Em third man records:

Parquet Courts vai lançar disco ao vivo na “casa” do Jack White

>>

230115_parquet1

O adorado grupo americano Parquet Courts nem bem soltou seu ótimo “Constant Nausea” e já prepara um novo registro para ser lançado em breve. Trata-se de um disco ao vivo, em performance gravada no estúdio da Third Man Records, o que seria o mesmo em dizer estúdio do Jack White. O show contou com a presença de algumas dezenas de fãs.

O álbum será lançado dia 3 de março. O show foi gravado em junho do ano passado e a Third Man Records liberou duas prévias da apresentação, com trechos das faixas “Sunbathing Animal” e “Vienna II”.

* Parquet Courts: Live at Third Man Records – tracklist
‘Duckin & Dodgin’
‘Bodies’
‘Black & White’
‘Vienna II’
‘Always Back In Town’
‘Dear Ramona’
‘Descend’
‘Instant Disassembly’
‘Raw Milk’
‘Into the Garden’
‘Sunbathing Animal’

230115_parquet2

Parquet Courts ao vivo na casa do Jack White

>>

* No meio da atual turnê americana, a incrível banda nova-iorquinha indie-art-punk Parquet Courts foi tocar em Nashville, para apresentar seu mais novo disco, o lindo “Sunbathing Animal”, que saiu no começo do mês. Uma vez em Nashville, a banda foi fisgada para se apresentar dentro da Third Man Records, a loja de discos, gravadora, clubinho, estúdio e refúgio de mister Jack White. Foi no começo do mês o show, mas como as coisas são meio secretas por lá elas começam a ser reveladas em som e imagem só agora.

Parquet-Courts

O negócio é que algumas seletas bandas são escolhidas a dedo por White e seu staff para se apresentar no palco da Third Man Records. Algumas mais seletas ainda às vezes são convidadas a não só tocar como gravar o show ao vivo, no Blue Room da Third Man Records, para imediatamente após a apresentação ele ser vendido em vinil na loja.

Fazia oito meses que ninguém se apresentava na loja. Até que o Jack White pessoalmente pediu para chamarem o Parquet Courts para tocar ali no número 623 da Sétima Avenida, em Nashville, capital do Tennessee, na propriedade musical que pertence ao ex-White Stripes.

tmr160500

Ainda não vi a cara do vinil do show, que saiu nas cores preta e azul, mas apareceu um vídeo da música que abriu o show, uma das mais explosivas do disco novo do quarteto texano do Brooklyn (se você me entende). É a absurda “Ducking & Dodging”, gravado por um cara do público. Deve sair imagens pro desse show, também. Estamos de olho.

* A foto que abre o post é de Shawn Jackson, da agência de fotografia Sundel Perry.

>>

A volta (aos pouquinhos) do The Dead Weather

>>

A super cool Third Man Records, gravadora de um certo Jack White, continua aprontando das suas, lançando produtos diferenciados de bandas bacanudas como o The Dead Weather, um dos mil projetos de White, que recentemente gravou duas canções inéditas a serem lançadas em breve, anuncia o selo.

“Open Up (That’s Enough)” e “Rough Detective” prometem ser duas faixas diferentes de tudo o que o The Dead Weather já fez antes. A banda, vale lembrar, conta também com Dean Fertita, Jack Lawrence e a fofura Alison Mosshart nos vocais.

O projeto da TMR para o grupo é lançar singles com duas faixas até 2015, quando a banda terá material suficiente para soltar um disco novo. Essas primeiras duas faixas virão no pacote #18 da série The Vault, plataforma de conteúdo e produtos exclusivos formada só por assinantes, que terá também o disco ao vivo do Racounteurs gravado no Ryman Auditorium, em Nashville (2011) e o vinil do mesmo show.

O single novo do The Dead Weather também será lançado apenas em vinil com numeração limitada. Tudo isso deve sair mês que vem. A banda liberou 30 segundos de “Open Up (That’s Enough)”.

Para se tornar um sócio da plataforma The Vault, é só clicar aqui.

