Em the cure:

Robert Smith atualiza status do novo disco do The Cure: já está sendo gravado

>>

200319_thecure2

Um dos mais seminais grupos que já pisaram na Terra, o The Cure terá um 2019 especialíssimo. Além de estar escalada em diversos festivais do próximo verão, a banda de Robert Smith fará shows especiais dos 30 anos do discaço “Disintegration”, no fim de maio, na Austrália.

Fora isso, a trupe inglesa vai lançar um novo disco de inéditas, o primeiro desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008.

Em entrevista à rádio 5FM, Smith atualizou o panorama das gravações: “Já foram iniciadas, mas não finalizadas. Estamos gravando nosso primeiro álbum em 10 anos”, destacou. No fim do ano passado, Robert disse na SiriusXM que a previsão era de que eles precisariam de mais ou menos seis semanas para gravar o projeto.

Aguardando, Smith.

>>

Eita! Além do disco novo este ano, The Cure arma quatro shows na Austrália para comemorar os 30 anos do clássico “Disintegration”

>>

260618_robertsmith_slider

O ano de 2019 tem tudo para ser especial para o seminal The Cure. Além de um aguardadíssimo disco de inéditas e um rolê por cerca de 20 festivais pela Europa no meio do ano, a banda de Robert Smith está preparando uma celebração acerca de um de seus grandes álbuns.

O discaço “Disintegration”, oitavo de estúdio deles, será tema principal de uma série de shows na pomposa Opera House de Sydney, na Austrália, nos dias 24, 25, 27 e 28 de maio, talvez o lugar mais bonito de show no planeta.

O maravilhoso álbum, que completa 30 anos agora em 2019, será tocado na íntegra. Os shows contarão, também, com performances de sons mais raros que o grupo não costuma tocar ao vivo.

Indicado ao Hall da Fama do Rock neste ano, o Cure prepara para algum momento do ano o lançamento de seu novo disco. Ano passado, em entrevista à BBC 6 Music, Roberth Smith confirmou que havia alugado um estúdio porque havia recuperado a vibe de escrever novas canções. O novo álbum será o primeiro deles desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008.

E, SIM, o Brasil tem tentado desde o ano passado se encaixar na agenda “in progress” da banda. Uma hora deve rolar um anúncio concretizado disso por aqui.

>>

Os álbuns mais esperados de 2019. Parte 1/6: THE CURE

>>

discos_thecure

E aí, tudo bem? Vamos começando 2019 na maciota, mas falando de coisas boas que estão por vir.

De hoje até sexta agora, vamos falar de seis (na verdade, sete) discos prometidos para 2019 e que desde já começam a mexer com nosso inconsciente sonoro.

O primeiro lançamento que a gente fala neste 2019 é o novo e aguardadíssimo disco do THE CURE.

Ano passado, o gênio Robert Smith foi o curador do Meltdown, festival que durou mais de uma semana em Londres, com nomes como Nine Inch Nails, My Bloody Valentine e Death Cab For Cutie.

Acontece que a curadoria inspirou Smith a voltar a escrever.

Em papo na BBC 6 Music à época, Smith confirmou que alugou um estúdio em que o Cure gravaria as demos dessas suas novas músicas. “Instantaneamente me apaixonei com a ideia de escrever novas canções”.

Indicados ao Hall da Fama 2019, o Cure já armou diversos shows em festivais no meio do ano. O novo álbum será o primeiro deles desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008.

>>

De lá para cá, daqui para lá: The Cure revisita todos os seus discos em show especial na Inglaterra

>>

Foto: Jim Dyson/Getty Images

Foto: Jim Dyson/Getty Images

No último domingo, o seminal The Cure fechou a programação do Meltdown Festival, que neste ano teve curadoria de Mr. Robert Smith. E o show, claro, foi no mínimo especial.

O Cure encanou de tocar músicas de todos os seus discos e dividiu a apresentação em duas. A primeira, chamada “From There To Here”, contou com uma música de cada um de seus 13 álbuns em ordem cronológica, do começo de carreira até os dias atuais, culminando na não lançada “It Can Never Be The Same”. Já a segunda parte, “From Here To There”, aconteceu em ordem inversa, partindo da mais recente música deles que se tem notícia, “Step Into The Light”, de 2016, e terminando na clássica “Boys Don’t Cry”.

Em maio passado, Smith confirmou para a BBC 6 Music que alugou um estúdio para os próximos meses onde o Cure começaria a gravar demos de músicas novas e que o festival o encorajou a criar material novo. “Instantaneamente me apaixonei com a ideia de escrever novas canções”, disse ele. Dia 9 de julho o Cure completará 40 anos de estrada. Eles farão um show no Hyde Park em comemoração.

Setlist
From There to Here
Three Imaginary Boys
At Night
Other Voices
A Strange Day
Bananafishbones
A Night Like This
Like Cockatoos
Pictures of You
High
Jupiter Crash
39
Us or Them
It’s Over
It Can Never Be the Same

From Here to There
Step Into the Light
The Hungry Ghost
alt.end
The Last Day of Summer
Want
From the Edge of the Deep Green Sea
Disintegration
If Only Tonight We Could Sleep
Sinking
Shake Dog Shake
One Hundred Years
Primary
A Forest
Boys Don’t Cry

>>

Aconteceu em Londres: The Libertines toca The Cure em festival do Robert Smith

>>

Fotos: GETTY

Fotos: GETTY

Neste final de semana, se iniciou em Londres o Meltdown, festival que acontece nos arredores de Southbank Centre, em Londres, e que tem como curador deste ano nada menos que Mr. Robert Smith, do The Cure.

Uma das atrações do evento, o Libertines, mesmo longe de seus tempos áureos, fez uma cover honesta para o hit “Boys Don’t Cry” em homenagem ao anfitrião do evento.

Outras atrações do Meltdown escolhidas a dedo pelo líder do Cure são Nine Inch Nails, Placebo, Mogwai e Manic Street Preachers.

The Libertines – setlist
The Delaney
Fame and Fortune
Heart of the Matter
Barbarians
Boys In The Band
What Katie Did
You’re My Waterloo
Gunga Din
Can’t Stand Me Now
The Boy Looked at Johnny
Death On The Stairs
Vertigo
Boys Don’t Cry (The Cure cover)
Time For Heroes
Up the Bracket
What A Waster

Bis:
Music When the Lights Go Out
The Good Old Days
Horrorshow
Don’t Look Back Into the Sun

>>