Em Thom Yorke:

Thom Yorke remixado. Quem curte?

>>

* A gente, claro.

111018_thom2

O genial Thom Yorke é desses sujeitos que não conseguem ficar em casa coçando. Com as férias do Radiohead, ele acelerou em sua carreira solo e lançou ano passado o projeto ANIMA. E dele serão lançadas duas remixes.

Construídas pelo do techno britânico Overmono, dos irmãos Tom e Ed Russell, as novas versões são para a faixa “Not the News”, carro-chefe do último trabalho solo de Yorke.

As faixas serão lançadas oficialmente no dia 7 de fevereiro com direito a edição especial em vinil de 12″. A “Remix 1” foi liberada e pode ser conferida abaixo.

>>

Lá vem eles!! Radiohead libera sua completíssima biblioteca online. Tem, entre muuuuitas coisas, o show de 2009 em São Paulo completinho

>>

* De uns anos para cá, o Radiohead tem dado bons exemplos de como se esforçar para agradar seu público. É só se lembrar de quando o grupo inglês ofereceu vários de seus shows completos no YouTube ou liberando horas de demos do disco “OK Computer” que supostamente foram roubadas num ataque de hacker. É o tipo de serviço que normalmente fica delegado aos superfãs de uma banda, disponibilizando conteúdo até que seja tirado do ar por algum detentor de direitos.

Com o Radiohead não é bem assim. E hoje a banda de Thom Yorke fez mais uma coisa que nos faz desejar que todo grande nome da música copiasse o Radiohead um pouco mais.

Captura de Tela 2020-01-20 às 11.37.05 AM

Foi colocado online o monumental site “Radiohead Public Library”, que tem praticamente TUDO o que você quiser sobre a banda, meticulosamente organizado. O conteúdo está dividido por eras relacionadas a cada álbum da banda. E contém coisas tipo: o disco em si, seus singles e lados B, arte, textos, fotos, merchandise clipes, e shows completos. É muita coisa para absorver de uma vez só, mas temos algumas dicas de por onde começar.

* Primeiramente, o histórico show do Radiohead em São Paulo, de 22 de março de 2009 (o Radiohead botou 2008 na Library), disponibilizado na íntegra, com filmagem profissional, e pela primeira vez. Não tem o logo da emissora que exibiu o show por aqui, mas também não é a versão em HD (infelizmente).

* Segundo, talvez o santo graal do Radiohead, também da fase “In Rainbows”: o show deles no festival Bonnaroo, em 2006, anterior ao lançamento do disco em si. Esse concerto é gigante (28 músicas, 2h30) e já havia aparecido algumas vezes como um bootleg em áudio e de uma filmagem da plateia. Thom Yorke mencionou que planejavam lançar de maneira oficial. Agora, finalmente está disponível, completo, em vídeo profissional.

* Terceiro, o polêmico show realizado em Tel Aviv, em 2017. Também longo. Também disponibilizado pela primeira vez (acreditamos).

E, quarta e última dica, a banda em performance em New York, na fase OK Computer (1997), provavelmente a favorita de muitos fãs.

Há muito o que escavar nesta nova ação do Radiohead. É ou não é uma banda admirável e à frente no tempo?

>>

Pela primeira vez, Thom Yorke canta ao vivo a música que fez para o novo filme de Edward Norton. Com ele assistindo, no caso

>>

Fotos: GETTY

Fotos: GETTY

Faixa composta atendendo ao pedido do fã Edward Norton para seu novo filme que estreia nesta semana, “Daily Battles” foi tocada ao vivo pela primeira vez por Thom Yorke.

A performance rolou em um show no famoso Greek Theatre de Los Angeles, às vésperas do lançamento de “Motherless Brooklyn”, que estará nas telonas sexta agora.

O mais legal de tudo é que o Edward Norton estava no show em LA e viu tudo de perto. Na gravação original, Yorke ainda contou com a participação especial de seu parceiro ocasional Flea, baixista do Red Hot Chili Peppers.

O líder do Radiohead lançou há pouco tempo seu terceiro disco solo, “ANIMA”, que teve até um filme homônimo dirigido por Paul Thomas Anderson.

>>

Thom Yorke invade a TV americana e mostra um pouco do que é seu show fora do Radiohead

>>

161019_thom2

Em turnê pela América do Norte com sua “banda” Tomorrow’s Modern Boxes, Thom Yorke, líder daquela oooutra banda, esteve na noite de ontem no programa de Jimmy Kimmel, na condição de convidado musical.

Ao lado de seu braço direito, o produtor Nigel Godrich, e do artista visual Tarik Barri, Yorke fez do palco do Kimmel uma espécie de clubinho e emulou em três músicas as apresentações que faz ao vivo na estrada.

Para o programa da TV, o trio mostrou a faixa “Traffic”, que abre o álbum ANIMA, lançado neste ano. Como bônus nas plataformas digitais, Thom e seus parceiros ofereceram ainda as performances para “Twist” e “Dawn Chorus”.

Um espetáculo que pode ser conferido abaixo.

>>

Generalidades: Thom Yorke fala do seu problema com o sucesso, da morte da ex-esposa, e cita as músicas que levaria para uma ilha deserta

>>

240919_thomyorke2

O gênio Thom Yorke foi o convidado do mais recente episódio do Desert Island Discs, da BBC Radio 4, que consiste especialmente em depoimentos nos quais os participantes escolhem 8 músicas, um livro e um item “luxuoso” para levar para uma ilha deserta. No meio disso, eles também falam sobre generalidades.

Thom, por exemplo, falou que se tornou uma pessoa extremamente irritada a partir do sucesso do Radiohead ainda nos anos 90. “Comecei a me tornar um cara controlador e não me importante com o que eu dizia ou a quem eu magoava. Anos depois, conversei com a banda e pedi desculpas. Quando começamos a gravar o OK Computer, as portas se abriram e passamos bons momentos gravando o disco”.

Ele contou que quem o ajudou neste processo foi Michael Stipe, líder do REM. “Ele me ajudou quando as coisas ficaram loucas. As pessoas falavam comigo como se eu fosse Jesus”.

Outro tema delicado abordado pelo vocalista do Radiohead foi a morte de sua ex-esposa, Rachel Owen, vítima de câncer, e de como isso impactou na vida dos filhos Noah e Agnes. “Eu não posso ser a mãe deles, mas estamos bem. Estou muito orgulhoso de ambos. Até me surpreende, não consigo acreditar que têm algo a ver comigo. Eles são excelentes pessoas. Quando a mãe deles morreu, foi um período muito difícil e passamos por muita coisa. Ela sofreu muito e espero que tenhamos saído disso bem, espero que esteja acontecendo isso”.

Sobre os itens que levaria para uma ilha deserta, Yorke escolheu as seguintes canções: “Born Under Punches” (Talking Heads), “After the Goldrush” (Neil Young), “Lilac Wine” (Nina Simone), “Talk About The Passion (REM), “It’s Raining Today” (Scott Walker), “Freeman Hardy & Willis Acid” (Squarepusher/AFX), “5. Le Jardin Féerique” (Labeque Sisters) e “Blue Horizon” (Sidney Bechet).

Yorke ainda escolheu o livro “Zen Mind, Beginner’s Mind” de Shunryu Suzuki e um gravador portátil como seu item de luxo para levar para a ilha.

Para ouvir a íntegra do programa, basta clicar aqui.

>>