Em shame:

Popnotas – Lauren Hill volta pelas mãos do Nas. A piano session do 2DE1. Shame no quintal com os franceses. E a cara do Brasil, segundo o Autoramas

>>

* Olha quem apareceu. A deusa suprema do hip hop e soul americanos Lauren Hill, que tem aparecido em ocasiões pontuais, surge agora como convidada do rapper Nas para a faixa nova “Nobody”, que está no novo disco do nova-iorquino, “King’s Disease II”. lançado sexta passada. O 14º álbum de Nas, fora Lauren Hill, está forte nas presenças especiais. Eminem e Charlie Wilson (Gap Band), entre outros, também aparecem nos créditos do disco. Lá nos anos 90, Hill já tinha colaborado com Nas, na espetacular “If I Ruled the World (Imagine That)”.

* CENA – O ótimo duo de irmãos gêmeos 2DE1 lança amanhã, de novo, os singles “Emersão” e “Confesso”, duas músicas novas que estarão no próximo EP da dupla Fernando e Felipe Soares (foto abaixo, da Mavo Content) , a ser lançado ainda neste ano. Massssssss. Serão as novas músicas em um formato de piano session, mais intimista do que elas já são. A session foi filmada (além de gravada) no teatro de Contêiner, em São Paulo, o que equivale a dizer que um vídeo da session vai acompanhar o lançamento desta terça.

2de1

* O excelentíssimo programa francês virtual “La Blogothèque” em parceria com o canal Arte Concert foram lá no quintal da banda punk inglesa Shame em Londres para gravar dois números com a turminha barulhenta que lançou, no comecinho deste ano, seu espertíssimo segundo álbum, “Drunk Tank Pink”. Do disco, ali no quintal de Brixton, eles sacaram as faixas Alphabet e Station Wagon para francês ver. E ouvir. E transformar em filminho. Parabéns a todos os envolvidos.

* CENA – Isso devia virar um hino. A banda surf-punk Autoramas, com grande participação do Rodrigo Lima, da famosíssima banda de hardcore capixaba Dead Fish, lançou recentemente a música “A Cara do Brasil”, que fala sobre governo, ciência, vacina, cloroquina, flexões de braço de terno e tem um vídeo à altura cheio de colagens representativas, cuja parte mais legal é um cai-cai do Neymar. A música tem 58 segundos de duração e conta tantas histórias quanto um bom livro de História. Do Brasil.

>>

Popnotas – O novo crime da Lady Gaga. A imparável Giovanna Moraes, desta vez ao vivo. E o incrível bom comportamento do Shame

>>

– Lady Gaga, Jared Leto, Blondie na trilha, Adam Driver fazendo papel de estilista de moda, direção do fodão Ridley Scott e completando o elenco os espetaculares Al Pacino e Jeremy Irons. Ontem saiu o primeiro trailer oficial do aguardadíssimo filmaço “House of Gucci”, que estreia em novembro nos cinemas americanos. Baseado no livro “The House of Gucci: A Sensational Story of Murder, Madness, Glamour, and Greed by Sara Gay Forden”, o filme tem Lady Gaga como assassina e o Driver mitando na pele do famoso Maurizio Guggi, que comandava o império fashion da família. Sente o drama:

***

CENA – Agilizada em seus lançamentos, a cantora multiinstrumentista paulistana Giovanna Moraes tira desta vez, de sua cartola de produções legais, um vídeo ao vivo gravado no BarraCo, na Barra Funda, em São Paulo, batizado de “Baita Momento Peculiar”. Porque, ao vivo em tempos de pandemia, é mesmo. A session vem com duas músicas de seu belo mais recente álbum, o “III”, de março deste ano: “Baile de Máscaras” e “Rosalía”. O “Baita Momento Peculiar” traz também três inéditas: “Poucas”, “Espaço” e “It’s Not Fair/Injusta”, está última, oasisiana, já nascendo clássica. Destaque aqui, além das músicas de Giovanna, para duas coisas: o visual produzido para a session dentro deste espaço/galpões de SP e a edição esperta do vídeo da própria cantora faz-tudo. Três coisas, na verdade. Vale salientar ainda a banda que acompanha Giovanna como fiéis escudeiros. São Thommy Tannus e Lucas Trentin nas guitarras, Pedro Dona no Baixo, e o excelente baterista Renato Lellis. Quando o mundo se abrir, ver essa galera ao vivo de uma forma mais… viva, vai ser bacana.

