Em slowthai:

Disclosure bota Aminé e slowthai na ótima e dançante “My High”, uma das melhores músicas do ano

>>

050220_disclosure

Depois de anunciarem o lançamento do disco “Energy” com o single homônimo e samples de samba no meio, o adorado duo inglês Disclosure soltou mais uma música que estará no projeto.

A ótima “My High” conta com participações especiais do rapper americano Aminé e do encasquetado slowthai. Só isso.

“Sempre quisemos trabalhar com rappers, simplesmente não conhecíamos nenhum e não tínhamos como entrar em contato com eles. Escrever ‘My High’ com Aminé foi muito divertido, ele é hilário e poderia facilmente ser um comediante. Ele escreve tão rapidamente e é incrível de acompanhar. Ele trouxe tanta energia para essa música já muito enérgica que, quando chegamos em casa em Londres em janeiro, havia apenas um cara capaz de encaixar com ela… slowthai”, escreveu o duo.

“Energy”, o novo disco, será lançado no dia 28 de agosto. Outros nomes como Kelis, Mick Jenkins, Channel Tres, Common, Fatoumata Diawara, Blick Bassy, ​​Kehlani e Syd também estão envolvidos no álbum.

Energy – Tracklist
01. “Watch Your Step” (com Kelis)
02. “Lavender” (com Channel Tres)
03. “My High” (com Aminé e slowthai)
04. “Who Knew?” (com Mick Jenkins)
05. “Douha (Mali Mali)” (com Fatoumata Diawara)
06. “Fractal (Interlude)”
07. “Ce n’est pas” (com Blick Bassy)
08. “ENERGY”
09. “Thinking ‘Bout You (Interlude)” (com Kehlani e Syd)
10. “Reverie” (com Commom)

>>

Agora vai. Rapper inglês Slowthai sampleia James Blake e lança terceiro single nesta semana

>>

Captura de Tela 2020-05-15 às 8.21.32 AM

* O cara disparou. Sumido dos novos lançamentos próprios desde o disco de estreia no ano passado, “Nothing Great about Britain”, o great rapper britânico Slowthai soltou os arquivos musicais nesta semana e hoje lançou seu terceiro single nos últimos sete dias.

A gente trouxe aqui o primeiro, a ótima “Enemy”, em que ele tratou de um jeito grime de seu cancelamento virtual pelas encrencas que ele se meteu no ano passado.

Depois dessa, Slowthai apresentou “Magic”, ontem, que tem os dedos de Kenny Beats, o papa da produção do novo hip hop americano. E agora “BB (BodyBag), que traz samples do delicadíssimo músico conterrâneo James Blake.

Pensa a música de James Blake remexida e indo parar na boca de Slowthai sob o nome de “Saco de Defunto”.

Bem-vindo a 2020, Slowthai.

As duas, “BB BodyBag”e “Magic”, as novas-novas do Slowthai, seguem abaixo. Segura.

>>

Ex-cancelado, o polêmico Slowthai reaparece e lança a bombástica “Enemy”

>>

Captura de Tela 2020-05-14 às 10.42.00 AM

* O cara aprontou tanto na música inglesa nos últimos dois anos que andava meio sumido. Talvez nem por isso. Mas o negócio é que o rapper vida-loka britânico Slowthai finalmente deu as caras em 2020, pandemia e colaborações pontuais com o Gorillaz e Mura Masa à parte, e lançou nesta semana a explosiva “Enemy”, sua nova música.

Famoso por zoar em premiações, altas tretas políticas e tudo mais, cancelamentos nas redes e pedidos de desculpas, Slowthai mostra a primeira canção própria desde que lançou o ótimo disco de estreia, “Nothing Great about Britain”, exatamente há um ano (17 de maio de 2019).

“Enemy” veio com um vídeo ótimo que começa com o rapper acendendo uma “bomba” na contra-luz da escuridão, tipo “Bruxa de Blair”, enquanto aparece um som sampleado de um discurso sobre ele “cometido” pelo cantor da polêeeeeeemica banda The 1975, o Matty Healy, durante o evento NME Awards 2020.

“Galera, mande suas vibrações positivas ao Slowthai. Vai saber em que porra ele está metido agora, mas Deus ajude esse rapaz”, mandou na fala o Matty, no palco do prêmio da NME.

Isso está no começo de “Enemy”, digamos que traduzido no ritmo do grime do Slowthai. E aí o som descamba para a porrada ritmada do rapper de Northampton.

