Em the 1975:

Popnotas – O resgate do Cold War Kids, a Brittany Howard num santuário, o vídeo animado do No Rome e amigos você-sabe-quem. E o Tiny Bieber

>>

– Vale nestes tempos ficar de olho na Current, rádio indie de Minneapolis, Minnesota, que a gente gasta um tempo sempre que dá e tem umas sessions bem cabulosas. Como a produção nesta era pandêmica caiu bastante, eles têm rebuscado nos arquivos passagens de bandas ótimas pela emissora, como esta que eles postaram ontem no canal de Youtube deles. A banda Cold War Kids, ótima porém poderia ter ido mais longe, passou pela Current em 2017 para uma session de duas músicas, que a gente traz aqui. O grupo indie-soul, que havia explodido no novo rock uns dez anos antes, ia lançar seu sexto álbum, o “L.A. Divine” naquele abril de 2017 e umas semanas antes ia fazer um show esgotadaço em Minneapolis. Daí aproveitaram e mandaram “Love Is Mystical” e o hit “First”, do disco anterir, de 2014, nos estúdios da Current. Repara a missa acústica.

– Então. Se você quiser encarar, entrou agora há pouco na nobre série online Tiny Desk, da NPR, uma apresentação do… Justin Bieber, ele-mesmo. O rapaz canadense, brother do Drake e de muita gente boa do hip hop americano por suposto, vai lançar nesta sexta mais um disco, seu sexto, chamado “Justice”. Em seu Tiny Desk, num ambiente tiny mesmo, até, Bieber tocou algumas músicas de seu novo álbum, abrindo a história com “Holy”, parceria sua com o Chance The Rapper. Ainda teve “Peaches”, “Hold On”e “Anyone”, tudo do disco que sai depois de amanhã. Tudo aqui, para sua apreciação. Se pans.

– Na possibilidade de encontrar a galera para gravar vídeo, vamos de animação. Foi o que o talentoso músico filipino novinho, por ora inglês, No Rome fez para dar visual à esperta canção que lançou recentemente, muito bem acompanhado. No Rome, como demos aqui, armou tipo um supergrupo com Charli XCX e The 1975 para o single “Spinning”. Que, parece, vai virar grupo meeeeesmo. Dizem. Mas, de todo modo, o álbum próprio do No Name está sendo planejado para sair em novembro deste ano. Estamos esperando já.

– No maior gerador de som ao vivo diárias da história da música, os programas de entrevistas noturnos, ontem foi a vez de termos Brittany Howard (foto na home) tocando para o Jimmy Kimmel. Aqui cabe falarmos que o conceito de “ao vivo” nos dias de hoje não significa “ao viiiiiiivo”, propriamente. É o tal de gravamos ao vivo e enviamos para você. Nessas, o Jimmy Kimmel chamou a brilhante Brittany, muito conhecida por ser a cantora do Alabama Shakes, para mandar sua participação solo, que foi exibida na noite passada. Ela cantou ” Short and Sweet”, canção lindaça de seu primeiro disco fora do Alabama Shakes, sob seu nome, de lááá de 2019, chamado “Jaime”. Uma maravilha gravada em um santuário no Tennessee.

>>

Rina Sawayama lança versão deluxe de seu disco lindo de estreia. Inclui inéditas, bônus, cover, The 1975, a Pabllo, todo mundo

>>

* Em uma autocelebração merecidíssima, a bombada cantora nipobritânica Rina Sawayama lança a versão deluxe do querido “Sawayama” seu álbum de estreia, lançado em abril e um dos discos do ano. Se você não notou ainda, note que dá tempo. Dezembro tem ainda uns 25 dias e dá para dar uma seguradinha na sua lista.

“Sawayama” é o álbum mais eclético (e ainda assim coeso) de 2020, dizem as grandes vozes dessa música nova feita dentro do que possamos chamar de “crossover entre o indie e o pop”.

Esta versão deluxe que foi atirada aos fãs devoradores nesta meia-noite que passou apresenta, ATENÇÃO: o hit “Lucid”, parceria com BloodPop que é puro EDM anos 2010; uma cover da banda The 1975 (“Love It If We Made It”); remixes (incluindo aquele com a nossa Pabllo!!!); algumas acústicas; e duas faixas bônus.

rina1

Não que a gente saiba o que esperar de um álbum deluxe – que hoje em dia nada mais é que reciclagem para ganhar stream –, mas o “Sawayama Deluxe” vai bem na proposta. Com as novas faixas, Rina lembra por que ela é a popstar-alternativa que até o Elton John parou para bater palma. Você pode não amar uma ou outra música, mas entende o potencial do negócio.

