Em Smashing Pumpkins:

Tempos de reclusão? Smashing Pumpkins prepara batelada de lançamentos e shows até difíceis de explicar

>>

* 2020 entrando na reta final e, enquanto boa parte das bandas e o mercado fonográfico seguem segurando grandes lançamentos, se tem uma base de fãs que não tem do que reclamar é a do Smashing Pumpkins.

corgan

Prestes a lançar em 27 de novembro o novo álbum, “Cyr”, com 20 músicas, seis delas divulgadas até então e que já adiantamos por aqui, os próximos dias (ou horas) trarão ainda muitas (mas MUITAS) novidades da veterana banda de Chicago, que serão divulgadas oficialmente. Mas, para adiantar essas infos lindas e, digamos, podar eventuais distorções ou informações incorretas de toda essa parada, o líder da banda Billy Corgan fez recentemente uma live adiantando um pouco de tudo isso.

Em comemoração aos 25 anos do lançamento do ótimo e complexo “Mellon Collie and the Infinite Sadness”, os Pumpkins estão trabalhando atualmente em 33 músicas que farão parte de um novo disco, uma espécie de sequência do “Mellon Collie” e do “Machina” (este de 2000), com uma espécie de ópera rock e que vai fechar essa trilogia e o arco temático do personagem Zero / Glass. Intrigante? Billy Corgan é assim.

O “Mellon Collie” também vai ganhar uma turnê comemorativa que contará com uma grande produção e também deverá trazer, em seu setlist, b-sides dessa era inclusos no box “The Aeroplane Flies High”. Claro, as datas exatas ainda não serão anunciadas por tudo que está acontecendo com mundo, mas a perspectiva é “quando houver condições, o mais rápido possível”.

Voltando ao “Machina”, a tão aguardada versão completa está atualmente sendo mixada e deverá ter entre 50 ou 51 músicas, fora os lados B e raridades, sobras etc. Lembrando que o “Machina” originalmente seria um álbum duplo que a gravadora acabou não aceitando e por isso o disco foi dividido em duas partes. A segunda disponibilizada gratuitamente alguns meses após o lançamento da primeira parte, mas as músicas finalizadas e produzidas como deveriam ser originalmente nunca haviam sido lançadas. Intrigante? Billy Corgan é desses.

Além disso, o SP também está trabalhando em um outro disco, que provavelmente terá dez músicas. Esse seria o “Volume III”, dando sequência ao “Shiny and Oh So Bright Vol 1 (No Past No Future No Sun)”, de 2018, e o já mencionado “Cyr” sendo considerado como segundo volume desse projeto. Apesar da ainda falta de data de lançamento, Billy garante que esse sai após a continuação do “Mellon Collie” / “Machina”, mas já tem 70% pronto e enfatiza que no total estão trabalhando atualmente em 46 músicas.

Nos planos ainda estão futuras turnês temáticas, nos mesmos moldes da do “Mellon Collie”, tanto do “Machina” quanto do album ainda sem título que fechará essa trilogia.

É… O Billy Corgan tem esse jeitinho.´

>>

Enquanto os fãs não se entendem, Smashing Pumpkins solta dois singles para o álbum duplo que tem uma série de vídeos em animação

>>

smashingpumpkins2

* No final de novembro, mais precisamente no dia 27, a famoooosa banda americana Smashing Pumpkins, de Billy Corgan, solta “Cyr”, seu décimo-primeiro disco. Disco duplo ainda por cima.
Dois singles deste álbum foram lançados na última sexta-feira, ambos bons, um mais animado que o outro mas os dois com cheiro das boas fases do Smashing Pumpkins dos anos 90.

O primeiro exemplar é “Anno Satana”, cujo vídeo em animação faz parte da série de filmetes que a Corgan vem mostrando, chamada “In Ashes”, que terá cinco partes. “Anno Satana” é a terceira animação desse role visual.

A outra música nova apresentada é “Birch Grove”, só áudio, sem vídeo.

A gente pode não está enxergando, mas o Smashing Pumpkins vive entre seus numerosos fãs uma delicada “briga interna” por causa do “novo Smashing Pumpkins”. Fãs são divididos, uns querendo algo como a “Bullet with Butterfly Wings Part 2”, enquanto o próprio álbum “Mellon Collie…” tinha músicas de vários estilos. O próprio Billy sempre falou que é engraçado as pessoas cobrarem sempre músicas mais pesadas, sendo que os maiores “sucessos” da banda foram “Tonight Tonight” e “1979”, não exatamente músicas de peso.

Mas, enquanto os fãs mais ardorosos do SP estão em conflito, a gente caminha por aqui ouvindo os belos novos singles.

>>

Se preparando para uma turnê com o Noel Gallagher, Smashing Pumpkins mostra som redondinho em festival na Espanha

>>

150719_PUMPKINS2>>

Enquanto se prepara para sair em turnê junto com o Noel Gallagher, mostrando que a década de 90 é hoje, o Smashing Pumpkins tem se apresentado em diversos festivais pelo verão europeu.

