Em supergrass:

Homem mais forte do mundo, Gaz Coombes anuncia álbum inspirado em Frank Ocean e Neu!. E na maconha da Califórnia

>>

110118_gazcoombes2

Lembra do Gaz Coombes, certo? Se não, a gente refresca a sua memória. Britânico nascido na região de Oxford, Gaz fez fama como líder do Supergrass, uma das bandas mais legais da cena indie inglesa dos anos 90, que fez seu barulho apesar de respirar uma mesma época de Oasis, Blur, Pulp e The Verve.

O Supergrass se separou em 2010 e deixou por finalizar o que seria o sétimo disco deles, “Release the Drones”. Há quem diga que eles ainda retornem um dia para finalizar esse “assunto mal resolvido”. Mas, enquanto isso não acontece, seus ex-integrantes continuam com suas carreiras musicais. Caso do Gaz.

“World’s Strongest Man” é a nova aposta do artista britânico, que não solta um disco solo desde 2015. Este novo projeto será lançado dia 4 de maio e foi inspirado, segundo ele, pelos álbuns “Descent of Man”, de Grayson Perry, e “Blonde”, do Frank Ocean. Outras referências do álbum são a maconha da Califórnia, as florestas inglesas, a masculinidade incontrolável (!), a banda alemã Neu! e o hip hop. Sério.

Junto com o anúncio, ele liberou o single “Deep Pockets”, que pode ser ouvido abaixo.

World’s Strongest Man – Tracklist
01. World’s Strongest Man
02. Deep Pockets
03. Walk The Walk
04. Shit (I’ve Done It Again)
05. Slow Motion Life
06. Wounded Egos
07. Oxygen Mask
08. In Waves
09. The Oaks
10. Vanishing Act
11. Weird Dreams

>>

CENA – Charly Coombes, inglês, lança “Run”, seu disco bem paulistano

>>

* É praticamente um CENA, vai. O cara é gringo, mas mora aqui em SP já tem um tempo. E criou seu novo álbum aqui. E toca por aqui. E produz bandas da CENA daqui. E fez música para a cidade. Então:

cena

O inglês Charly Coombes, multiinstrumentista radicado há três anos no Brasil e com nome ligado à cena britânica por entre outras coisas ser o irmão mais novo dos Coombes do Supergrass, lançou na última sexta-feira, via Spotify, seu terceiro disco, o belo e cheio de texturas “Run”.

“Run” vem expandir o alcance do britpop multifacetado de Coombes, que se lançou solo em 2013 com o debut “No Shelter”, que foi seguido por “Black Moon”, este já um disco “brasileiro” do músico.

CHARLY COOMBES-RUN-LO RES-2-3

Charly Coombes já havia lançado, no começo do mês, o single de “SPX”, sigla para “Sao Paulo Experiment”, em homenagem à cidade que virou sua cidade, talvez a música mais grandiosa do terceiro álbum, exaltamente para resumir o sentimento que o inglês tem da grandiosa São Paulo.

São Paulo, para Coombes, representa o que Berlim representou para seu conterrâneo David Bowie, quando o famoso ídolo morto recentemente foi viver tempos de experimentalismos na cidade alemã.

CHARLY COOMBES-RUN-DIGITAL COVER

“Run” obviamente esbarra no britpop, mas centra força em algo mais antigo que ele, pelo forte uso de sintetizadores. Tá mais para Duran Duran que para Oasis. O disco foi gravado em seu próprio estúdio, em sua casa, aqui em São Paulo.

Abaixo, você ouve “Run”, um álbum inglês, porém “nosso”.

** As fotos deste post e da home da Popload são de Rayana Coombes, brasileira, a mulher do músico.

>>