Em troá!:

TOP 50 DA CENA – Dá licença que a Ana Frango Elétrico chegou no ranking revoltado e viajante. Um oferecimento de D2, Iggor e Gordo. Pá!!!

1 - cenatopo19

* A gente quase botou aqui no ranking a música em que o Tim Bernardes canta uma parte, em português, no disco do grupo americano Fleet Foxes. Ficamos pensando se seria forçar demais a amizade, emboooooora fique aqui registrado o maior crossover de CENAs que se tem notícias. Acabamos deixando de fora, mas achamos justo que incluir a música, pelo menos, na playlist, como uma faixa bônus.
Se bem que o caráter “internacional” da globalizada CENA brasileira já esteja representado com a presença da carioca Ana Frango Elétrico no topo do Top, que está concorrendo ao Grammy Latino. Solta a Frango e vem com a gente (sdd, Bonde do Rolê!). E pela Sartør, cantora brasileira fazendo electrotrap maneiro em Los Angeles. Porque a CENA tá tão boa que não cabe mais só aqui no Brasil.
Marcelo D2, João Gordo e Iggor Cavalera em altos postos nos cheira a espírito teen. E tudo bem também. Anos 90 mandando recado aos anos 20.
Tudo isso num top 10 que ainda tem o Matuê, anos 20, mandando Charlie Brown Jr., o recado aos anos 00.
Que viagem (no tempo)!!!