* Abaixo o trailer do DVD do Raconteurs.

Jack White enquanto maior gênio da música nos dias atuais

Como não amar esse cara? Jack White é tão unstoppable que associar seu nome “só” ao fabuloso White Stripes chega a ser pecado. Fora todas as bandas boas que ele já formou sem a Meg e seu disco solo incrível, ele se destaca também nos bastidores da música, à frente de seu selo super cool Third Man Records.

Através da sua empresa, Jack White sempre tenta dar um toque vintage à música moderna de hoje em dia. Amante e defensor ferrenho do vinil, Jack vira e mexe está lançado algo ou alguém através desse tipo de mídia. Toda sua genialidade e prestação de serviços à música fizeram dele o embaixador do Record Store Day deste ano, realizado no último sábado.

Como bom patrono, Jack bolou uma engenhoca incrível. Ele disponibilizou em Nashville uma cabine de gravação restaurada dos anos 40 na qual pessoas comuns como eu e você poderiam gravar uma música de até 2 minutos de duração. Essa gravação, segundos depois, saía registrada em um vinil de 6” para guardar de recordação ou dar de presente para qualquer pessoa em qualquer canto do mundo em uma embalagem especial. Quem gravou também tem a opção de fazer um upload da gravação no site da Third Man.

A ideia incrível chamou a atenção de diversos mortais, claro, e também do… Neil Young.

Jack White liberou um vídeo mostrando a funcionalidade da cabine retro, estrelado pelo bamba Brendan Benson (ele, com show marcado no Cine Joia, 22 de maio). O próprio White brincou com o “projeto” e publicou seu “vinil”, uma cover de “Coal Miner’s Daughter”, faixa lançada no início dos anos 80 pela cantora Loretta Lynn, que acompanha o músico na foto de abertura deste post.

* O interior da cabine.

Jack White e o disco novo vinil azul e preto ao vivo e cheio de White Stripes

>>

* Um dos caras mais ativos no rock já faz tempo, o imparável Jack White está lançando, para os cadastrados em sua gravadora, selo, loja e estúdio Third Man Records, uma cacetada de material novo, dessas fornadas de lançamentos especiais e de certa forma inusitados que de vez em quando ele arma para os fãs.
Desta vez é o “Vault Package 14”, que entre outras coisas contém os singles em vinil de 7 polegadas, em versão demo, de “Freedom at 21” e outros do seu aclamado álbum “Blunderbuss”, um álbum de fotos da turnê do Dead Weather (a banda rrrrrock dele com a Alisson do the Kills e cia) e, o melhor, um álbum duplo em vinil preto e azul chamado “Live at Third Man Records”, com Jack White tocando seu disco novo um mês antes do lançamento em show em Nashville, sede de sua gravadora, que completava três anos da inauguração, na data (8 de março deste ano).

O Disco 1, com as minas Peacocks, tem:
1 “Dead Leaves And The Dirty Ground”
2 “Missing Pieces”
3 “Sixteen Saltines”
4 “Love Interruption”
5 “Hotel Yorba”
6 “Top Yourself”
7 “Hypocritical Kiss”
8 “You’re Pretty Good Looking (For A Girl)”
9 “Blue Blood Blues”
10 “We Are Going To Be Friends”

O Disco 2, com os manos Buzzards, tem:
1 “My Doorbell”
2 “Freedom at 21″
3 “I Cut Like A Buffalo/ Don’t Sweat The Technique”
4 “You Know That I Know”
5 “Weep Themselves To Sleep”
6 “Ball & Biscuit”
7 “Steady As She Goes”
8 “Seven Nation Army”
9 “Goodnight Irene”

Deste álbum duplo a gente tira a fantástica “Dead Leaves and the Dirty Ground”, dos tempos de Jack White no White Stripes. A música era muito mais intensa e crua e vibrante e, hum, “menos adulta” que nesta fase atual de White. Mas ainda sim é uma das melhores músicas dos últimos 12 anos.

>>