Em the cure:

Robert Smith informa que está escrevendo novas músicas e que seu The Cure entrará em estúdio em breve

>>

Na segunda quinzena de junho, Londres será tomada pelo Meltdown, festival que vai durar entre os dias 15 e 24 e terá como curador nada menos que o gênio Robert Smith, líder do cultuado The Cure.

O evento, que terá nomes como Libertines, Nine Inch Nails, My Bloody Valentine, Placebo, Manic Street Preachers e os “nossos” Death Cab For Cutie e Mogwai, tem servido para Smith sair um pouco de sua caixinha antissocial.

Primeiro, ele tem tido que dar algumas entrevistas sobre o festival e dar entrevista não é muito a de Robert. Segundo, que em uma dessas entrevistas ele disse que o evento o inspirou para que voltasse a escrever novas músicas.

Em papo na BBC 6 Music, Smith confirmou que alugou um estúdio para os próximos meses onde o Cure começará a gravar demos dessas músicas novas e que o festival o encorajou a criar material novo. “Instantaneamente me apaixonei com a ideia de escrever novas canções”, disse ele, que confirmou que fechará a programação do Meltdown, não com o Cure, mas acompanhado por alguns de seus companheiros de banda em um show que, de fato, contará com músicas do Cure, mas com outra pegada.

Dia 9 de julho o Cure completará 40 anos de estrada. Eles farão um show no Hyde Park em comemoração, mas Smith antecipou que o grupo pode fazer um show especial semanas antes, no próprio Meltdown. A intenção de Smith é que a banda toque canções inéditas no show.

>>

Agora também curador de festival, Robert Smith inicia montagem de line-up com Libertines, Nine Inch Nails, Mogwai e muito mais

>>

060318_robertsmith2

Um dos maiores gênios que a música alternativa nos ofereceu um dia, Robert Smith, o aclamado líder do seminal The Cure vai atacar de curador de festival no meio deste ano. Smith foi o escolhido para escolher (!) as atrações do Meltdown Festival, evento que chegará à sua edição 25 em junho, na região de Southbank Centre, em Londres, entre os dias 15 e 24 de junho.

A prática de convidar astros da música para serem curadores já é algo tradicional do evento. Em um passado não muito distante, nomes como Patti Smith, David Byrne, David Bowie, Nick Cave e Jarvis Cocker ficaram responsáveis pelo line-up do festival.

Em sua primeira tacada, o líder do Cure selecionou nomes como The Libertines, o “nosso” Mogwai, Deftones, Nine Inch Nails, Manic Street Preachers, My Bloody Valentine, Placebo e The Psychedelic Furs, além de outras atrações menores. Nas próximas semanas, serão anunciadas novas atrações.

Diz o Robert que a cada confirmação dos artistas, ele “se belisca” e cai a ficha de que tudo “está realmente acontecendo”. Confira abaixo o vídeo promocional das primeiras atrações confirmadas.

>>

COACHELLA – E no meio do show rock’n’roll da Lady Gaga tinha uma música nova

>>

170417_ladygaga1

Tudo rolava dentro dos conformes na apresentação arrebatadora de Lady Gaga no último sábado, no festivalzão Coachella, no meio do deserto da Califórnia. Os conformes, no caso de Ga-ga, significou guitarras altas e altas roupas de marca, praticamente um Fashion Week de Paris em um palco. Até que, depois da sequência matadora que emendou “Telephone”, “Alejandro” e “Teeth”, a cantora americana mostrou de surpresa uma nova música, “The Cure”.

O som logo em seguida ganhou as plataformas de streaming com sua versão de estúdio. “The Cure” é a primeira gravação de Gaga desde o lançamento de seu quinto disco, “Joanne”, que saiu em outubro do ano passado.

Dizem por aí que a canção faz parte de um novo EP, “The Joanne Angel”, que terá uma pegada mais pop raiz da cantora, encontrada em seus primeiros álbuns.

>>

Uma para os indies, outra para as massas. Suecos do Peter Bjorn & John tocam em SP em março? The Cure fechado para o segundo semestre?

>>

Captura de Tela 2017-02-14 às 8.49.43 AM

* Dono de uma das músicas mais assobiáveis dos últimos anos, meeeeeesmo, o trio sueco Peter Bjorn and John parece ter show(s) marcado(s) para o começo do mês que vem em São Paulo. A banda, que há dez anos tinha um dos hits mais conhecidos do indie mundial, a famosa e grudenta “Young Folks”, deve fazer um ou dois shows no evento da marca de cerveja Heineken, é a desconfiança. O evento The Art of Heineken, que acontece desde o comecinho de fevereiro com exposição e shows no topo do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, o MAC-USP, vai até 12 de março. Em sua abertura, abrigou dois bons shows da banda linda californiana Warpaint.

O Peter Bjork and John, de Estocolmo, já tem sete discos de estúdio. O último, do ano passado, é o “Breakin’ Point”, que deve servir de base para as apresentações. O PB&J já fez shows no Brasil em 2008, dentro do projeto Invasão Sueca. O grupo, em São Paulo, fez seu concerto no finado Studio SP, na rua Augusta.

Untitled-1

* O grupo inglês The Cure está encaminhado para tocar no Brasil no segundo semestre deste ano. A lendária banda de Robert Smith, que fez três shows no Wembley Arena lotado em dezembro, tem desenhada uma nova turnê pela América do Sul a partir de junho, a Popload “aprendeu”. As datas do Brasil e a quantidade de shows ainda estão para ser definidos. A última passagem do Cure pelo Brasil foi em 2013, quando tocou no Anhembi por mais de três horas e com setlist de 40 músicas.

Se a turnê do Cure escapar para 2018, a banda deve vir perto de datas da visita de outro supergrupo veterano do pós-punk inglês, o Depeche Mode. Ah, os eighties…

>>

Aí sim. The Cure inicia turnê e mostra de cara duas canções inéditas

>>

110516_cure2

O fantástico The Cure começou ontem sua turnê pela América do Norte em grande estilo. Em show na cidade de Nova Orleans, a trupe de Robert Smith tocou duas canções inéditas, dando indícios que deve vir em um futuro breve um novo disco.

As faixas em questão são “Step Into the Light” e “It Can Never Be the Same”. Os fãs, claro, fizeram seus registros e já compartilharam geral.

>>