***

– Você é uma pessoa preparada para ver a banda punk inglesa Shame comportadinha? Então toma uma session na Tiny Desk com eles, de três músicas, todas elas do esperto último disco deles, “Drunk Tank Pink”, lançado lááá em janeiro. O vocalista malucaço Charlie Steen sentado, de terno, gravata e chapeu, com a banda fazendo um som menos feroz e mais matemático, na linha Black Coutry, New Road e Black Midi. Olha, curtimos.

>>

POPLOAD NOW – Oito razões que provam que o Primavera Sound 2022 vai ser o maior festival dos últimos tempos

>>

* Manhã agitadíssima no mundo da música, mais precisamente dos festivais e da volta deles pós pandemia. O gigante catalão Primavera Sound, reconhecido internacionalmente pela sua absurda curadoria, anunciou seu incrível line-up para a edição de 2022, junho do ano que vem, de 2 a 5/6 e depois de 9 a 12/6. Portanto não terá apenas UM final de semana de realização, como de costume, mas sim DOIS findes de programação, além de shows espalhados por Barcelona no meio deles. Para compensar os dois anos sem festival, vão fazer um Primavera Sound 2020 e um 2021 em 2022. Está entendendo?

Bom, a escalação do Primavera Sound está melhor do que o esperado. PORQUE ESTÁ TODO MUNDO LÁ.
É talvez o festival “mais próximo” da Popload, até mais que o Glastonbury. Essas bandas todas que diariamente vêm sendo faladas aqui, ganhando posts e posts neste site de guerreiros indies, TODAS ESTÃO ESCALADAS na edição do ano que vem do festival espanhol. É muita emoção.

Agora aumenta a foto aí e ajusta a visão, porque o pôster não colabora muito para ver as maravilhosas linhas pequenas de bandas.

primaverasound2

Bom, mas vamos ao que interessa. O Primavera deve ser hoje o maior e mais legal festival do mundo e PODEMOS PROVAR POR QUÊ.

***

1 – HEADLINERS DE PESO

Depois de ter duas edições seguidas adiadas por conta da COVID 19, a edição de 2022 juntou alguns dos artistas previamente anunciados e trouxe nomes fortíssimos para a volta do festival. Pavement, Strokes, Massive Attack, Tame Impala, Nick Cave and the Bad Seeds, Gorillaz, Beck, Tyler the Creator, Lorde, Dua Lipa, Megan Thee Stallion, Interpol, Yeah Yeah Yeahs, Jorja Smith, The National e Jamie XX. Está bom para você?

***

2 – LINHAS PEQUENAS QUE IMPORTAM

Estes dias comentamos sobre o “polêmico” Lollapalooza Chicago 2021, que foi questionado por muitos por ter nomes menos conhecidos e estar recheado de DJs.
No espanhol Primavera Sound isso não é problema. Aliás, problema mesmo é acompanhar tanta banda legal anunciada.
Ainda em letras “médias” do seu teste de oftalmo, algumas bandas que amamos: Bikini Kill, Fontaines D.C., Slowthai, King Gizzard & the Lizard Wizard, Kim Gordon, Idles, Charli XCX, Caroline Polachek, Kacey Musgraves, Rina Sawayama, Girl in Red, A.G. Cook, Jehnny Beth, Shame, Honey Dijon, Black Midi, Black Lips, DJ Shadow, Disclosure, Big Thief, Playboi Carti, Pa Salieu, Slowdive, Run The Jewels, M.I.A., Burna Boy, Brittany Howard, Jessica Pratt, Shellac, Celeste, King Princess, Sky Ferreira, Romy… ENTRE OUTROS.

