Em the strokes:

POPNOTAS – Strokes 20 anos atrasados, Axl Rose no “Scooby-Doo” e Tune-Yards ao vivo

>>

* Gordon Raphael, produtor dos dois primeiros álbuns dos Strokes, deu uma entrevista interessante para a revista inglesa “NME”. Entre comentários sobre não ter ideia se a banda vai celebrar seu primeiro disco, que completa 20 anos (!!!) em 2021, e sobre ter escrito um livro, ele solta um comentário para lá de engraçado: “Quando eles vieram pela primeira vez ao meu estúdio eu pensei: “Essa música é muito legal, pena que eles estão cerca de 20 anos atrasados”. Após soltar essa, Gordon assume: “Sou a pessoa menos precisa quando se trata de prever criadores de tendências…”. Concordamos, Gordon.

* Axl Rose em “Scooby-Doo”. Sim, no reboot do desenho, chamado “Scooby-Doo and Guess Who?”, vai rolar uma aparição do vocalista do Guns N’Roses. Sempre tão recluso, é ainda mais incrível saber, pelo trecho que já está circulando, que Axl já conhece Salsicha e Scooby de outros carnavais. O episódio entra no ar nesta semana lá fora. No Brasil, o desenho passa no Cartoon Network, mas não conseguimos descobrir ainda quando eles exibem esse episódio em especial.

* “Hold Yourself”, brilhante música nova do duo americano Tune-Yards, que a gente já colocou no nosso top 10 há algumas semanas, ganhou uma versão ao vivo no “The Late Show”, programa de Tv apresentando por Stephen Colbert. Performance performática, lógico.

>>

POPCAST – “The Old Age”: o aniversário de 20 anos do primeiro EP dos Strokes e os 15 anos do álbum de estreia do Arctic Monkeys

>>

* Chegou nossa vez. O segundo Popcast _o podcast da Popload_ de 2021, já no ar, paga tributo aos 20 anos do primeiro EP dos Strokes, “The Modern Age”, onde TUDO COMEÇOU, e aos 15 anos do primeiro álbum dos Arctic Monkeys, o “Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not”. Aquela coisa de olhar láááá para o passado, de analisar os tempos do rock nas eras de Beatles, do festival Woodstock, bate já a nossa porta com bandas “de outro dia” como Strokes e Arctic Monkeys, já firmes no caráter “flashback”, .

A importância dos lançamentos, cada um a seu tempo, como estava o indie à época, histórias pessoais de como eu, @lucioribeiro, e Isadora Almeida (@almeidadora) vivemos esses discos quando saíram você só encontra no Popcast. Um pouco óbvio, mas é isso aí.

Mais: nosso ranking pessoal em forma de pódio das três músicas prediletas de cada um, uma análise rápida da CENA e um beijo pro Djavan (!?), tudo nesta edição do Popcast, que acaba de chegar aos streamings.

E um aviso bem importante: CONTÉM PLAYLIST!

WhatsApp Image 2021-01-29 at 18.01.18

>>

Melhores discos do ano: olha ela aí!!!! A lista da “NME”. Viu quem tá em quarto lugar???

>>

strokes-abnormal

* Por muitos anos a “bíblia” máxima da música independente, hoje apenas uma das “biblinhas” que a gente ainda adora odiar ou odeia adorar, o site “NME”, que já foi revista de sucesso e ditou tendências para nós, soltou sua lista de melhores álbuns de 2020.

Impossível não simpatizar com o ranking do “NME”, concordando ou não. Principalmente comparando com as mil listas já publicadas, né?

Alguém tinha que lembrar que os Strokes lançaram um disco (bom!!!) em 2020, por mais esquisito que este ano foi. Alguém, como o “NME”, tinha que meter o “Folklore”, o disco “sério” da Taylor Swift, em segundo lugar, para deixar a geral bem puta.

Alguém tinha que olhar para este ano bem louco de turbilhões sociais dentro de uma pandemia absurda e falar: “Como não dar o primeiro lugar para o incrível disco do duo americano Run the Jewels?” Mesmo tendo o SAULT brincando de vanguarda necessária em seu quintal.

Alguém tinha que pegar a nova galera, a Kelly Lee Owens, a Rina Sawayama, a Beabadoobee, e botar no top 10 do ano.

Alguém tinha que me dar um tapa na cara por ter tirado o J Hus da minha lista final. E meter o cara na dele e é isso aí.

Esse alguém, discuta-se ou não com fervor, sempre acaba sendo o “NME”.

Te amo. Te odeio. Verdade. Mentira.

1. Run the Jewels – ‘RTJ4’
2. Taylor Swift – ‘folklore’
3. Dua Lipa – ‘Future Nostalgia’
4. The Strokes – ‘The New Abnormal’
5. Phoebe Bridgers – ‘Punisher’
6. Kelly Lee Owens – ‘Inner Song’
7. Rina Sawayama – ‘SAWAYAMA’
8. Haim – ‘Women in Music Pt III’
9. Beabadoobee – ‘Fake It Flowers’
10. J Hus – ‘Big Conspiracy’

run

>>

Gente, os Strokes apareceram. Batendo uma bola. Veja o vídeo de “The Adults Are Talking”

>>

Captura de Tela 2020-12-01 às 6.02.10 PM

* Uma das grandes músicas de “The New Abnormal”, quaaaaaaaaaase trazendo nossos Strokes de volta à grande forma, “The Adults Are Talking” ganha vídeo esportivo-futurista dirigido pelo Roman Coppola, irmão da Sofia, filho do Francis.

No vídeo, a banda forma o time Strokes, uniformizado e tudo, e joga contra uns robôs do mau. E ganham no fim, num home run espetacular do Julian. Acho que é isso.

“The Adults Are Talking” foi tocada agora em novembro, ao vivo, no “Saturday Night Live”. “The New Abnormal”, o sexto álbum dos nova-iorquinos, teve lançamento bem no começo de abril, quando a gente estava entrando na quarentena por causa da Covid-19. Roman Coppola, brother dos caras, já havia feito no passado os vídeos de “Someday” e “Last Nite”.

https://t.co/q0VQHxCD2h?amp=1

>>

Fantasmas de seu passado, Strokes fazem performance linda no “Saturday Night Live” de Halloween

>>

Captura de Tela 2020-11-02 às 7.45.28 AM

* Nossos camaradas da banda The Strokes foram os convidados do programa de Halloween do tradicional Saturday Night Live, programa nova-iorquino que anima ao vivo e em temporada as noites de sábado da TV americana desde os anos 70.

Julian Casablancas e seus amigos não estavam fantasiados de vampiros nem nada, mas de certa forma têm tenado voltar dos mundos dos mortos desde que a carreira da banda afundou em discos ruins e brigas depois do importante e revolucionário papel no novo rock nos anos 2000.

Neste ano, no comecinho de abril, no comecinho da pandemia, no comecinho das anormalidades normais, os Strokes lançaram o bom “The New Abnormal”, nome profético com capa do Basquiat e um punhado de músicas decentes que representou o primeiro disco de inéditas desde o quase-desastroso “Comedown Machine”, de 2013. Vai vendo.

Deste disco e para este “SNL” de agora, a banda apresentou performances para “The Adults Are Talking” e “Bad Decisions”. No canal do Youtube do programa americano tem o vídeo dessa aparição dos Strokes, mas traz uma zoada máscara do famoso anime japonês Doraemon, o supergato.

Quem se incomodar com a companhia, trazemos abaixo apenas o áudio dessa performance dos Strokes no “SBL”. Como preferir.

>>