Em Sex Pistols:

Popnotas: Taylor Swift encara Michael Jackson na “Billboard”, Sex Pistols via Danny Boyle, Ariel Pink demitido e um vídeo de dEUS

>>

– A gente comentou por aqui quando a Taylor Swift perdeu seu post de número 1 na lista de álbuns da revista americana “Billboard”, que dita as paradas por lá. Mas ela retomou o posto nesta semana e ainda alcançou uma marca e tanto. Agora Taylor e Michael Jackson têm o mesmo tanto de semanas no posto máximo da lista: 51. A ex-diva-country-pop-hoje-indie precisa daqui para a frente brigar com outros gigantes: The Beatles, 132 semanas, Elvis Presley, 67, e Garth Brooks, 52. Este último parece molezinha. Go, Taylor.

– Promete ser interessante essa “Pistol”, a série dirigida pelo Danny Boyle sobre os Sex Pistols, mais precisamente do ponto de vista de Steve Jones, já que o texto vai ser baseado nas memórias do ex-guitarrista da banda.
“Lonely Boy – Tales from a Sex Pistol”, de 2016, lançada dentro das comemorações de 40 anos do punk, foi considerado à época um dos livros do ano. Na lista de atores, talvez a mais conhecida é Maise Williams, a Ayra de “Game of Thrones”. Ela fará o papel da famosíssima e loucaça Jordan, uma das personagens fascinantes da época que ajudou a moldar o visual do punk. Jordan trabalhou na butique da estilista Vivienne Westwood, a SEX, onde tuuuuuuuuuuuuudo começou.

– Aquele rolê zoado, para dizer o mínimo, que o Ariel Pink deu no Capitólio americano na semana passada trouxe suas devidas consequências para a música indie. A Mexican Summer, sua gravadora atual, resolveu encerrar seus trabalhos com o artista. Ariel Pink devidamente foi cancelado geral.

– O grupo galês Manic Street Preachers deu um sinal de trabalho no Instagram, postando parte do que já desenvolveram no estúdio. Disco novo em breve.

– Você anda chamando tanto Deus que ele apareceu, mas na forma de dEUS, a banda. O canal de TV alemão Rockpalast subiu em seu Youtube nesta semana um show da cultuadíssima banda belga de 2015, no Haldern Pop Festival, que acontece desde 1984 em linda região perto do rio Reno, no lado ocidental da Alemanha. O vídeo tem deliciosa 1 hora e 15 min, com 14 músicas de uma das bandas mais interessantes fora-do-eixo UK-US.

>>

Green Day, Sex Pistols, Guns N’ Roses e Portlandia se misturam para homenagear Johnny Ramone

>>

290818_ramones_22slidr

Já virou tradição. Anualmente, entre os mil eventos que acontecem em Los Angeles, a cidade é palco de um tributo ao guitarrista Johnny Ramone. A edição deste ano aconteceu no último domingo no Hollywood Forever Cemetery e contou com algumas estrelas da cultura pop.

Bille Joe Armstrong (Green Day), Duff McKagan (Guns N’ Roses), Steve Jones (Sex Pistols) e Fred Armisen (estrela da série Portlandia, se juntaram para tocar algumas canções em formato acústico dos Ramones, inesquecíveis.

Entre as faixas, Rockaway Beach” e “Judy Is a Punk”. Sobrou um tempinho para tocar “Pretty Vacant”, dos Pistols, também. Dizem que o Morrissey estava por lá. O evento tem a organização da Linda Ramone.

>>

Que punk! John Lydon leva garrafada na testa, mas continua o show em Santiago

>>

150816_lydon1
Um dos ícones maiores do rock, John Lydon passou por uma situação punk (cof) na noite de ontem, em Santiago, “aqui ao lado”. O inglês estava na cidade com sua banda pós-punk Public Image Limited, mas bem que poderia ser um show dos Sex Pistols.

A apresentação foi em um clubinho, abarrotado, mas com um público pequeno em números. Em certo momento do show, John foi atingido por uma garrafa bem no meio da testa. O vocalista começou a sangrar e teve que interromper a apresentação, enquanto fãs tentavam pegar o agressor.