***

3 – VÁRIOS AMIGUINHOS DE SHOWS NA POPLOAD

Além de headliners familiares da casa, tipo Tame Impala, Lorde, Nick Cave, Jamie XX, tem também vários outros nomes que trouxemos ao Brasil para Gigs e Festival: Metronomy, Khruangbin, Jesus and Mary Chain, Yo La Tengo, Sharon Van Etten, Caribou, Beach House, Little Simz, Courtney Barnett…

***

4 – NOMES PARA FICAR DE OLHO

O festival talvez seja um dos maiores termômetros do que você pode esperar para ver em outros eventos musicais pelo mundo, até em anos posteriores. Bandas que ainda vão estourar em muito lugar, achadinhos que valem a pena.
Nossas antenas aqui na Popload estão sempre bem ligadas e neste line-up do Primavera Sound vimos vários nomes que cantamos a bola ao longo do ano: Dry Cleaning, Sinead O’Brien, Black Country, New Road, Porridge Radio, Squid, Working Men’s Club, Rolling Blackouts Coastal Fever, Viagra Boys, The Murder Capital, The Weather Station, Shame, Beabadoobee, Faye Webster, Tim Burgess, Iceage…

***

5 – FESTIVAL DIVERSO E EQUILIBRADO

Talvez uma das coisas mais legais de ver acontecendo em eventos como este é a preocupação em ter uma programação balanceada em questões de gênero. Isso já era uma preocupação quando o Primavera Sound anunciou a edição de 2020 e que felizmente se repete para o próximo ano.
Mais felizes ainda ficamos em ver a que talvez seja a melhor representante brasileira nesse quesito: Pabllo Vittar está confirmadíssima!

***

6 – MAIS?

Sim, o Primavera Sound 2022 recém-anunciado tem tudo acima e mais um pouco. Cada olhada mais atenta ao line-up do festival espanhol soltam aos olhos bandas incríveis que na tontura das primeiras olhadas tiveram o foco desviado. Mas aí a gente volta ao pôster e vai vendo que ainda vai ter Sampa the Great, Connan Mockasin, Tops, Pond, El Mató a un Policia Motorizado…

***

7 – COVID

Diferentemente de como foi semana passada com o anúncio de outro festival gigantesco, o Lollapalooza americano, o espanhol Primavera Sound não gastou muito tempo se referindo a medidas contra a Covid.

A despeito de novas ondas e cepas do vírus, acredita-se que até o ano que vem toda a Europa esteja vacinada.

Em março deste ano, um teste do setor de música ao vivo foi feito em Barcelona, em um show para 5 mil pessoas com testes negativos para a Covid-19. Boa parte usava máscara. Mas outra parte não. E não tinha distânciamento, todo mundo estava junto. Cerca de quatro casos dos presentes foram confirmados a posterior, mas nada garantindo que a contaminação veio do show-teste.

Em 2019, em sua última edição, cerca de 220 mil pessoas foram ao Primavera. Em 2020, com o final de semana dobrado para o evento, espera-se o dobro disso. É tradicional que pelo menos metade desse público que atenderá o festival venha de outras partes da Espanha e dos países europeus vizinhos. Muitos ingleses costumam viajar a Barcelona no verão para ver o Primavera Sound.

***

8 – BARCELONA

Cidade deliciosa, bonita, no Mar Mediterrâneo, rota para outros lugares legais na Espanha e até tiro curto para fora dela, verão europeu, comidas e bebidas incríveis, rica em arte em museu e na rua, o Barcelona, o bairro gótico, clubes incríveis, programação esperta nos dias de semana, pertinho de Ibiza. E um festival como o Primavera para encarar. Se o problema não for $$$, exatamente, e as ondas zoadas da Covid deixar, não vai ter melhor lugar no mundo para se estar em junho de 2022.

***

* Abaixo, o genial filminho de apresentação do line-up do Primavera Sound 2022.

***

PS: O Primavera Sound avisou no Intagram dele que, além de acionar o zoom para ver o line-up, a gente pode esperar MAIS ATRAÇÕES A SEREM ANUNCIADAS. OK?

Ah, e ainda o festival vai acabar com uma grande festa na praia, em 12 de junho, com uma penca de DJs tocando na praia de Sant Adrià de Besòs, incluindo Nina Kraviz, Amelie Lens e Peggy Gou.

