Em sparklehorse:

Após lançar disco de raridades, METZ oferece de graça três covers, incluindo uma para “M.E.”, do Gary Numan

>>

Trupe canadense que é adorada pela turma mais roqueira pelos lados da Inglaterra, o METZ anda desovando gravações que até então estavam engavetadas neste ano.

Mês passado, o grupo lançou “Automat”, um disco que junta raridades e canções lado-b, gravadas a partir de 2009. Na época do lançamento, o vocalista Alex Edkins disse que a banda sempre esteve fazendo música em um ritmo frenético nos últimos 10 anos, mas que nunca tirou tempo para poder “olhar para trás” no que eles vinham fazendo. “Com o álbum,é uma oportunidade de dar uma pausa, respirar, e dar uma olhada no que já fizemos. É uma carta aberta de amor pelos lugares incríveis por onde passamos e as pessoas maravilhosas que conhecemos”.

Acontece que, além do disco em si, o METZ soltou em sua versão vinil um material bônus em 7″ com três covers: “Pig”, do Sparklehorse, que já havia saído em um lançamento no Record Store Day, “I’m a Bug”, cover do Urinals, e ainda “M.E.”, cover inédita do icônico Gary Numan.

As três faixas estão disponíveis, também, de forma gratuita nos canais da banda na internet e podem ser conferidas abaixo. O grupo também trabalha em seu próximo disco de inéditas, sucessor de “Strange Peace”, lançado em 2017.

>>

Por um motivo sério e nobre, Phantogram lança uma música inédita e uma cover do Sparklehorse

>>

210518_phantogram2

Duo formado por Sarah Barthel e Josh Carter, o Phantogram resolveu lançar duas músicas com rendas revertidas para a American Foundation for Suicide Prevention (AFSP) que, como o nome diz, é uma instituição que visa auxiliar na prevenção de suicídios, prática infelizmente cada vez mais comum no mundo de hoje.

O duo de Nova York preparou uma nova música, “Someday”, e ainda uma cover do Sparklehorse, “Saturday”. A cover não foi escolhida por acaso, uma vez que o Sparklehorse era um projeto liderado pelo saudoso Mark Linkous, que se suicidou com um tiro no peito, em 2010.

A vocalista Sarah Barthel também precisou conviver com um suicídio na família recentemente. Sua irmã Becky se suicidou na época em que o Phantogram estava produzindo seu terceiro disco, “Three”, lançado em 2016. “Praticamente todas as canções daquele disco foram inspiradas ou sofreram mudanças de alguma forma a partir da morte da Becky”, contou a cantora, em comunicado.

As duas canções podem ser ouvidas abaixo.

>>

Mark Linkous para sempre. Estrelas do indie fazem homenagem ao Sparklehorse

>>

121113_mark1

Muita gente boa está envolvida em um justo e merecido projeto que envolve o nome do grande Mark Linkous, mente brilhante e perturbada do Sparklehorse, que tirou sua própria vida em 2010 depois de anos tendo que conviver com problemas de saúde que se iniciaram em 1996, quando o músico teve um ataque cardíaco e morreu por dois minutos após ingerir uma grande quantidade de álcool, Valium e antidepressivos. As sequelas do ataque cardíaco, que o deixou inconsciente por 14 horas, afetaram a circulação de suas pernas, o que o obrigou a realizar umas sete cirurgias. Linkous, enfim, cansou e descansou há três anos e deixou sua cultuada obra como legado.

121113_mark2

Tanto que existe uma campanha para que em breve seja lançada “Last Box of Sparklers”, uma coletânea que reúne nomes como Mark Lanegan, The Flaming Lips, Portugal. the Man, Joy Formidable e outros interpretando canções do Sparklehorse. A iniciativa é da Box of Stars, entidade que combate e auxilia no tratamento de pessoas com problemas mentais. O lançamento do projeto será feito via crowdfunding e precisa que sejam arrecadados 50 mil dólares até dia 22/11. Até agora a renda é de quase 20 mil. Para participar do projeto, é só acessar o indiegogo.com.

Mark Lanegan emprestou sua voz cavernosa e diferenciada para a faixa “Spirit Ditch”. A produção do álbum é assinada por Dave Fridmann (Flaming Lips, MGMT, Mercury Rev) e Marc Fuller.

>>