2 - 960x960_AnaFrango

1 – Ana Frango Elétrico – “Mama Planta Baby” (Estreia)
Ana vai conquistar o mundo. A gente já sabia e o mundo agora parece que está sendo informado. Indicação ao Grammy, livro e um novo single que deixa a gente com a certeza de que a sua produção segue afiada em um som que ela explica assim: “Pensei numa melodia que pudesse ser cantada para plantas e bebês, trazendo timbres que têm me interessado, como a flauta, órgão e violão, misturando elementos da bossa-nova, chamber-pop e soft-eletro-indie. Quis explorar efeitos, estéreos e repetições trazendo elementos em comum ao ‘Little Electric Chicken Heart’, como dobras, coros, metais, e divergindo em outros aspectos, como forma e timbres”.
2 – Marcelo D2 – “4º AS 20h” (Estreia)
Em um beat inspirado do Kamau, Rodrigo Ogi deixa mais uma letra nota dez em um disco que não é o seu este ano – o outro exemplo é o som que escreveu pra Kiko Diinucci. Marcelo D2 em uma track sua soa quase como participação de luxo, consequência de sua ideia de montar um superálbum gravado e escrito remotamente durante a pandemia por muitas vozes e canetas. Que sacada e que generosidade com os mais novos.
3 – Revolta – “Hecatombe Genocida” (Estreia)
Nosso “We Are the World” do mundo invertido. “Cem mil mortos entupindo o poço da escuridão/ A justiça vai caindo/ Facistas na contramão/ O terror em forma de governo/ Misturado com ódio e veneno/ Extermina toda a razão/ Patriotas de pele mais clara/ Mundo podre da corrupção”, diz a letra da banda que tem em suas fileiras “apenas” João Gordo (Ratos de Porão), Prika Amaral (Nervosa), Guilherme Miranda (Entombed AD e Krow), Moyses Kolesne (Krisiun), Castor (Torture Squad) e Iggor Cavalera (Cavalera Conspiracy e Mixhell).
4 – Carne Doce – “Hater” (1)
Single a single eles foram conquistando espaço em um disco que firma a banda em outros níveis da música brasileira, se é que existem outros níveis além de onde eles já estão. A banda está fazendo grandes músicas. Cada vez maiores. E, veja bem, “Interior”, o álbum, mostra o Carne Doce muito além de “apenas” ser a “banda da Salma”
5 – Leveze – “Aurora” (Estreia)
Ex-Cabana Café e Parati, o Leveze foi por anos a “viagem secreta” de Lanfranchi, que agora toma uma forma mais escancarada e não menos delicada. É só começar a ouvir o delicioso “Aclimação12-20” (Cavaca Records), álbum recém-lançado da melhor chillwave com guitarrinha doce, para entender de primeira.
6 – Luedji Luna – “Bom Mesmo É Estar Debaixo D`água” (Estreia)
Música que vai dar o nome ao disco cheio, seu segundo, que sai em outubro, foi composta por ela em parceria com François Muleka. Um som sobre afeto, sobre respeitar o tempo do outro, o ritmo do outro, segundo a cantora. Vem disco bom por aí.
7 – SARTØR – “NEVER COMING HOME” (Estreia)
Em maiúsculas, como um grito, esse som afasta SARTØR de Isadora Sartor, seu nome pessoa física. O single apruma o caminho que a paulistana radicada em LA escolheu para pautar sua vida e sua música. De ex-guitarrista de um duro death metal a produtora de um pop maleável e moderno.
