Em snl:

Jack White anuncia novo álbum ao vivo e solta versão exclusiva e explosiva de “Missing Pieces”

>>

Nesta segunda, o gênio multibandas Jack White anunciou o lançamento de mais um álbum ao vivo. “Jack White: Live at the Masonic Temple” faz parte daquele clube de assinatura supercool de sua gravadora, a Third Man Records.

vault47_banner

O disco é o registro de uma apresentação de Jack em 2014, no Templo Maçônico de Detroit, locação que não foi escolhida por acaso. O lugar tem um significado especial para o músico: sua mãe já trabalhou ali e, em 2013, Jack impediu que o lugar fosse fechado de vez. O teatro da casa, inclusive, acabou ganhando seu nome.

O show em questão, durou TRÊS HORAS (empolgado, ele), contou com a participação de seus colegas de banda do Dead Weather, Alison Mosshart (também The Kills) e Dean Fertita (também QOTSA), além de ter covers incríveis de Beck e Led Zeppelin. E, obviamente, os hits maravilhosos do White Stripes AND músicas de sua carreira solo.

A edição número 47 do Third Man Vault traz todas aquelas firulas que a gente gosta: vinis coloridos e material exclusivo. Inclusive, conta com um 7″ de sua recente performance no programa de televisão “Saturday Night Live”, aquela em que White homenageou Eddie Van Halen.

Abaixo, você confere uma faixa exclusiva desse pacotão sensacional e o tracklist completo.

***

* TRACKLIST “JACK WHITE: LIVE AT THE MASONIC TEMPLE”

1. Fell in Love with a Girl
2. Astro
3. The Big Three Killed My Baby
4. High Ball Stepper
5. Lazaretto
6. Missing Pieces
7. Just One Drink
8. Hotel Yorba
9. You Know That I Know
10. Love Interruption
11. Weep Themselves to Sleep
12. I Cut Like a Buffalo
13. Cannon
14. Hoodoo Man (Junior Wells cover)
15. Icky Thump
16. Screwdriver
17. Ramblin’ Man (Hank Williams cover)
18. Apple Blossom
19. Three Women
20. The Same Boy You’ve Always Known
21. We’re Going To Be Friends
22. Sugar Never Tasted So Good
23. Entitlement
24. Alone in My Home
25. Steady, As She Goes
26. Ball and Biscuit
27. The Lemon Song (Led Zeppelin cover)
28. The Hardest Button to Button
29. Sixteen Saltines
30. Devils Haircut (Beck cover)
31. Hypocritical Kiss
32. That Black Bat Licorice
33. Would You Fight For My Love?
34. Blue Blood Blues
35. You Don’t Know What Love Is (You Just Do As You’re Told)
36. My Doorbell
37. I Fought Piranhas
38. Seven Nation Army

>>

Bruce Springsteen se emociona ao tocar para um pouquinho de gente no “Saturday Night Live”

>>

Captura de Tela 2020-12-14 às 6.12.19 PM

* Com uma alegria reluzente de banda nova, o veteraníssimo roqueiro americano (no sentido a-me-ri-ca-no da parada) Bruce Springsteen foi ao grande programa saturnino ao vivo e à noite “Saturday Night Live” tocar duas músicas de seu novo disco, ainda que aqui o novo se refira a “Letter to You”, seu 12º disco, lançado no final do ano passado com boa repercussão de crítica e vendas. Mas não excursionado, porque a Covid-19 não deixou. E o “ao vivo” tenha só o caráter de show, porque o programa é gravado.

Não deixou também, por precaução, dois integrantes da sua excelentíssima banda E Street Band acompanhá-lo ao programa de Nova York, que tinha uma plateia pequena para vé-los, o que arrancou algumas palavras emocionadas de Springsteen, já que foi o único público, ainda que pequeno, que presenciou o músico e sua fiel banda desempenharem canções ao vivo do último álbum. Ele chegou a dizer isso em um desses programas de entrevistas de fim de noite da TV americana durante a semana, e depois da gravação do “Saturday Night Live”

As músicas tocadas no “SNL” foram “Ghosts” e “I’ll See You in My Dreams”, e resgatou ali na telinha o que Bruce Springsteen tem de melhor: sua eterna jovialidade para apresentar suas músicas ao vivo, ainda que o tempo passe e seja implacável. No caso de Springsteen e de suas atuações em show, com sua banda, o tempo é até bem generoso.

A última vez que Sprinsteen tinha se apresentado no “SNL” havia sido no Natal de 2015.

