Em stephen colbert:

Beirut levanta a bandeira do indie fofo em rede nacional e divulga novo disco no programa do Colbert

>>

110219_beirut2

O fofo Beirut está retomando suas atividades e já está com o pé na estrada para divulgar seu lindo “Gallipoli”, disco com 12 canções novinhas lançado há pouco mais de uma semana.

Zach Condon levou sua trupe recentemente ao programa de Stephen Colbert, onde mostraram a canção que dá título ao projeto. Eles começam nesta semana uma turnê mundial a partir da América do Norte, que inclui também datas pela Europa até o mês de julho.

“Gallipoli”, quinto álbum de estúdio do grupo, é considerado uma espécie de volta às raízes, com sonoridade e até métodos de gravação que se assemelham com os primeiros discos do Beirut. Zach, inclusive, contou que compôs todo o trabalho em seu velho órgão Farfisa, o mesmo que ele usou nos dois primeiros discos.

A apresentação na TV pode ser conferida abaixo.

>>

Run the Jewels dá uma desacelerada em performance dedicada aos que “perderam a vida cedo”

>>

270418_rtj2

O matador duo Run the Jewels, formado pelos incansáveis Killer Mike e El-P, esteve nesta semana no programa do Stephen Colbert para mais uma aparição cheia de classe em divulgação do último álbum deles, “Run the Jewels 3”.

Acostumados a oferecer performances matadoras, desta vez a dupla deu uma desacelerada e fez um hip-hop mais, hmmm, melódico, sem perder a intensidade. Eles tocaram a boa “Thursday in the Danger Room”, a qual El-P dedicou “a todos que perderam suas vidas cedo”.

Nas últimas semanas, a dupla andou abrindo shows da boneca Lorde na América do Norte. No dia 30 de junho, eles serão uma das atrações de abertura do show do Queens of the Stone Age no Finsbury Park, em Londres, ao lado de nomes como Iggy Pop, The Hives, Brody Dalle, Miles Kane e Deap Vally.

>>

As novas dancinhas de David Byrne invadiram a TV americana. No fim do mês será a vez do Brasil

>>

120318_byrne2

Na última sexta-feira, o gênio David Byrne lançou oficialmente “American Utopia”, o seu primeiro disco solo em 14 anos, que fará o cultuado músico sair em turnê pelo mundo, com o Brasil na rota logo no início, no fim deste mês.

Para divulgar o álbum, Byrne esteve com sua banda descalça no programa de Stephen Colbert e deu uma pequena amostra de como será seu aguardado novo show, que ele tem dito ser um dos mais legais que já criou.

Há alguns dias, ele disse que a ideia é focar na banda, não no cenário, e que seu objetivo é fazer com que sua banda de 12 pessoas seja “móvel”, dando dinâmica à apresentação, em vez de fogos de artifício e plataformas diferenciadas no palco.

De fato, a apresentação artsy no Colbert seguiu essa linha. Byrne e seus companheiros de grupo andaram por todo o palco, inclusive ficando ao redor do apresentador. Os passos e dancinhas poderão ser vistos de perto no Lollapalooza em Interlagos na sexta, dia 24 de março. Byrne também tocará em Curitiba (Teatro Positivo, dia 26), Rio (KM de Vantagens Hall, dia 28) e BH (KM de Vantagens Hall, dia 29).

>>

Who hurt you, Sadboy? Wolf Alice leva um pouco da vibe sombria britânica para a América

>>

041217_wolfalice2

Olha só a Ellie gritando nos Estados Unidos. Divulgando seu bem bom “Visions of A Life”, o Wolf Alice pisou no palco do Stephen Colbert para mostrar a nova música de trabalho, “Sadboy”, uma das mais viajadas que o grupo inglês já gravou até hoje.

Ellie, com seu visual dark, mistura momentos de euforia e reclusão na faixa que é toda quebrada e de instrumental redondinho por parte da banda.

“Visions of A Life”, o álbum lançado em 2017, mostra a nítida evolução musical da banda que pintou como um suspiro grunge no meio da inglesada, mas que aos poucos foi adicionando inspirações em outros estilos como o próprio shoegaze britânico em sua sonoridade.

Curtimos sempre.

>>

Liam Gallagher faz estreia solo na TV americana e promete aposentadoria se seu disco flopar

>>

150817_liamgallagher

Seguimos no ritmo de um post por dia sobre Liam Gallagher. O ex-Oasis vai lançar em 6 de outubro seu disco de estreia, “As You Were”, e espera que o disco faça sucesso. Caso contrário, vai se retirar da música.

Tudo bem que às vezes não dá para levar o Liam muito a sério, mas a declaração foi dada ao Daily Mail. “Se o álbum flopar, não terei motivo algum para fazer outro. Não vale a pena percorrer rodas de entrevistas e turnês se ninguém quiser ouvi-lo. Sair em turnê é dificilmente, especialmente na minha idade e se ninguém aparecer. Não dando certo, farei outra coisa”, contou.

O irmão do Noel também contou que não mudará seu estilo para apenas continuar no mercado. “Sempre vou poder escrever música em minha própria casa, por prazer. Não vou mudar o estilo, não vou fazer uma porra de uma música EDM para fazer parte desse movimento e ficar no centro das atenções”, garantiu o Gallagher caçula, que disse ter consciência que “muitas pessoas vão odiar o disco sem ouvi-lo, pelo simples fato de ser um disco dele”, mas que aposta que “voltará mais forte do que nunca”.

Os primeiros passos indicam que Liam está, mesmo, voltando aos bons dias. Ele recentemente fez sua estreia solo em rede nacional nos EUA e mostrou dois singles no programa de Stephen Colbert, “Wall Of Glass” e a nova e linda “For What It’s Worth”.

Vale lembrar, sempre, que Liam Gallagher será uma das atrações do Lollapalooza Brasil em 2018, no Autódromo de Interlagos, junto com LCD Soundsystem, The Killers, Pearl Jam, The National e muito mais.

>>