8 – Rohmanelli – “Toneaí” (Reestreia)
O hit ácido/crítico/carnavalesco de Rohmanelli volta ao top 50. O single está incluindo no bom álbum “Brazil’ejru, Vol 1”, seu primeiro trabalho 100% em português.
9 – Autoramas – “Dinâmica de Bruto” (2)
Repare. A gente ainda precisa de banda como os Autoramas. “Dinâmica de Bruto”, nome ótimo, está no mesmo EP a ser lançado pela banda neste mês, em vinil, pela gravadora espanhola Family Spree Recordings. A música tem um viés político e um vídeo beatlemaníaco, por assim dizer. É ver para entender.
10 – Matuê – “Máquina do Tempo” (3)
Será que agora o trap nacional rompe sua já gigante bolha de popularidade e alcança os números do mainstream brasileiro? Vale acompanhar a esperta pegada do Matuê neste som do seu primeiro álbum. Um trap acelerado e divertido que dá um leve aceno para o pop em um bem sacado sample de uma linha de baixo do Charlie Brown Jr. Este som já irritou youtubers conservadores, algo que sempre é saudável.
11 – Tagua Tagua – “Só Pra Ver” (Estreia)
12 – The Baggios – “Hendrixiano” (4)
13 – JP – “Eu Quero Perder Você” (5)
14 – Nobat – “Cárcere” (6)
15 – Gabrre – “De Noite Eh Dia de Sair” (7)
16 – Cat Vids – “Ash Ketchum” (8)
17 – PLUMA – “Leve” (9)
18 – Luiza Lian – “Geladeira” (10)
19 – Bruno Del Rey – “O Amigo Que Esperava” (11)
20 – BK – “Movimento” (12)
21 – Nana – “Independência ou Morte” (13)
22 – O Cientista Perdido – “Não Cabe Em Você” (15)
23 – Terno Rei – “São Paulo (Acústico)” (16)
24 – Vivian Kuczynski – “Pele” (17)
25 – Boogarins – “Cães do Ódio” (19)
26 – Jup do Bairro – “Luta por Mim” (20)
27 – Dexter, Djonga, Coruja BC1, KL Jay, Will – “Voz Ativa” (21)
28 – Luiza Brina – “Oração 12” (22)
29 – Mateus Aleluia – “Amarelou” (23)
30 – Yannick Hara – “Eu Quero Mais Vida Pai” (24)
31 – Valciãn Calixto – “Nunca Fomos Tão Adultos” (26)
32 – Wry – “Travel” (28)
33 – Letrux – “Vai Brotar” (30)
34 – Apeles – “Tudo Que Te Move” (31)
35 – Elza Soares e Flávio Renegado – “Negão Negra” (32)
36 – Negro Leo – “Tudo Foi Feito pra Gente Lacrar” (33)
37 – Rincon Sapiência – “Malícia” (31)
38 – Marcelo Perdido – “Bastante” (34)
39 – Kunumí MC – “Xondaro Ka’aguy Reguá (Guerreiro da Floresta)” (36)
40 – Don L – “Kelefeeling” (38)
41 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (39)
42 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (40)
43 – ÀIYÉ – “Pulmão” (41)
44 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (43)
45 – Edgar – “Carro de Boy” (44)
46 – Kiko Dinucci – “Veneno” (46)
47 – Jhony MC – F.A.B. (47)
48 – Djonga – “Procuro Alguém (48)
49 – Vovô Bebê – “Êxodo” (49)
50 – Troá! – “Bicho” (50)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** A imagem que ilustra este post é de Ana Frango Elétrica, em foto de Hick Duarte.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – Djonga toma o primeiro lugar. E as parcerias Tuyo & Terno Rei e Terno Rei & Tuyo chegam lá em cima, juntas