Mais tarde ainda, uma voz de mulher aparece na música dizendo “Slowthai, você foi oficialmente cancelado. Seu cuzão”, em referência ao rapper ser acusado de misógino, no prêmio.

Bem-vindo a 2020, Slowthai!

>>

Com as participações de slowthai e Slaves, Gorillaz revela qual é a do projeto “Song Machine”

>>

300120_gorillaz3

Anteontem, o Gorillaz deixou o mundo pop atento quando “anunciou” que estava com algo novo engatado. Chamando “Song Machine”, o projeto audiovisual do grupo liderado pelo Damon Albarn traz novidades boas.

A primeira delas é o cartão de visitas em forma de música, mesmo. “Momentary Bliss” é o primeiro single do projeto, e tem as participações dos incríveis slowthai e Slaves, uma das possibilidades citadas por aqui há dois dias.

Além disso, o vídeo que apresenta a canção mostra um raro crossover entre humanos e desenhos, com a banda real em ação junto com a virtual e os personagens criados por Jamie Hewlett.

O Gorillaz mandou avisar que existe um calendário extenso de lançamentos ao longo do ano, que serão revelados de forma esporádica e fugindo do ciclo tradicional de singles e álbum cheio.

Fora o single, o Gorillaz também soltou um vídeo que abre uma série, chamada Machine Bitez. O EP #1 conta com 2D, Murdoc e Russel.

>>

Slowthai carregando a cabeça do primeiro-ministro britânico, o IDLES “inventando” o punk, a Little Simz incrível, o Dave vencedor. Um pouco do Mercury Prize 2019

>>

200919_slowthai

Rolou na noite de ontem em Londres a aguarda edição 2019 do Mercury Prize, uma das premiações musicais mais conceituadas do Reino Unido, que tem um formato diferente em relação aos eventos deste tipo.

Em vez de premiar diversas categorias, o Mercury Prize premia apenas o melhor disco feito por um artista britânico no período de 12 meses anterior à cerimônia.

No cardápio de indicados deste ano, nomes como 1975, Foals, Fonaines DC, Idles e a “nossa” Little Simz estavam na disputa, que acabou vencida pelo jovem rapper Dave, de apenas 21 anos, com seu ótimo “Psychodrama”, disco que foi lançado em março deste ano e que foi direto para o topo das paradas inglesas na primeira semana.

Foto: REX FEATURES

Foto: REX FEATURES

Mas o auê ficou mesmo para o que rolou no palco. Se o MP premia apenas uma categoria, o tchan da premiação está no fato de todos os concorrentes se apresentarem ao vivo. E aí o evento deu o que falar especialmente pela apresentação do rapper Slowthai, um dos grandes nomes da nova safra por lá.

Sem pudor, ele entrou no palco segurando a cabeça de um boneco de Boris Johnson, o primeiro-ministro britânico. E, ainda, vestindo uma camisa com os dizeres “Fuck Boris”, que agora estão à venda em seu site. Haha. O choque foi tamanho que a transmissão da BBC foi cortada direto para a apresentadora Lauren Laverne, que precisou falar que aquelas não eram as opiniões da emissora.

Ainda no campo político, que a imprensa inglesa diz ter sido a edição com mais apelo neste sentido nos últimos tempos, o Foals falou sobre as questões climáticas, a Anna Calvi repudiou a desigualdade de gêneros, e o IDLES a masculinidade tóxica.

Teve ainda a Little Simz ícone, mostrando que o Popload Festival será incrível também por causa dela, o Fontaines DC com o vocalista gênio Grian Chatten vestindo camisa do Nick Cave, e o próprio IDLES, na parte sonora, fazendo tudo parecer a década de 70 e que estava surgindo naquele ali, naquele momento, o punk.

Foto: REX FEATURES

Foto: REX FEATURES

Confira abaixo os discos indicados e os vídeos das apresentações na premiação.

Concorrentes ao Mercury Prize 2019:
· Anna Calvi – Hunter
· Black Midi – Schlagenheim
· Cate Le Bon – Reward
· Dave – Psychodrama (vencedor)
· Foals – Everything Not Saved Will Be Lost
· Fontaines DC – Dogrel
· Idles – Joy As an Act of Resistance
· Little Simz – Grey Area
· Nao – Saturn
· SEED Ensemble – Driftglass
· Slowthai – Nothing Great About Britain
· The 1975 – A Brief Inquiry Into Online Relationships

>>