bandas tocam na cercania paradisíaca onde fica o Gorge Amphitheatre, área para eventos que tem como cenário o belo vale do rio Columbia, com seus desfiladeiros e gramados. The Who e David Bowie já se apresentaram no lugar. O Lollapalooza, quando era itinerante nos anos 90, passou por lá. E o Pearl Jam já lançou um disco ao vivo gravado no Gorge Amphitheatre.
O Sasquatch começou em 2002 com um dia de duração e um elenco de atrações que não ia muito além de Jack Johnson e Ben Harper e um par de outros nomes pequenos.

Sasquatch, o nome, vem da lenda local, é uma criatura selvagem que habita as florestas frias e soturnas de árvores altas desta parte dos EUA e até o Canadá. É tipo um macaco gigante, que vira e mexe é “visto”, caçado, sai nos jornais depoimentos. Pessoas juram que já encontraram um Sasquatch, mas nunca conseguiram capturá-lo. No Brasil, é conhecido como Pé-Grande. Dizem que ele tem parentesco com o “Abominável Homem das Neves” do Tibet. Expedições já saíram à caça do homem-macaco. Mas sempre voltaram de mãos vazias.

O Sasquatch Festival tem cinco palcos, todos com referências à “fera”: Sasquatch, Bigfoot, El Chupacabra, Yeti e Cthulhu.

Em fevereiro deste ano, uma semana depois de anunciar sua centenária lista de bandas, o festival esgotou seus cerca de 35 mil ingressos (tamanho indie perto dos 80 mil/dia do Coachella) em pouco mais de meia hora.
As atrações 2013, carregada de rock mas que também vai do eletrônico fino ao hip hop desbocado, estão encabeçadas por bandas que são consideradas “médias” em lista de outros grandes festivais americanos, tipo as locais Postal Service e Macklemore & Ryan Lewis (dupla cada vez mais gigante na cena hip hop mundial), o indie-afro nova-iorquino do Vampire Weekend, experimentalismo islandês do Sigur Rós e o folk britânico do Mumford & Sons.

Mas é no recheio que o Sasquatch brilha. O Sasquatch é um dos poucos festivais em que as pessoas olham os headliners e decidem se vão ou não. Eles vão pelas bandas de meio de lista para baixo. É característica do festival.

O delicado grupo The XX, os veteranos Built to Spill e Elvis Costello, mais Tame Impala, Azealia Banks, Arctic Monkeys com músicas novas, Andrew Bird, The Lumineers, Edward Sharpe, Divine Fits, Devendra Banhart e Father John Misty estão entre as muitas atrações deste ano.

E a gente vai contar um pouco aqui na Popload como está sendo e como foi o Sasquatch 2013.

>>