Em the roots:

Miley Cyrus cantando Cranberries e The Cure para salvar os pequenos clubes. Claro que o Dave Grohl tava nessa também

>>

Captura de Tela 2020-10-18 às 11.19.07 PM

* Aconteceu neste final de semana em muitas cidades dos EUA o festival virtual Save Our Stages, evento montado em três dias com a finalidade de socorrer pequenos e importantes clubes de várias partes da América em situação de quase fechar as portas. O #saveourstages utlizou alguns nomes grandes de gente que nem cabe mais nestes clubinhos, mas reconhecem sua importância na sustentação da base de qualquer cena musical.

Entre a movimentação do Save Our Stages Festival tivemos, por exemplo, show de Miley Cyrus no famoso Whisky a Go-Go, casa que fica no coração da Sunset Boulevard, em Los Angeles, e tem capacidade para 500 pessoas. Em sua apresentação, um costume seu dos últimos tempos, Cyrus mandou ver covers legais na linha “Zombie”, do grupo irlandês Cranberries, e “Boys Don’t Cry”, do Cure, entre outras canções. Tem vídeo aí embaixo de tudo isso.

Outro nomão que abraçou a causa dos clubes foi o Foo Fighters, de Dave Grohl, que gravou participação no famoso Troubadour, de ali pertinho do Whisky a Go-Go em LA, e também de lotação máxima de 500 pessoas. Grohl comandou a banda para um show todo ele acústico, que teve seis músicas, entre elas os clássicos “My Hero”, “These Days” e “Times Like These”, estas com títulos próprios para o momento pandemia.

O Save Our Stages Festival está todo ele no Youtube, onde foi transmitido ao vivo desde sexta até ontem à noite. Entre os concertos de destaque, para citar só alguns, teve o da loira Phoebe Bridgers também no Troubadour californiano, teve The Roots se apresentando no Apollo Theater (1500 pessoas), de Nova York; Black Pumas em performance no The Parish (450 pessoas), em Austin; e Major Lazer, fazendo bagunça trap-eletrônica no Gramps (350 pessoas), de Miami.

A gente separou uns vídeos do nobre #saveourstages, para sua apreciação.

>>

Metallica toca clássico com instrumentos de brinquedo e divulga novas músicas

>>

171116_metallica2

* Sai nesta sexta-feira o aguardado “Hardwired… to Self-Destruct”, primeiro álbum de estúdio do Metallica banda desde “Death Magnetic”, de 2008. Nas últimas horas pré-lançamento, a banda da Califórnia tem trabalhado pesado na divulgação.

A mais recente e inusitada para da banda de rock pesado foi no programa do Jimmy Fallon, onde eles trocaram seus instrumentos tradicionais por outros de brinquedo, em quadro que tem feito sucesso no programa. Ao lado do próprio apresentador e da banda The Roots, o Metallica tocou seu clássico “Enter Sandman”.

* O canal oficial da banda no YouTube tem divulgado vídeos separados para as canções novas. De ontem para hoje, foram pelo menos quatro canções reveladas: Dream No More, Confusion, ManUKind e Now That We’re Dead. Todas podem ser conferidas abaixo.

>>

Sia mostra seus novos amigos de banda. Tipo the Roots, Jimmy Fallon e Natalie Portman

>>

280116_sia2

A excêntrica cantora e compositora australiana Sia solta nesta sexta, 29 de janeiro, seu badalado “This Is Acting”, disco moldado a partir de canções que ela fez originalmente para outros artistas, mas acabaram sendo descartadas. Nomes como Rihanna e Beyoncé foram alguns que “devolveram” as faixas.

Daí que Sia, agora, vai sair em turnê com o álbum e começou a divulgação ontem no programa de Jimmy Fallon. Além da inédita “Cheap Thrills”, a australiana fez uma performance da clássica canção “Iko Iko”, que possui mil versões e ganhou fama originalmente com o grupo The Dixie Cups.

Na releitura, Sia foi acompanhada pelo próprio Jimmy Fallon, a atriz Natalie Portman e a banda the Roots. Todos devidamente caracterizados de Sia.

>>

A melhor versão de “Hello”, da Adele. E não é a da Miss Piggy

>>

* “Hello” cantada por Adele, acompanhada por instrumentos de brinquedo, pelo batuque do Jimmy Fallon e pela “orquestra” cool da bandaça The Roots. A letra triste e cheia de lamentos da música virou até uma coisa “pra cima”, pelo ritmo. Não fosse pelos instrumentos de sopro, diria que era ficou uma roda de samba, haha.

Adele, hoje de manhã, cantou ao vivo, transmitido inclusive pela internet, no programa “Today Show”, da NBC. Gravado no Rockfeller Center, em Nova York, com a Times Square ao fundo e um monte de gente se amontoando para ver, é um dos programas de maior audiência da programação diurna da TV americana. Adele está em turnê pela televisão dos EUA, como você pode perceber. Temos iBagem.

Screen Shot 2015-11-25 at 11.51.23

>>

O melhor vídeo zoado do ano na música, estrelado por Art Garfunkel

>>

011015_garfunkel1

No bombado talk show capitaneado por Jimmy Fallon, um dos principais diferenciais é a banda. O incrível The Roots é quem toma conta da parte musical do programa enquanto banda fixa e sempre está envolvido em diferentes quadros.

Um deles é o “Black Simon & Garfunkel”, que consiste basicamente em uma releitura da histórica dupla Simon & Garfunkel feita por dois músicos do Roots, negros, Questlove e Kirk Douglas.

Vez ou outra eles fazem seus números musicais cheios de afinação e capricho, mas o que foi ao ar ontem de certo é o mais especial feito até hoje.

Enquanto eles mandavam uma cover de “Can’t Feel My Face”, do Weeknd, quem apareceu para dar uma pequena abrilhantada ao número foi o próprio Art Garfunkel, atualmente sem seus cabelos esvoaçantes que referenciaram seu visual a vida toda.

Apesar da proposta irreverente, os pouco menos de 2 minutos de duração reservam belas imagens.

>>