Em selvagem:

Blaze-se: festa em São Paulo reuniu shows de Tropkillaz, Jaloo e som da Selvagem

>>

* Isto é um Publipost! :)

IMG_5394

* No último sábado, num dos topos de prédio mais significativos de uma cidade como São Paulo, aconteceu nas alturas a festa #BlazeYourself, promovida pela marca de óculos Ray-Ban para promover sua última (re)invenção: o resgate da antiga linha Blaze, agora modernizada, que ganha novas lentes flats coloridas em cima de seu famoso design e traz no conceito a celebração da liberdade de expressão e identidade, livre de regras e códigos.

No Rooftop5, alto do Instituto Tomie Ohtake, a #BlazeYourself reuniu, com entrada gratuita, um elenco de atrações que reuniu o músico paranaense Jaloo, o duo de DJs e produtores Tropkillaz e a dupla festeira da Selvagem.

A Popload esteve lá conferindo os shows, a festa e o visual da cidade e do Blaze. E traz vídeos das performances de Jaloo e Tropkillaz. Na foto que abre o post, acima, Trepanado, 1/2 Selvagem, embalando a pista.

>>

Jaloo, Tropkillaz e Selvagem comandam festa do Blaze em SP. Músico paraense fala à Popload

>>

* Isto é um Publipost! :)

image001 (1)

* Neste 2017 de muitos shows e eventos musicais, que insiste em não acabar, há tempo ainda para uma festa responsa em São Paulo, em lugar incrível, atrações idem e uma causa para amarrar tudo. Neste sábado, 25 de novembro, acontece a #BlazeYourself, festa da marca de óculos Ray-Ban, que escala Jaloo, Tropkillaz e a discotecagem campeã da Selvagem para embalar o resgate da famosa linha Blaze, reinvenção para os dias atuais dos modelos lendários da marca, que ganham novas lentes flats coloridas em cima de seu design instigante e traz no conceito a celebração da liberdade de expressão e identidade, livre de regras e códigos.

O evento será no Rooftop5, em São Paulo, que fica no topo do Instituto Tomie Ohtake. E além das atrações divulgadas contará com outras surpresas na programação. A entrada é gratuita, mas já está esgotada. Foi via inscrição no site oficial da festa.

417_170621_TROPKILLAZ

A #BlazeYourself terá sete horas seguidas de música. Quem começa a parada, às 17h, são os DJs Millos Kaiser e Trepanado, da Selvagem, há seis anos uma das principais festas de São Paulo. O bombado Tropkillaz, formado pelos DJs e produtores André Laudz e Zegon (foto acima), encerram a balada tocando seu mix de hip hop, funk e electro com sabor latino.

Na meiuca da festa, com previsão de subida ao palco às 20h, quem comanda a #BlazeYourself é o músico paraense Jaloo, que ganhou grande destaque no indie nacional nos últimos anos expandindo ainda mais as possibilidades do tecnobrega, em direção ao dance, ao pop, ao eletrônico. Pensando local, agindo global.

jaloo2

Jaloo conversou com a Popload ontem, sobre seu momento e as expectativas de chegada de seu segundo disco, o sucessor de “#1”, lançado em 2015.

“Primeiro vou acabar este ano fechando o primeiro ciclo deste meu disco de estreia com um vídeo dedicado ao meu público, meus fãs. Não é exatamente um vídeo de ‘trabalho’ com o intuito de angariar novos fãs, conquistar novos espaços”, diz Jaloo. “No começo de 2018 vai ter um novo single, já apontando para o segundo álbum. Mas por enquanto será surpresa. Gosto de causar surpresas tanto quanto ser surpreendido. Posso dizer que o novo álbum vai ser diferente do primeiro, porque eu necessito de coisas diferentes. Não consigo ficar no mesmo ponto, repetindo as mesmas fórmulas. Essa mudança minha já aconteceu. Ela só precisa, agora, ser mostrada.”

