Em Stuart Murdoch:

Stuart Murdoch na área. Belle & Sebastian divulga mais uma canção da trilha de “Days of the Bagnold Summer”

>>

belleandsebastian

Na sexta-feira da semana que vem, 13, o lindo Belle and Sebastian lançará a trilha sonora de “Days of the Bagnold Summer”, premiada história em quadrinhos de Joff Winterhart, que vai virar filme.

Depois de “Sister Buddha”, Stuart Murdoch e seus amigos fizeram conhecer outro single do projeto, chamado “This Letter”.

A obra para os cinemas, dirigida por Simon Bird, também estreia em 13 de setembro. A trilha conta com 13 canções, 11 delas novinhas, e ainda versões regravadas de “Get Me Away From Here I’m Dying” (1996) e “I Know Where The Summer Goes” (1998).

Podemos dizer que o B&S tem passado por uma fase prolífica na carreira. Ano passado eles lançaram uma trilogia de EPs, “How to Solve Our Human Problems”.

>>

Uma session linda (e tensa) do Belle & Sebastian nos EUA. Mas sem o baterista, que foi esquecido no supermercado. E um pequeno detalhe que ninguém reparou nessa história toda…

>>

belleandsebastian

A melhor história da semana, se não for a do ano, da vida! Parece piada ou notícia do finado EGO, tipo “Bombom esquece as filhas no churrasco”, mas aconteceu e é real e é com uma das nossas bandas mais queridas, o Belle & Sebastian. Nunca a banda esteve em tantos sites (de notícias e de música) ao mesmo tempo e por tanto tempo e apesar da tensão envolvida, a gente riu muito com as manchetes que a confusão rendeu. Ontem, dois dias após o ocorrido, a matéria ainda estava na lista de “mais lidas”, como o vocalista Stuart Murdoch mesmo destacou:

Em turnê pelos EUA, a banda estava a caminho de Saint Paul, no estado de Minnesota, onde faria uma session na tradicional rádio The Current e um show à noite. Acontece que, lá pelo meio do caminho, perto da “mítica” cidade de Fargo (tinha que ser), em North Dakota, o ônibus fez uma parada estratégica no Wallmart.

Stuart Murdoch saiu do supermercado enquanto Richard Colburn, o baterista, entrava. Richard acenou para Stuart todo alegre, só para nunca mais ser visto. O ônibus partiu na boa, deixando Colburn de pijama (!!), sem passaporte e sem celular, no estacionamento do lugar. Crente que a banda notaria a sua ausência, ele ficou lá pacientemente por quatro horas. Até que desistiu, andou até um hotel e dormiu por lá (ele estava apenas com um cartão de crédito). O auê foi tamanho que a história dos escoceses se metendo em altas confusões na América foi parar até no discurso de abertura do programa do Jimmy Fallon, ontem.

A banda só se deu conta que o baterista havia sumido no dia seguinte, quando acordou para a session na rádio:

Stuart pediu ajuda nas redes sociais, movimentando uma porção de gente que se oferecia para dar carona ao integrante abandonado. Felizmente, o tour manager (com seu emprego correndo risco) conseguiu convencer uma companhia aérea local de aceitar o baterista no vôo sem lenço e documento (e naqueles trajes). Colburn chegou a tempo do show e a história teve um final feliz:

A session, no entanto, foi sem baterista mesmo e no calor do momento. Stuart explica para a apresentadora Mary Lucia que como a banda é muito grande, eles costumavam ter um sistema para que ninguém se perdesse nas turnês. Mas como hoje todo mundo tem celular, esse sistema foi ficando cada vez mais ultrapassado e eles se tornaram “blasé” em relação ao método de contagem. Melhor mesmo é você ver e ouvir o próprio, com esse sotaque delicioso, descrevendo o ocorrido:

***
E abaixo, a session completa com mais entrevista e três músicas ao vivo! E uma revelação?

Quando perguntado sobre o que anda lendo, Murdoch diz: “How To Solve Our Human Problems, livro de Geshe Kelsang Gyatso. É um título bastante ingênuo, mas alguma coisa nesse livro me marcou tanto que vamos emprestar esse título para o nosso próximo disco”.

WHAAAT? Este trecho está no 06:18, presta bem atenção…
***

B&S – The Current Session

** No mês passado, o Belle & Sebastian liberou uma música nova, a primeira em dois anos. “We Were Beautiful” foi produzida pelo músico Brian McNeill, um dos integrantes da banda, e pode ser ouvida abaixo:

>>

O agitado ano novo do Belle and Sebastian (e o disco de inéditas na área)

>>

281014_bs2

Esqueça toda a fofurice naturalmente ligada ao grupo escocês Belle and Sebastian. 2015 vai ficar conhecido como o ano em que os escoceses resolveram jogar tudo para o alto e cair na pista de dança.

Stuart Murdoch meio que chocou o mundo indie (hehe) no fim do ano passado quando apareceu com o single “The Party Line” como cartão de visitas de “Girls in Peacetime Want To Dance”, álbum previsto para ser lançado oficialmente no próximo dia 20 de janeiro.

Foi difícil acreditar que a ótima “The Party Line” fosse mesmo do B&S no começo. Não pelo fato de ser ótima, óbvio, mas sim por levar a banda para um caminho que era meio difícil de se imaginar, de se trocar o tradicional assobio pela pista de dança. Com produção de Ben H. Allen III, que já trabalhou com nomes relevantes do indie, tipo Deerhunter, Washed Out e Animal Collective, o álbum terá 12 faixas e será o primeiro de inéditas dos escoceses em praticamente cinco anos. O disco mais recente deles, de inéditas, é “Write About Love”, lançado em 2010.

A boa notícia além do lançamento em si é que o registro já está entre nós e a Popload vai destacar ainda hoje algumas faixas do álbum. Tipo a ANOS 80 “Enter Sylvia Plath”, abaixo.

O selo deles, o cool Matador, mostrou em seu Instagram as caixas de vinis especiais que chegaram ao escritório deles em Nova York, hoje. A banda também mostrou o álbum “físico” em um aparelho de som.

060115_belle2

** O novo ano tem tudo para ser agitado para os escoceses. Além do disco de inéditas, a banda comemora em 2015 seus quase 20 anos de carreira. Este é o nono exemplar de fofurice-agora-dançante-escocesa em forma de álbum e chega ao mercado depois do B&S prestar serviços em algumas trilhas de filmes indie-fofos, incluindo o brasileiro “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”.

O pequeno gênio Stuart Murdoch também lançou seu próprio musical – God Help The Girl – que apesar de ser musical (o que pode assustar de cara), é uma das surpresas do ano. Vale lembrar que o filme virou banda e disco antes de ir para as telas.

060115_belle1

>>