Com o espírito punk em dia, mesmo aos 60 anos de idade, Lydon enrolou uma toalha na cabeça e avisou: “vamos continuar”.

Abaixo registros do momento em que o cantor tenta conter o sangramento e em seguida cantando a clássica “Public Image”, com a toalha enrolada na cabeça. Também uma foto publicada em seu Twitter, após o show.

>>

Sex Pist… ou melhor, o Slaves lança o vídeo da garota que faz açúcar ter gosto de sal

>>

Screen Shot 2015-07-30 at 10.01.53

* Passando aqui para dizer que o Slaves, a dupla inglesa style “bateria”-guitarra (em que o baterista canta, de pé), grupo que confundiu o Bono na TV e zoou o Arctic Monkeys, além de ter lançado um dos discos mais contundentes do ano, o “forte” “Are You Satisfied?”, soltou um vídeo novo, bem doido, desta vez para “Sockets”, faixa sexpistoniana do disco de estreia deles. É sobre um cara que está com alguns problemas com as tomadas da casa dele. E, aparentemente, com uma garota. Tipo assim:

>>

O mesmo único disco dos Pistols. Outra maldita reedição. Mas essa é histórica!

>>

* Há muito que não sou mais empolgado com lançamentos de disco físico, principalmente no Brasil. Mas essa edição do “Never Mind the Bollocks Here’s the Sex Pistols”, que a gravadora Universal está despejando no mercado brasileiro, é de matar de boa. O álbum clássico dos Pistols e do movimento punk, aliás o único da banda de Johnny Rotten e Sid Vicious, o grupo considerado a maior farsa do rock’n’roll, chega às lojas daqui remasterizado, com um disco extra e cheio de bônus, além de um esperto livro-encarte. Se parece um ultraje sair uma edição “luxuosa” para o disco mais podre da história da música jovem, essa é a ideia que sempre perseguiu os Pistols e por consequência sempre perseguiu o rock, a rainha, o rock progressivo e os “bons costumes”.

“Bollocks” foi lançado em outubro de 1977 e é considerado a pedra fundamental do movimento punk e luminar até hoje. Já teve vários relançamentos. Esse último, que vem agora ao Brasil, saiu no final de setembro na Inglaterra sob o pretexto de comemorar os 35 anos de sua primeira edição. Lá no Reino Unido, saiu com quatro CDs, incluindo um DVD de show ao vivo, os famosos vídeos de estúdio, pôster, adesivos e, veja bem, uma réplica do single original “God Save the Queen”. Esta edição eu vou catar na primeira viagem para fora, certeza.

A que saiu no Brasil agora é a versão “luxuosa-modesta”, dupla, com um incrível show inteiro em Estocolmo, na Suécia, em 1977, em pleno ano da bagunça. O CD é completado por três faixas de um show na Inglaterra, numa cidadezinha portuária do condado de Cornwall na qual a banda chegou sem avisar para um show-teste para o disco, em setembro do mesmo 1977, dias antes de “Never Mind the Bollocks Here’s the Sex Pistols” ser lançado. As faixas dessa “ação” são “Problems”, “No Fun”, cover de Stooges, e “Anarchy in the UK”, no calor mais puro da energia punk, youknowImean, mate?

O CD 1 da edição brasileira tem o álbum masterizado mais as b-sides “No Fun” (do single “Pretty Vacant”), “No Feeling” (do single “God Save the Queen”), “Did You No Wrong” (idem), e “Satellite” (do single “Holidays in the Sun”).

Esta edição acho que custa R$ 40 por aí. É parte da história da música que escutamos hoje.

Agora recentemente, exatamente para comemorar os 35 anos do disco dos Pistols, apareceu um vídeo para “Holidays in the Sun”, que usou imagens inéditas da banda tocando em Berlin em 1977, feitas pelo à época documentarista do grupo, o cineasta Julien Temple, de grandes serviços prestados à música.

>>