O Jallo que saiu da região metropolitana de Belém para morar no Sudeste e ganhar a CENA brasileira com mashups, remixes e um álbum de músicas próprias bastante elogiado se acha num momento de vida “diferente”. “Estou mais maduro, com mais pés-no-chão do que antes, mas nem por isso menos sonhador. Tenho muita vontade de fazer muuuuuuitas coisas na música e sempre escolho meus próximos passos trilhando caminhos diferentes do que eu já fiz”, insiste ele, enfatizando que logo mais veremos um “novo Jaloo”.

** O último detalhe sobre a festa da Ray-Ban para a sua linha Blaze é falar da inspiração para a cenografia do evento, que se fará presente em um inusitado jogo de espelhos e luzes, ganhandom o colorido específico dos óculos: azul, rosa, verde, preto e dourado. Bora?

>>

CENA – Bananada 5 de 7 – Baiana System, Céu, Ventre, Hierofante Púrpura…

>>

popload_cena_pq

* Popload em Goiânia. Dando continuidade à…

poploadbananada2017

Vamos encerrar, então, a cobertura do Bananada 2017, evento capilar da cena indie nacional que se encerrou no último domingo na destemida Goiânia, no setor dos indies. Tudo devia estar aqui na sexta passada, mas o mundo ficou meio louco neste último final de semana, então capitulamos. E agora retomamos o especial.

A sexta-feira do Bananada (falamos de 12 de maio) deu início ao festival “de verdade”, grande, cheio de palcos, tudo concentrado no lindo Centro Cultural Oscar Niemeyer. Parou a fase South by Southwest, entrou a fase Primavera Sound. Dois palcões responsa intercalava as atrações principais do dia, apresentados pelo “compere” Carlos Eduardo Miranda. Neles tocaram Baiana System, Céu (foto abaixo), Ventre, Fióti, Barro e mais uma galera.

ceu2

Do outro lado do festival, outros dois palcos representavam o “verdadeiro Bananada”, mais indie, menos gigantesco. O palco Slap, que perto da meia-noite virava o El Club, com DJs e performers para botar o povo para dançar (Jaloo, Selvagem). E, em frente, tinha o palco que reproduzia a Casa do Mancha (casa-clube de São Paulo), com shows do bom Raça, do meio-boogarins Luziluzia, o deslocador de tempo e espaço E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante e o Hierofante Púrpura, que, olha, perdi algumas coisas, vi parte de outras, mas o grupo de Mogi das Cruzes periga ter feito o show mais legal da sexta-feira. Talvez. Esses dois palcos “alternativos” tinham as atrações apresentadas pela incrível radialista Roberta Martinelli.

Abaixo, alguns dos momentos da sexta no Bananada 2017, em vídeos feitos por mim e fotos incrí do Ariel Martini, do I Hate Flashzaço.

Captura de Tela 2017-05-16 às 11.51.21 PM

O show ao vivo mais explosivo da cena brasileira, um “Asian Dub Foundation meets Major Lazer meets Carnaval baiano”, o Baiana System agitou o Bananada

***

***

Captura de Tela 2017-05-16 às 11.48.38 PM

Público do Bananada 2017 no Centro Cultural Oscar Niemeyer, durante show do Baiana System

***

***

Captura de Tela 2017-05-16 às 11.44.15 PM

A MPB do gueto de Evandro Fióti foi um dos destaques do primeiro dia “grande” do festival goiano

***

***

Captura de Tela 2017-05-16 às 9.14.38 PM

O trio carioca Ventre e seu show politizado em ação na 19ª edição do maior evento indie do Centro Oeste

***

***

Captura de Tela 2017-05-16 às 11.48.09 PM

Mais público do Bananada, mais Oscar Niemeyer, mais Baiana System

***

* A foto que ilustra a chamada deste post, na home da Popload, traz a baterista Larissa Conforto, do Ventre.