1 - cenatopo19

* Seeeeeegue a quarentena. E segue também nosso pedido para você permanecer trancado em casa o máximo que der nestes tempos difíceis. Pelo menos uma playlist boa de música independente brasileira a gente serve a você, para ajudar a passar este período.

Na fase atual, os lançamentos não são muito e por isso tivemos oportunidade de fazer até releituras. Olhamos de volta para canções que até já estavam na lista. Djonga e seu grande disco merecem o primeiro lugar, depois de uma maturação. E agora chegam lá. O segundo lugar fica com Letrux, outro álbum recém-lançado que melhora a cada audição.

Ainda no alto do ranking, que evento é essa parceria de duas mãos do Terno Rei e Tuyo, não?

Bom, a lista “definitiva”da CENA desta semana está aí. Aproveite a playlist no Deezer e no Spotify.

top50clarice

1 – Djonga – “Procuro Alguém (5)
Chegou a hora de termos Djonga no topo da lista. Na capa mais forte do ano até aqui, Djonga estampa a realidade cruel do Brasil. Sua montagem é praticamente a versão ilustrada do verso “Olha quem morre, veja você quem mata”, cantado por Edi Rock em “Negro Drama”, dos Racionais. Ao rappear sobre todas as quebradas, um dos fios de esperança no futuro onde o amor vence está na geração que chega, representada por este som que celebra a pequena Iolanda, a filha mais nova do Djonga. E que letra que ela tem.
2 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (2)
A faixa que abre o disco de Letrux já frequenta o alto do nosso ranking há duas semanas é uma espécie de trip-hop atravessado por uma guitarra e com um encerramento apoteótico belíssimo. “Viver é um frenesi”, canta Letrux. Parece daquelas músicas que ganham novos sentidos a cada dia que passa. E que letra que ela tem (2).
3 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (Estreia)
Depois da primeira em parceria, Tuyo e Terno Rei invertem a ordem da ajuda musical mútua. E acertam mais uma vez. Acho que acertam até mais. Que música boa.
4 – Terno Rei e Tuyo – “Pivete” (8)
Sendo assim, vale a gente relembrar e subir o primeiro single dessa parceria acertada. Será que esta canção em especial indica novos rumos para o Terno Rei? Uma experimentação ocasional com uma pegada mais pop? Bom, “Violeta” já deu algumas dicas. E a banda segue quente. Vamos ver.
5 – ÀIYÉ – “Isadora” (3)
Das melhores faixas do álbum de estreia de Larissa Conforto como ÁIYÉ. Forte no recado e forte na experimentação com diferentes ritmos de um modo que ela sabe fazer. Esse disco melhora a cada audição.
6 – Apeles – “Deságua” (7)
Os belos seis minutos e pouco deste som do Apeles em seu álbum do ano passado ganharam um vídeo tocante, sensível, motivo mais do que suficiente para voltarmos a um dos nossos favoritos do ano passado.
7 – Jhony MC – F.A.B. (4)
Um dos raps mais corajosos de 2020 chegou ao Spotify depois de bombar no YouTube. Do futebol aos crimes do Estado em uma letra que deve deixar Black Alien orgulhoso.
8 – Clarice Falcão – “PRA_TER_O_QUE_FAZER_” (13)
A música é dos tempos em que Clarice colocava suas composições no YouTube em um esquema voz e violão. Seu som mudou com o tempo e ela decidiu levar as velhas músicas para o novo estilo. Funciona que só.
9 – Troá! – “Bicho” (1)
A dupla de garotas do Rio de Janeiro é mais uma prova que a CENA carioca anda no ritmo de nos entregar música estranha do jeito que curtimos. Esse single recente é uma mostra ao vivo do que Carolina Mathias e Manuella Terra são capazes. O que nos leva agora direto para ouvir mais o disco que elas lançaram ano passado.
10 – Carne Doce – “Passarin” (6)
Inédita do Carne Doce aprovada por aqui. “Passarin”, se não é das melhores canções que o Carne Doce já fez, tem um lado muito louvável: não combina em nada com os dias malucos em que vivemos, hoje. Um respiro.
11 – Letrux – “Fora da Foda” (9)
12 – Shower Curtain – “All That You Do” (10)
13 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (11)
14 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (12)
15 – Winter – “Say” (14)
16 – Bivolt – “110v” (15)
17 – Vovô Bebê – “Êxodo” (16)
18 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (17)
19 – Edgar – “Carro de Boy” (18)
20 – Kiko Dinucci – “Veneno” (19)
21 – Luana Flores – “Guerreira de Lança (Furmigadub Remix)” (20)
22 – Mahmundi – “Sem Medo (21)
23 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (22)
24 – Flu & Amigos – “Porco” (24)
25 – Manaié – “Tira a Mão” (26)
26 – Amen Jr. – “amoretempo” (30)
27 – Marietta – “Analógica” (31)
28 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (36)
29 – MC Loma – “Predadora” (25)
Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (29)
30 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (28)
31 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (32)
32 – Rohmanelli – “Toneaí” (33)
33 – Valuá – “Veneno” (38)
34 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (39)
35 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (37)
36 – Liniker – “Não Adianta” (35)
37 – Francisco El Hombre – “Cai” (27)
38 – Jovem Dionísio – “Ponto de Exclamação”
39 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (40)
40 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (41)
41 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (42)
42 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (43)
43 – Yannick Hara – “Replicantes” (44)
44 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (45)
45 – Julia Melo – “Touch” (46)
46 – Barro – “Ondas do Desejo” (47)
47 – Mariana Volker – “Me da Me dê” (49)
48 – Arthur Nogueira – “Salvador” (50)
49 – Machete Bomb – “Nunca Mais” (Estreia)
50 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)” (48)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a cantora carioca Clarice Falcão.