No meio de todas as delícias que o deluxe traz, destaque para “Bees & Honey”, que abre lembrando as clássicas da Charli XCX e depois mergulha em várias camadas de guitarra.

Dá vontade de ouvir ao vivo. Lembra o que era um show?

****

* A gente vai voltar hoje ainda a Sawayama, POIS o vídeo oficial de “Lucid” estreia logo mais, 15h. Até logo!

** A foto que abre o post é de ontem, da Rina em frente a um cartaz num muro em Camden Town, Londres. O que tem no cartaz?

*** A imagem de Rina Sawayama usada para a chamada deste post na home da Popload é de Jess Fahan, para a incrível revista “DIY”.

>>

Com a Greta Thunberg, FKA twigs, Phoebe Bridgers e até o pai do Matty Healy, The 1975 solta novo disco para mostrar que é grande

>>

250719_1975

Quem muito fala, tem que provar. E é com isso que a banda britânica 1975, de Manchester (hmmm…) tem que lidar a partir de hoje, já que eles acabaram de lançar o esperado quarto álbum “Notes on a Conditional Form”, tratado pelo próprio grupo como o melhor da carreira até agora, que elevará os britânicos ao status de “banda grande”.

Apresentado por singles fortes como “People” e “Frail State of Mind”, que têm tocado bastante nas rádios gringas nos últimos meses, o projeto inclui também a inusitada faixa “The 1975”, que abre o disco, e é baseado no discurso da ativista sueca Greta Thunberg, feita no World Economic Forum, no início de 2019, gravado em Estocolmo.

Durante a quarentena, o vocalista doidinho Matty Healy lançou uma série de podcasts em parceria com a revista inglesa The Face. Como parte de um “take over” do magazine, Matty faz uma série de bate-papos legais com seus heróis musicais. E já passaram por lá gente pouco conhecida, tipo Bobbie Gillespie (Primal Scream), Kim Gordon (Sonic Youth), Stevie Nicks (Fleetwood Mac), Conor Oberst (Bright Eyes) e Brian Eno, entre outros.

“Notes on a Conditional Form” é o sucessor do badalado A Brief Inquiry Into Online Relationships, que saiu em 2018. FKA Twigs, Phoebe Bridgers e até do pai de Matty, o ator Timothy Healy, estão entre os convidados.

>>

Às vésperas de soltar o disco novo cheio de hype, The 1975 mostra vídeo estilo session da punk “People”

>>

200520_the1975_2

Em meio à pandemia, será lançado nesta sexta-feira o aguardado “Notes on a Conditional Form”, o quarto e novo disco do grupo inglês The 1975, que está projetando dar um passo maior na carreira.

Às vésperas do lançamento, a turma liderada pelo vocalista doidinho Matt Healy soltou um vídeo estilo session do canção “People”, o single “punk” que abriu o papo em cima do álbum de forma meio chocante no segundo semestre do ano passado. Eles citam o Primal Scream como referência.

O projeto inclui também a faixa “The 1975”, a de abertura do disco, que na verdade é um discurso da ativista sueca Greta Thunberg, feita no World Economic Forum, em janeiro de 2019, gravado em Estocolmo.

“Notes on a Conditional Form” será o sucessor do badalado “A Brief Inquiry into Online Relationships”, que saiu em 2018.

>>

The 1975 solta “Me & You Together Song”, mais uma música do disco que está com lançamento atrasado

>>

301118_1975

A atirada banda inglesa The 1975 continua dando pílulas do que será seu novo disco, embora este “Notes on a Conditional Form” tem previsão de sair só em abril, dois meses depois do previsto.

O grupo de Manchester aproveitou a ocasião de anúncio de sua nova turnê pela América do Norte para soltar uma nova música, “Me & You Together Song”.

A faixa é a quarta divulgada até o momento e sucede “Frail State of Mind”, “People” e “The 1975”. O novo disco estará nas lojas dia 24 de abril. Três dias depois, eles iniciam um rolê pela América em Houston.

>>