>>

CENA – E atenção, o Bananada “começa” hoje

>>

popload_cena_pq

* Popload desbravando Goiânia.

poploadbananada2017

Vista do Palco Chilli Beans, o segundo maior do Bananada, em show de Orquestra Sinfônica de Goiás, no dia gratuito do festival. Foto de Ariel Martini, do I Hate Flash

Depois de muito shows bons em casas legais, desde segunda à noite, mais o “teste” ontem com orquestra e o internacional Boogarins no enorme Centro Cultural Oscar Niemeyer, a sede oficial do evento, o festival Bananada 2017 realmente começa hoje à noite numa área com cinco palcos e quase 30 atrações.

O bombadão Baianasystem é a grande atração do primeiro dia, que ainda vai ter Céu, Ventre, Plutão Já Foi Planeta, Jaloo, Luziluzia e a bagunça disco dance da dupla Selvagem.

Captura de Tela 2017-05-12 às 5.02.45 PM

O lugar, cheio de edifícios geométricos, tem num canto dele uma deliciosa área com dois espaços de shows, longe dos dois palcos enormes. Um que reproduz a Casa do Mancha, de São Paulo, lugar para bandas indies do indie (Raça, Luziluzia, E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante e Hierofante Púrpura tomam conta do palco, e um outro com uma que tem bandas até 23h (The Baggios toca ali), depois vira palco dance com performance e DJs (Jaloo, Selvagem). Uma parede gigante branca, toda mapeada, dá o tom de qual hora é hora por ali.

Esse bonito parque de diversões indie projetado pelo Niemeyer, que tem até pista de skate no meio, recebe o público a partir das 18h. Os shows começam 19h e só terminam 5h. Ainda tem ingressos, disponíveis para a compra no site do festival.

Captura de Tela 2017-05-12 às 5.06.17 PM

Untitled-1

Captura de Tela 2017-05-12 às 5.16.48 PM

>>

CENA – Bananada 2017 rola nesta semana em Goiânia. Popload monta QG no festival

>>

popload_cena_pq

* Popload em Goiânia, terra de Fabríco Nobre. A partir de hoje e por toda a semana, até domingo, vamos ter a…

poploadbananada2017

Começa “pequeno” hoje, às 20h, em cinco lugares espalhados por Goiânia, Centro Oeste do Brasilzão, o 19º festival Bananada, um dos mais importantes festivais independentes do Brasil em uma de suas mais importantes edições. Até domingo, a cidade, prosaicamente conhecida como a terra do sertanejo, vai ser inundada por rock, eletrônico e nova-MPB e hip hop dos bons, até soul e funk, conduzidos por um line-up de respeito que terá do clássico Os Mutantes até os sanguinhos novos Rakta e Plutão Já Foi Planeta, de Selvagem a Barro, de Mano Brown e Karol Conka a Ventre e FingerFingerrr. Céu, Liniker, Hierofante Púrpura, Luiza Lian e Terno Rei. Maria Gadú, JP Cardoso, DJ Patife, Tulipa Ruiz, Far from Alaska e Forgotten Boys. Tem a esquadra goiana jogando em casa: Boogarins, Carne Doce, Black Drawing Chalks, Brvnks, Hellbenders e Overfuzz. E tem muito mais.

mutantes

As principais atrações farão suas performances em palcos espalhados no epicentro do festival, o suntuoso Centro Cultural Oscar Niemeyer.

A programação desta noite de estreia do Bananada está assim disposta:

Captura de Tela 2017-05-08 às 6.01.32 PM

Além da música, o Bananada montou programação que inclui artes visuais, ação de moda, cultura urbana (encontro de skate e tattoo) e um circuito gastronômico (Goiânia Rock City) que já está em sua quinta edição e conta com 30 espaços gastronômicos alimentando os locais e os visitantes que vieram à cidade para o Bananada.

A Popload já está instalada no centro nervoso da inteligência do Bananada, no espaço cultural Centopéia, em Goiânia, para cobrir o festival. E a batelada de shows começa daqui a pouco.

Ingressos para o Bananada, que vai crescer dia-a-dia no número de shows e tamanho das atrações, são encontrados no site do festival, que ainda traz todas as informações sobre esta 19ª edição. Acompanhe o Bananada pelo Instagram do festival.

>>