Em the cure:

Direto da Holanda, parte 2 – Quinze minutinhos do The Cure, em vídeo profissional, tocando “A Forest”, “Lullaby” e “aquele” hit. Que tal?

>>

Foto: Ben Houdijk

Foto: Ben Houdijk

A exemplo do Cage The Elephant, quem também passou recentemente pelo festival holandês Pinkpop, na condição de uma das principais atrações, foi o seminal e cada vez mais presente The Cure.

A banda de Robert Smith está acelerando cada vez mais seus trabalhos em 2019. Além de shows pelo verão europeu e a promessa de apresentações especiais dos 30 anos do disco “Disintegration”, o Cure também prepara para o segundo semestre o lançamento de seu primeiro disco de inéditas em 11 anos.

Do show no Pinkpop, o festival liberou registros profissionais e impecáveis de três canções clássicas da banda inglesa, sendo elas: “A Forest”, “Lullaby” e o super hit “Boys Don’t Cry”.

Enjoy!

0:00 A Forest
7:18 Lullaby
11:54 Boys Don’t Cry

>>

Que tal assistir mais um show completinho e recente do The Cure? Foi em Dublin, no último final de semana

>>

Foto: Ellen O'Neill

Foto: Ellen O’Neill

O ano de 2019 tem sido bastante movido para os fãs de The Cure. Ou seja, a gente. O grupo do gênio Robert Smith tem armado alguns shows em comemoração aos 30 anos do “Disintegration”. Recentemente até foi transmitido um ao vivo de Sydney.

Como se não bastasse, a banda inglesa também promete para este ano também o lançamento de seu novo disco, que será o primeiro desde 2008, quando eles soltaram o “4:13 Dream”.

Fora isso, muitos shows no verão, tipo no Glastonbury. Mas, no último final de semana, o Cure tocou em um parque lindão em Dublin e teve um fã bastante desapegado que filmou o show todo, com duas horas e meia de duração.

O registro, bem bom, abaixo.

SETLIST
1. Shake Dog Shake 01:35
2. Burn 06:15
3. From The Edge Of The Deep Green Sea 13:25
4. A Night Like This 21:14
5. Pictures Of You 25:40
6. High 32:55
7. Just One Kiss 36:56
8. Lovesong 41:27
9. Just Like Heaven 45:03
10. Last Dance 48:49
11. Fascination Street 53:39
12. Never Enough 58:48
13. Wendy Time 1:02:10
14. The Walk 1:07:49
15. Push 1:11:22
16. In Between Days 1:15:56
17. Play For Today 1:19:04
18. A Forest 1:23:03
19. Primary 1:30:07
20. Want 1:34:20
21. 39 1:39:25
22. One Hundred Years 1:46:59

Encore:
23. Lullaby 1:56:46
24. The Caterpillar 2:01:32
25. Doing The Unstuck 2:06:05
26. Friday I’m In Love 2:10:10
27. Close To Me 2:13:38
28. Why Can’t I Be You? 2:17:24
29. Boys Don’t Cry 2:21:16

>>

Eba! The Cure faz show especial pelos 30 anos do “Disintegration” na Opera House de Sydney. E tem vídeo completinho disponível

>>

300519_thecure2

Entre os grandes projetos do The Cure para este 2019 está a série de shows em comemoração aos 30 anos do lançamento do discão “Disintegration”.

Uma destas apresentações rolou nesta quinta, em Sydney, na belíssima Opera House, e teve transmissão ao vivo via internet. O show durou quase duas horas e meia e teve direção do filmmaker britânico Nick Wickham.

A série de shows deve se desenrolar para a América do Norte no final do ano, pois diz Roberth Smith que ainda pensa em fazer um show em uma arena maior, em Nova York ou Los Angeles.

O Cure promete para este ano também o lançamento de seu novo disco, que será o primeiro desde 2008, quando os ingleses nos ofereceram o álbum “4:13 Dream”.

Além dos shows em comemoração ao aniversário de “Disintegration”, o The Cure rodará a Europa por diversos festivais no meio do ano, incluindo o dinamarquês Roskilde e o inglês Glastonbury.

Confira abaixo o show completo. A íntegra do disco começa por volta dos 54 minutos.

>>

Armando disco novo, The Cure resolve expandir série de shows especiais pelos 30 anos de “Disintegration”

>>

Com um disco novo, sombrio e incrivelmente intenso para sair mais ou menos na época do Halloween, o The Cure vem dando mostras de que 2019 será um ano importante na carreira da banda, para a alegria dos fãs.

Indicado ao Hall da Fama do Rock, o grupo liderado pelo incrível Robert Smith vai resolver esticar a comemoração pelos 30 anos do lançamento do disco “Disintegration”. Inicialmente, a banda faria quatro shows em maio, na Austrália, celebrando a obra. Mas os Estados Unidos também ganhará datas especiais.

“Estamos de olho em teatros em Nova York e Los Angeles. Mas ainda acredito que podemos fazer em um local maior. Eu gostaria de fazer um show grande, realmente. É um ‘disco grande’. Sempre penso nos três shows que fizemos no Beacon Theatre em Nova York com os nossos três primeiros álbuns. Foi algo mais punk. Estávamos tentando recriar aquele ambiente. Mas creio que o ‘Disintegration’ é algo maior. Então precisamos de algum lugar maior”, disse à revista Rolling Stone.

No fim do mês passado, Smith disse que o primeiro álbum desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008, está sendo gravado. “Já foram iniciadas, mas não finalizadas. Estamos gravando nosso primeiro álbum em 10 anos”.

Além dos shows em comemoração ao aniversário de “Disintegration”, o The Cure rodará a Europa por diversos festivais no meio do ano, incluindo o dinamarquês Roskilde e o inglês Glastonbury.

>>

Robert Smith atualiza status do novo disco do The Cure: já está sendo gravado

>>

200319_thecure2

Um dos mais seminais grupos que já pisaram na Terra, o The Cure terá um 2019 especialíssimo. Além de estar escalada em diversos festivais do próximo verão, a banda de Robert Smith fará shows especiais dos 30 anos do discaço “Disintegration”, no fim de maio, na Austrália.

Fora isso, a trupe inglesa vai lançar um novo disco de inéditas, o primeiro desde “4:13 Dream”, que saiu em 2008.

Em entrevista à rádio 5FM, Smith atualizou o panorama das gravações: “Já foram iniciadas, mas não finalizadas. Estamos gravando nosso primeiro álbum em 10 anos”, destacou. No fim do ano passado, Robert disse na SiriusXM que a previsão era de que eles precisariam de mais ou menos seis semanas para gravar o projeto.

Aguardando, Smith.

>>