Em solid sound:

Apenas: Wilco tocando “Cut Your Hair”, do Pavement

>>

180615_wilco1

Eis que, em 2013, o universo conspirou para que duas entidades sagradas do indie se chocassem em forma de música. O Wilco, em seu próprio festival que acontece a cada dois anos em Massachusetts, tocou uma cover do Pavement, em campanha que, na época, os fãs escolhiam músicas de outras bandas para que Jeff Tweedy & Co. mostrassem em seus shows.

A escolhida foi “Cut Your Hair”, som que está no clássico segundo disco da trupe de Stephen Malkmus, “Crooked Rain, Crooked Rain” (1994).

200215_malkmus1

Na semana que vem, rola a nova edição do Solid Sound, este festival curado pelo Wilco, que a Popload acompanhou com os olhos da fanzoca Mariana Neri em sua edição mais recente, de 2013. No gás da realização do evento, a banda lança hoje o documentário “Every Other Summer”, que aborda justamente o festival. É dele o recorte do Wilco tocando Pavement.

O Solid Sound Festival deste ano, além do próprio Wilco, tem em seu line-up nomes como Yo La Tengo, Neko Case e Foxygen. O evento acontece entre os dias 26 e 28 de junho.

>>

Popload nos festivais: conheça o Solid Sound, o festival do Wilco, banda que deve vir ao Brasil em breve

>>

No último final de semana, a cultuada banda americana Wilco fez em Massachusetts mais uma edição de seu festival, o Festival do Wilco, ou Solid Sound. É um festival próprio mesmo, com assinatura. O Wilco tocou duas vezes nele, na sexta e no sábado. E botou no festival quem eles gostam, produzem, tocam como abertura deles, banda de amigos.

Uma infiltrada da Popload esteve por lá. A Mariana Neri, fanzoca de Wilco, que levanta a bandeira todos os dias para que eles venham ao país, relata abaixo suas impressões em textos, fotos e vídeos, mostrando como é esse festival, com a visão lá de dentro.

A primeira coisa que a gente pensa quando chega em North Adams, Massachusetts, é “por que será que o Wilco resolveu fazer o festival aqui?”. Afinal a cidade é minúscula, não tem nem 15 mil habitantes e parece mais um lugar cenográfico… Mas é só o festival começar que você entende que faz parte da experiência low profile e combina muito com o ritmo do festival, bem mais calmo que os festivais de verão que a gente conhece e com público que vai dos 6 meses aos 60 anos.

O festival é realizado no MASS MoCA, uma fábrica abandonada que virou museu de arte contemporânea e tem tudo a ver com a proposta da banda de unir arte e música num só lugar.
Além dos shows e das exposições do museu há instalações de integrantes do Wilco, feitas especialmente para o festival. Neste ano a mais concorrida foi a The Loft, um ambiente que simulava o loft/estúdio da banda, com guitarras e camisas expostas (o famoso nudie suit usado na turnê de 2009 também estava lá!).

O primeiro dia foi calmo com apenas quatro atrações: os novatos do White Denim (que abriram alguns shows do Wilco no ano passado e em breve lançarão disco produzido pelo “boss” Jeff Tweedy), os veteranos do The Relatives, o já citado show de covers do Wilco e o grupo Yo La Tengo tocando ao vivo a trilha do documentário “The Love Song of R. Buckminster Fuller”. Foi o melhor dia para ver as instalações e conhecer melhor o museu. O clima estava tão tranquilo que você podia sentar na mesa ao lado de Susan Tweedy (a mulher do Jeff) e dos Yo La Tengos tomando sorvete.

No sábado foi engraçado perceber que, enquanto os “tios” se empolgavam nos shows do Yo La Tengo e Low, os jovens pi-ra-vam na apresentação do Foxygen (eles cancelaram alguns shows da Europa mas mantiveram esse do Solid Sound… chupa, Primavera!). Aliás, o duo californiano causou no festival: um deles subiu na estrutura do palco e foi arrancado de lá por um segurança e outro, dizem as más-línguas, foi expulso no final da noite por estar caindo de bêbado. Jovens…

O Wilco fechou o segundo dia com seu show “normal”, que fez menos sucesso que o do dia anterior, mas agradou os mais fanáticos, ressuscitando velharias da fase pré-“Yankee Hotel Foxtrot” como “Forget the Flowers”, “She’s a Jar”, “Candyfloss” e “Sunken Treasure”.

O último dia começou com a The Blisters, cujo baterista é Spencer Tweedy, o filho mais velho de Jeff. O pai não fez participação especial mas, apesar do nervosismo no início do show, eles deram conta do recado e apresentaram as músicas do disco recém-lançado “Finally Bored”.

