Em Temples:

Ainda o Glastonbury, com os shows incríveis de Royal Blood, Temples e Biffy Clyro

>>
GLASTONVIN3PQ
270617_temples

Aos poucos estão aparecendo os registros completos dos shows do Glastonbury que foram transmitidos apenas em rede para o Reino Unido. A BBC andou vetando geral, mas a internet está aí para dar seus pulos.

Em uma breve zapeada pelo YouTube, é possível ver que apresentações de bandas legais como Royal Blood, Temples e Biffy Clyro estão disponíveis, mas só Deus sabe até quando.

O Royal Blood recém lançou o disco “How Did We Get So Dark?”, com 10 faixas inéditas e um leque de influências, incluindo Rolling Stones, The Hives e Daft Punk. Já o Temples, banda liderada pelo excêntrico James Bagshaw, está na estrada divulgando o ótimo álbum “Volcano”, que chegou ao mercado em março deste ano. Os escoceses descamisados do Biffy Clyro estão nos palcos mostrando, ainda, sons do disco “Ellipsis”, este lançado há mais tempo, tipo um ano atrás.

As três apresentações na íntegra podem ser conferidas abaixo.

>>

Pare tudo o que você está fazendo para ouvir o possível melhor álbum do indie em 2017 (até agora): “Volcano”, do Temples

>>

100215_temples1

Há mais ou menos três anos, um quarteto de Ketterin, Inglaterra, aparecia para ajudar ao Tame Impala na missão de tornar o rock psicodélico cool novamente. Com “Sun Structures”, o incrível Temples logo ganhou as rádios alternativas e surgiu para o mundo.

Liderado pelo excêntrico James Bagshaw, o grupo inglês lança hoje seu segundo e esperado disco “Volcano”, puxado pelos singles “Certainty” e “Strange Or Be Forgotten”.

“Volcano” tem 12 faixas inéditas e possui um direcionamento sonoro mais “moderno”, de acordo com James em suas últimas entrevistas. Vamos ver qual é…

>>

Temples e suas músicas lindas. Conheça “Strange or Be Forgotten”

>>

temples

* A ensolarada banda indie-psicodélica inglesa está cada vez melhor. O grupo, um encontro entre The Horrors e MGMT, e que tem os melhores cabelos do rock britânico atual, vai lançar seu segundo álbum em março, chamado “Volcano”. No final do ano passado, mostraram o primeiro single, a fabulosa “Certainty”, uma das canções do ano, fácil. Agora, abrindo 2017, eles soltam essa belezura de nome “Strange Or Be Forgotten”, também do disco novo.

Ouvir Temples dá vontade de abraçar as pessoas. Sente essa sensação?

>>

Outra da KEXP – Temples toca cinco em session, inclusive a música do ano

>>

211216_tempels2

Uma das bandas mais incríveis desse psych-indie dos últimas anos, a inglesa Temples prepara para o início de 2017 seu novo disco. Dele, conhecemos apenas o delicioso single “Certainty”, talvez a melhor música que apareceu em 2016. Talvez.

O som, claro, psicodélico, tem um toque de twist dance e ficou ainda melhor ao vivo em performance para a rádio cool KEXP, de Seattle, espécie de meca da música alternativa americana, que abre espaço para bandas pequenas desde sempre, de todo lugar.

A session ainda contou com canções que já marcaram a curta carreira do Temples, tipo “Colours to Life” e “Keep In The Dark”. A performance completa pode ser acompanhada abaixo.

Setlist
Colours To Life
Certainty
Keep In The Dark
Roman Godlike Man
Shelter Song

>>

Depois de um temple (hummm), a banda britânica Temples volta com single delícia

>>

Temples-JPEG

* Banda-irmã do Tame Impala e do nosso Boogarins nas idéias e no zeitgeist psicodélico, a inglesa Temples andou dando uma acalmada no último ano e meio. Depois de ter estourado circa 2013 e 2014 com o primeiro disco e presença em muitos festivais grandes e médios e pequenos do planeta, os rapazes com os cabelos mais legais da música britânica anunciam agora o novo álbum, marcado para chegar no começo de 2017.

O aviso, oba-oba, vem em forma de música nova. Ouça a deliciosa “Certainty”, o primeiro single a sair do sucessor do bastante falado à época “Sun Structures”, o disco de estreia.

Digamos que é psicodélico, mas traz um “twist dance”. Talvez.

>>