>>

TOP 50 DA CENA – O domínio carioca. Troá! chega direto ao topo. Letrux firme com duas músicas nas dez mais. Àiyé segue o bloco

1 - cenatopo19

* Segue a quarentena. Segue o Top 50 da Popload, o ranking semanal vertido em playlist que retrata nosso gosto sobre o que está acontecendo com a nossa CENA nas últimas semana.

A situação geral é puxada, trabalhar é esquisito e a concentração não parece vir, mas seguimos na tentativa de levar umas boas músicas novas da CENA para você.

Nesta semana temos boas novidades pelo menos entre as dez primeiras colocações. Novidades “estranhas”, musicalmente estranhas, do jeito que gostamos. Do experimental ao rap. E com o Rio de Janeiro dominando bonito a parada. Estamos perdendo algum som de outros cantos do país? Avisem.

Sempre lembrando que nosso Top 50 vira playlist linda no Spotify e Deezer.

3 - troa_feed

1 – Troá! – “Bicho” (Estreia)
A dupla de garotas do Rio de Janeiro é mais uma prova que a CENA carioca anda no ritmo de nos entregar música estranha do jeito que curtimos. Esse single recente é uma mostra ao vivo do que Carolina Mathias e Manuella Terra são capazes. O que nos leva agora direto para ouvir mais o disco que elas lançaram ano passado.
2 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (1)
A faixa que abre o disco de Letrux abriu nosso ranking da semana passada com uma espécie de trip-hop atravessado por uma guitarra e com um encerramento apoteótico belíssimo. “Viver é um frenesi”, canta Letrux. Parece daquelas músicas que ganham novos sentidos a cada dia que passa. E que letra que ela tem.
3 – ÀIYÉ – “Isadora” (Estreia)
Das melhores faixas do álbum de estreia de Larissa Conforto como ÁIYÉ. Forte no recado e forte na experimentação com diferentes ritmos de um modo que ela sabe fazer.
4 – Jhony MC – F.A.B. (13)
Um dos raps mais corajosos de 2020 chegou ao Spotify depois de bombar no YouTube. Do futebol aos crimes do Estado em uma letra que deve deixar Black Alien orgulhoso.
5 – Djonga – “Procuro Alguém (2)
Na capa mais forte do ano até aqui, Djonga estampa a realidade cruel do Brasil. Sua montagem é praticamente a versão ilustrada do verso “Olha quem morre, veja você quem mata” de Edi Rock em “Negro Drama”. Ao cantar sobre todas as quebradas, um dos fios de esperança no futuro onde o amor vence está na geração que chega, representada por este som que celebra a pequena Iolanda, a filha mais nova do Djonga. E que letra que ela tem.
6 – Carne Doce – “Passarin” (4)
Inédita do Carne Doce aprovada por aqui. “Passarin”, se não é a melhor canção que o Carne Doce já fez, tem um lado muito louvável: não combina em nada com os dias malucos em que vivemos, hoje. Um respiro.
7 – Apeles – “Deságua” (3)
Os belos seis minutos e pouco deste som do Apeles em seu álbum do ano passado vão ganhar um vídeo muito em breve, motivo mais do que suficiente para voltarmos a um dos nossos favoritos do ano passado.
8 – Terno Rei e Tuyo – “Pivete” (5)
O encontro entre Terno Rei e Tuyo promete novos frutos. Já está anunciado uma música do trio paranaense que terá participação da banda. Enquanto isso, eles estão juntos em um belo single do Terno Rei com letra de Ale Sater e arranjo em conjunto. Será que o single indica novos rumos para a banda? Uma experimentação ocasional com uma pegada mais pop? Bom, “Violeta” já deu algumas dicas. E a banda segue quente. Vamos ver.
9 – Letrux – “Fora da Foda” (6)
Outra da boas músicas do novo álbum da Letrux. Aqui caímos de amores pela participação bem-humorada de Lovefoxxx, de quem estávamos com saudade de ouvir em disco há um bom tempo. É isso: Lovefoxxx sendo reentroduzida na “new music” brasileira pela Letrux. Que momento!
10 – Shower Curtain – “All That You Do” (Estreia)
O projeto de Victoria Winter caiu no nosso gosto. Romântica, melancólica. Um som feito no quarto para se ouvir no quarto.
11 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (7)
12 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (8)
13 – Clarice Falcão – “PRA_TER_O_QUE_FAZER_” (Estreia)
14 – Winter – “Say” (Estreia)
15 – Bivolt – “110v” (10)
16 – Vovô Bebê – “Êxodo” (12)
17 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (9)
18 – Edgar – “Carro de Boy” (14)
19 – Kiko Dinucci – “Veneno” (15)
20 – Luana Flores – “Guerreira de Lança (Furmigadub Remix)” (16)
21 – Mahmundi – “Sem Medo (17)
22 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (18)
23 – Young Lights – “When You Were Here” (19)
24 – Flu & Amigos – “Porco” (20)
25 – MC Loma – “Predadora” (21)
26 – Manaié – “Tira a Mão” (22)
27 – Francisco El Hombre – “Cai” (23)
28 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (24)
29 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (25)
30 – Amen Jr. – “amoretempo” (26)
31 – Marietta – “Analógica” (27)
32 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (28)
33 – Rohmanelli – “Toneaí” (29)
34 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (30)
35 – Liniker – “Não Adianta” (31)
36 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (32)
37 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (33)
38 – Valuá – “Veneno” (35)
39 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (36)
40 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (37)
41 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (38)
42 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (39)
43 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (40)
44 – Yannick Hara – “Replicantes” (41)
45 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (42)
46 – Julia Melo – “Touch” (43)
47 – Barro – “Ondas do Desejo” (44)
48 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)” (46)
49 – Mariana Volker – “Me da Me dê” (Estreia)
50 – Arthur Nogueira – “Salvador” (Estreia)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o duo carioca Troá!

>>