>>

Fantasmas de seu passado, Strokes fazem performance linda no “Saturday Night Live” de Halloween

>>

Captura de Tela 2020-11-02 às 7.45.28 AM

* Nossos camaradas da banda The Strokes foram os convidados do programa de Halloween do tradicional Saturday Night Live, programa nova-iorquino que anima ao vivo e em temporada as noites de sábado da TV americana desde os anos 70.

Julian Casablancas e seus amigos não estavam fantasiados de vampiros nem nada, mas de certa forma têm tenado voltar dos mundos dos mortos desde que a carreira da banda afundou em discos ruins e brigas depois do importante e revolucionário papel no novo rock nos anos 2000.

Neste ano, no comecinho de abril, no comecinho da pandemia, no comecinho das anormalidades normais, os Strokes lançaram o bom “The New Abnormal”, nome profético com capa do Basquiat e um punhado de músicas decentes que representou o primeiro disco de inéditas desde o quase-desastroso “Comedown Machine”, de 2013. Vai vendo.

Deste disco e para este “SNL” de agora, a banda apresentou performances para “The Adults Are Talking” e “Bad Decisions”. No canal do Youtube do programa americano tem o vídeo dessa aparição dos Strokes, mas traz uma zoada máscara do famoso anime japonês Doraemon, o supergato.

Quem se incomodar com a companhia, trazemos abaixo apenas o áudio dessa performance dos Strokes no “SBL”. Como preferir.

>>

Miley Cyrus tocando Pink Floyd na TV americana. E tudo fazendo sentido.

>>

* Foi “Wish You Were Here”, ainda por cima. Tudo bem que essa música ficaria boa até se eu cantasse. Mas ainda assim. E rolou no sábado passado no “Saturday Night Live” feito de casa. Brad Pitt introduziu a performance da moça no programa, que vem envelhecendo muito bem. Tem uns dois anos ela gravou até com os Flaming Lips.

myleysnl

O figurinha carimbada Andrew Watt, guitarrista e produtor, segurou a versão floydiana no instrumento que lhe deu fama. Ele testou positivo para o covid-19 em março e passou mals bocados com o vírus até há pouco tempo. Parece melhor.

Embora Brad Pitt estava sendo o host do programa, de casa, este foi o primeiro “SNL” desde 1984 sem um apresentador ao vivo em Nova York creditado, sem monólogos, sem “Boa Noite” de um condutor estrelado no fim do programa.

Pitt, que participou de Los Angeles de um quadro zoando sério o Trump, trocou a fala inicial do programa, que sempre é a clássica “Live from New York, it’s Saturday Night!”, para situar o “SNL” em tempos de pandemia. Ele disse: “Live, kind of, from all across America, it’s Saturday Night”

O ator Adam Sandler cantou um número musical sobre ficar trancado em casa. Rob Schneider estava com ele. E o Paul Rudd apareceu fazendo um Facetime.

A parte musical do programa, essa de Cyrus, não foi anunciada na abertura. E, diferente do costumeiro, só uma canção, esta boa cover de Pink Floyd mesmo.

>>

Que emocionante. David Byrne “encena” Talking Heads no “Saturday Night Live”

>>

byrne2

* Se foi lindo para nós, imagina para eles. O clássico programa humorístico nova-iorquino “Saturday Night Live”, 45 temporadas no ar, recebeu no último sábado o senhor David Byrne fazendo performance do hit master “Once in a Lifetime”, de sua ex-banda, Talking Heads, importantíssima no post-punk nova-iorquino do final dos anos 70, começo dos 80.

Foi a terceira vez na vida que o veterano músico participa do “SNL” e primeira em 30 anos. As duas vezes anteriores foram uma com o Talking Heads mesmo, em 1979 e outra uma aparição solo, em 1989.

Atualmente, David Byrne está fazendo sucesso na Broadway com o musical “American Utopia”, em que bota na trilha várias canções famosas do Talking Heads. O musical entrou em cartaz em outubro de 2019 e acabou de encerrar sua primeira temporada. O esperado é voltar ao Hudson Theatre em setembro deste ano.

“Once in a Lifetime” ganhou fama mesmo com sua versão ao vivo que consta do disco “Stop Making Sense”, de filme d 1984 com o mesmo nome, dirigido pelo Jonathan Demme. Considerada pela NPR (poderosa organização das rádios americanas) uma das 100 mais importantes músicas do século 20, tem um vídeo famoso da época, meio teatral, que resgatamos abaixo, depois da performance do “Saturday Night Live”.

Além de “Once in a Lifetime”, Byrne ainda apresentou no programa do último sábado a canção “Toe Jam”, solo sua de 2008. Quem acompanhou o músico nas performances do “SNL” foi a banda formada pelo músico para o musical “American Utopia”.

Olha que maravilha(s)!

>>