A mais recente parada de Billy Corgan e seus amigos que possui registro considerável foi no cada vez maior Mad Cool, festival que acontece em Madrid. A apresentação de uma hora e meia pode ser vista no final do post.

A caminhada do Pumpkins com Noel vai incluir 16 grandes arenas em cidades dos Estados Unidos e Canadá e começa dia 8 de agosto, em Camden. A última data será dia 31 do mesmo mês em Mountain View, na Califórnia.

O Smashing Pumpkins está na estrada com sua formação quase toda original e divulgando o disco “Shiny and Oh So Bright, Vol. 1 / LP: No Past. No Future. No Sun”, que saiu ano passado.

SETLIST
Siva- 0:00
Zero- 9:40
Solara- 13:17
Knights of Malta- 19:13
Eye- 25:38
Come As You Are (tease)- 31:03
Bullet With Butterfly Wings- 31:11
Tiberius- 35:36
G.L.O.W.- 38:44
Disarm- 44:49
Superchrist- 48:25
The Everlasting Gaze- 54:10
Ava Adore- 58:21
1979- 1:03:00
Tonight, Tonight- 1:07:55
Cherub Rock- 1:14:16
The Aeroplane Flies High- 1:19:40
Today- 1:29:24

>>

Eita! Smashing Pumpkins e Noel Gallagher unem forças para turnê conjunta. Com abertura do AFI ainda por cima

>>

170918-NOELslider

Algo que tem se tornado cada vez mais comum, especialmente na América do Norte, foi anunciada hoje mais uma turnê conjunta, unindo ao menos dois grandes nomes que irão se apresentar em uma mesma noite, no mesmo palco.

Essa nova turnê envolve nada menos que três nomes fortes lá dos anos 90, e que continuam fortes no mercado. O rolê é puxado pela dobradinha Smashing Pumpkins e Noel Gallagher’s High Flying Birds. As duas bandas farão apresentações com a mesma duração e terão ainda o AFI como atração de abertura.

A caminhada vai incluir 16 grandes arenas em cidades dos Estados Unidos e Canadá e começa dia 8 de agosto, em Camden. A última data será dia 31 do mesmo mês em Mountain View, na Califórnia. Os ingressos serão vendidos a partir da próxima sexta, 8 de março.

O Smashing Pumpkins está na estrada com sua formação quase toda original e divulgando o disco “Shiny and Oh So Bright, Vol. 1 / LP: No Past. No Future. No Sun”, que saiu ano passado. Já Noel Gallagher está gravando seu novo álbum, que deve ser lançado no meio do ano.

Abaixo, as datas:

pumpkinsnoeltour

>>

Smashing Pumpkins e a guitarra roubada em 1992. Recuperada agora

>>

* No início do mês, viralizou uma história bacana sobre Billy Corgan, líder dos Smashing Pumpkins, que finalmente conseguiu resgatar uma guitarra única que havia perdido há 27 anos. Como uma matéria extensa na “Rolling Stone” gringa explica, Corgan teve a guitarra roubada em 1992, e ficou à procura da mesma por anos, sem saber de seu real paradeiro. Nesta semana, o Smashing Pumpkins publicou um vídeo de Billy Corgan contando a história da busca pelo instrumento, e tocando algumas músicas do álbum “Gish”, o disco de estreia, de 1991.

A história diz que os Pumpkins estavam na estrada com a turnê do “Gish” e um ladrão simplesmente “saiu andando” pela porta do backstage após um show em Detroit, com a guitarra na mão, e ninguém o impediu. Com o passar dos anos, Corgan recebeu diversos relatos de onde a guitarra poderia estar, e até ofereceu uma recompensa pela mesma: 20 mil dólares, “no questions asked”. O cantor-guitarrista desistiu de envolver a polícia na história. Ele só queria seu instrumento de volta.

Corgan tinha um carinho especial por ela, pois foi a primeira Fender Stratocaster que ele tocou, algo que veio a consolidar o som do grupo na época. Corgan, apesar de ser canhoto, sempre tocou guitarras de destro, e o braço daquela Stratocaster parecia o favorecer – além de ter um som extraordinário. Ele também não gostava muito da cor do instrumento, então decidiu pintar algumas partes de seu acabamento, tornando-o único.

Agora, 27 anos após o incidente, seguindo uma série de pistas falsas (inclusive uma réplica relativamente bem-feita), finalmente apareceu alguém com a guitarra verdadeira. Curiosamente, a a pessoa em posse da Stratocaster não tinha a mínima ideia da história que ela carregava quando a adquiriu.

Corgan diz que “sabia” que algum dia a guitarra voltaria para ele. É o tipo de história “lendas do rock” que fãs adoram passar adiante, e que deve aparecer em livros e retrospectivas de cultura pop por anos. Mesmo com o último disco dos Pumpkins não sendo tudo aquilo, embora com a banda tendo reencontrado um vigor ao vivo, é difícil não achar isso tudo um “causo” legal.

Captura de Tela 2019-02-28 às 2.18.25 PM

**

** As fotos deste post (que inclui a da home) são de Dan Prakopcyk para a RollingStone.com.

>>