***

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.

>>

Mais do festival da rádio inglesa. Veja performances de Shame, Working Men’s Club e Black Country, New Road

>>

* Voltamos com o 6 Music Festival 2021, na chamada “edição lockdown”, todo ele gravado no BBC Radio Theatre, no centro de Londres. Mais cedo publicamos a performance da banda Dry Cleaning. Agora, chegou a vez de Shame, Working Men’s Club e Black Country, New Road. Todos incríveis.

***

* A foto que está na home, chamando para este post, traz o figuraça Isaac Wood, vocalista e guitarrista do Black Country, New Road.

>>

Popnotas – O filminho do Shame, as 87 músicas do Lennon, No Rome+Charli XCX+1975, Sharon van Épica e ele… sim… o Foo Fighters

>>

* A banda punk inglesa Shame, famosa por suas poderosas apresentações ao vivo, soltou ontem à noite no Youtube um filme chamado “Live in the Flesh”, cheio de chinfras de bastidores, para mostrar “por dentro” como um show do Shame funciona, desde a chegada da banda ao lugar da performance. Claro, tem um quê teatral engraçado, a cara do Shame (foto na home). Na parte do vamos-ver, mesmo, a banda tocando, são sete faixas de seu mais recente disco, “Drunk Tank Pink”, o segundo deles, lançado em janeiro. O filme foi gravado no Brixton Electric, no sul de Londres, área deles. E, como todo show do Shame, é intenso e vale o livestreaming.

* Featuring de peso. O músico Guendoline Rome Viray Gomez, mais conhecido pelo seu nome artístico No Rome, conseguiu reunir Charli XCX e The 1975 na mesma faixa. É o single “Spinning”. Charli chegou a escrever um tweet que mencionava estar ansiosa em formar um supergrupo com No Rome e o 1975. Se o trio ainda vai ter mais músicas em parceria é quaaaase um mistério. Mas, pelo que entregou Charli…

* “Plastic Ono Band”, primeiro álbum solo de John Lennon, lançado após o rompimento dos Beatles, vai ganhar uma edição de luxo caprichada em abril. Esta “Ultimate Collection Box Set” lembra os moldes do que rolou com “Imagine” em 2018, ou seja seis CDs, blu-ray, livro e tudo o mais – são nada menos que 87 gravações inéditas entre outtakes, demos, jam sessions e a gravação ao vivo completa de Yoko Ono/Plastic Ono Band, seu álbum-irmão – ou irmã, talvez caiba melhor no caso.

* Sharon Van Etten anunciou um disco chamado “epic Ten”, um álbum duplo que vai celebrar os 10 anos de “epic”, seu segundo trabalho. Terá uma reedição do original acompanhando de um disco onde artistas como Fiona Apple, Lucinda Williams, Big Red Machine, Courtney Barnett e Idles fazem uma releitura da obra decana. Já temos um gostinho do primeiro cover, a versão do Big Red Machine para “A Crime”, faixa que abre o álbum. Quando chega tudo? Abril.

* O Foo Fighters participou ontem do “Late Late Show” do figura James Corden. Mais uma das milhares de divulgações de seu novo álbum, “Medicine at Midnight”, lançado tem um mês. Tocaram a mesma “Waiting on a War” que já tinha rolado no programa do Jimmy Fallon e em outros cem lugares, seja TV, rádio, internet. Sempre com o Foo Fighters gravando sua performance e a enviando aos veículos. Quem aguenta tanto do mesmo? Sendo talvez a única banda de rock que ainda consegue chamar a atenção de todos os programas de entretenimento do mundo, fica evidente também alguns efeitos da pandemia no mundo da música. Pouca gente trabalhando, falta de assunto, clima e eventos extremamente iguais. Quando a banda não inova no repertório ou é um pouco mais radical na filmagem, tudo soa meio cansado. Bom, Dave. Desculpa o trato. Só estamos ficando cada vez mais mau-humorados com tudo… De todo modo, o vídeo está aqui abaixo. Pelo menos foi gravado de um outro ângulo, com o Dave Grohl olhando para a esquerda.

>>