Em thiago ramil:

Popnotas CENA – O bilhete de convocação dO Terno. A nova do BaianaSystem. Os fragmentos do Thiago Ramil. E a Bárbara Eugênia possuída

>>

– Hoje o último disco lançado pela popularíssima banda paulistana O Terno, o ““, completa dois anos. E, para comemorar, duas coisas. Uma que o Tim Bernardes, o cabeça do trio, gravou uma session acústica no campo para “O Bilhete”, faixa do álbum, que fala em “feliz aniversário para nós dois”, aqui no caso a banda e o disco. O vídeo ele postou no IGTV do @o_terno, como você vê e ouve aí embaixo. Ainda hoje, 21h, no canal da banda no Youtube, vai ter audição de “” inteiro, discutindo as letras e com a banda conversando com galera no chat. É interessante uma audição de um disco bom anos depois, com todo o conhecimento que se tem dele, para falar sobre os efeitos que o tempo trouxe para fãs e para a banda.

– “Brasiliana”, nova canção do BaianaSystem com participação de Chico César e Mintcho Garrammone, é a faixa que completa a experiência do novo álbum da banda, “OXEAXEEXU”. Lançado inicialmente em três atos, “Navio Pirata”, “Recital Instrumental” e “América do Sol”, agora o álbum está disponível em sua totalidade, com a faixa nova inclusa e todo uma nova configuração na ordem dos sons. Ou seja, uma outra viagem, outra experiência. Tanto que os caras nem soltaram “Brasiliana” à parte do disco. Você chega a ela pelo álbum.

– Por falar em obras partilhadas em diferentes atos, Thiago Ramil, parte de uma das famílias mais ricas em artistas do Sul do Brasil, soltou “Todo Dia”, quarto EP do seu novo álbum visual que saí completo agora no dia 29 de abril. Durante todo o mês ele revelou as quatro partes do álbum em diferentes etapas, que contam com produtores musicais e videomakers diferentes, cada um dedicado a uma estação do ano – “O Sol Marca” (verão), “O Andar do Tempo” (outono), “E a Imensidão do Universo” (inverno) e “Todo Dia” (primavera). Se você reparar, a soma de cada título dá uma frase completa com sentido. É a frase que dá nome ao disco.

– A conhecida cantora Bárbara Eugênia foi possuída e está lançando uma série de singles pela sua outra identidade, a Djane Fonda, sua versão DJ, que muda uma chave dentro da mente criativa dela e a bota em caminhos mais eletrônicos. Hoje sai “Hold Me Now”, de Bárbara Eugênia/Djane Fonda, uma faixa de sua autoria (autoria de quem, na verdade?). Pelos beats indie-pop e a delicadeza da voz, parece música da trilha de Twin Peaks, para ficarmos no tema possessão. No mês que vem, a entidade Djane se mete com Tina Turner. Bárbara Eugênia, o corpo principal, lançou seu último trabalho, o sexto, “Tuda”, em 2019. “Hold Me Now”, esta da Djane Fonda, tem a colaboração de caras bons como Arthur Kunz, Zé Pi e Jojô Lonestar.

akaDjaneFonda_plataformas

>>