Foi o melhor dia para tietar os Wilcos, já que quase todos estiveram presentes com os projetos paralelos e também na tenda de autógrafos (só Jeff não apareceu por lá). Finalmente foi possível perguntar quando o Wilco tocará novamente no Brasil e a resposta foi que “provavelmente ficaria para o ano que vem”, mas pelo visto vontade é o que não falta:

Pat Sansone e Glenn Kotche acabaram entregando que devem tocar em terras brasileiras com o Autumn Defense e o On Fillmore, respectivamente, entre o final de 2013 e o início de 2014

Os Mutantes representaram bem o Brasil no festival e os gringos ficaram bastante animados com o show, mesmo debaixo de um sol escaldante. O encerramento ficou com o trio de jazz Medeski Martin & Wood que chamou Jeff Tweedy e Nels Cline para cantar uma música do Wilco com eles.

Para o Tweedy, foi a maior e melhor edição do festival até agora e, se você é mesmo apaixonado pelo Wilco, não pode perder os próximos!

Wilco fazendo Daft Punk. Wilco fazendo Pavement. E Beatles e Stones. O show todo do Wilco fazendo outras bandas, para baixar

>>

* Neste final de semana, desde sexta, a cultuada banda americana Wilco fez em Massachusetts mais uma edição de seu festival, o Festival do Wilco, ou Solid Sound. É um festival próprio mesmo, com assinatura. O Wilco tocou duas vezes nele, na sexta e no sábado. E botou no festival quem eles gostam, produzem, tocam como abertura deles, banda de amigos.

A Popload tem uma infiltrada no Solid Sound, a Mariana Neri, fanzoca de Wilco, que ainda vai contar aqui tudinho sobre como é esse festival, com visão de dentro.

Por enquanto, a gente destaca, primeiro, que na sexta-feira o Wilco foi o destaque fazendo um show de covers: foram 27 músicas de outros tocadas por quase duas horas e meia por Jeff Tweedy e banda, fora zoadas e repetições, num setlist escolhidos por fãs através do site do festival. Rolou desde os “normais”, como Beatles, Neil Young, Television, Grateful Dead e Stones, até coisas como Abba, “Get Lucky”, do Daft Punk, “Cut Your Hair”, do Pavement, e “Roadrunner”, hino do Modern Lovers.

Segundo: o Wilco botou TODO esse set à disposição para download nesta página aqui

Enquanto você baixa, veja os vídeos de Wilco fazendo o Daft Punk e o Wilco fazendo o Pavement. Muito bom.

Embaixo dos vídeos, o setlist completo do show de covers.

Setlist:
[Total Time 2:25:00]
01 The Boys Are Back in Town [Thin Lizzy]
02 Cut Your Hair [Pavement]
03 In the Street [Big Star]
04 New Madrid [Uncle Tupelo]
05 Dead Flowers [Rolling Stones]
06 Simple Twist of Fate [Bob Dylan cover]
07 [John Hodgeman – the Randomizer 1]
08 Ripple [Grateful Dead]
09 Who Loves the Sun [Velvet Underground]
10 And Your Bird Can Sing [The Beatles]
11 And Your Bird Can Sing [repeat]
12 Psychotic Reaction [Count Five]
13 [John Hodgeman – the Randomizer 2]
14 Tom Courtenay [Yo La Tengo]
15 [John Hodgeman – the Randomizer 3]
16 James Alley Blues [Richard Rabbit Brown]
17 Waterloo Sunset [Kinks]
18 Waterloo [ABBA]
19 Peace Love and Understanding [Nick Lowe]
20 [John Hodgeman – the Randomizer 4]
21 Marquee Moon [Television]
22 [Happy Birthday to Pat Sansone]
23 Don’t Fear The Reaper [Blue Oyster Cult]
24 Cinnamon Girl [Neil Young]
25 [Stump the Band]
26 Get Lucky [Daft Punk]
27 Surrender [Cheap Trick]
28 Color Me Impressed [Replacements]
29 [John Hodgeman – the Randomizer 5]
30 Kingpin
31 Thank You Friends [Big Star]
32 [encore break]
33 The Weight [The Band]
34 Roadrunner [The Modern Lovers]

notes
Track 14 performed with Yo La Tengo
Track 17 and 18 with Lucius
Track 28 with Tommy Stinson
Track 33 with Lucius
Track 34 with Yo La Tengo

** As duas fotos deste post são da Mariana Neri.

>>