Em vance joy:

Olha o Vance Joy na área, anunciando seu segundo disco e mostrando a boa “Like Gold”

>>

181214_vance4

Garoto prodígio da linda Melbourne, tipo o Chet Faker e a Courtney Barnett, Vance Joy anunciou o lançamento de seu segundo disco, que tem a responsabilidade de suceder e bem seu petardo de estreia, “Dream Your Life Away”, que fez grande barulho no indie lá em 2014.

Vance Joy, se você não está se lembrando muito bem, é esse australiano esperto meio fenômeno no indie local, que vai desbravando aos poucos as fronteiras musicais “down under” do planeta com seu folk delicioso. Ele, que andou frequentando o mercado americano há uns três só com um EP na bagagem, antes de soltar seu discão de estreia, chamou a atenção até da Taylor Swift, princesinha do pop atual, graças à sua desenvoltura musical que consiste, especialmente, em uma grande gama de instrumentos de cordas que dão um charme todo diferente à sua musicalidade. Lembro que vi um show dele no comecinho de 2014 (acho) no Laneway Festival, na Austrália, e o cara arrastou um público de gente grande, sendo ovacionado do início ao fim.

O novo disco, “Nation of Two”, fala sobre a vida de um casal livre, onde o mundo deles “começa e termina na cama que eles compartilham, no carro em que viajam”. A ideia, diz ele, é que o amor que os une é que define os rumos de ambos, dando “total sentido à vida” deles. Isso tudo palavras do próprio Vance.

Junto com o anúncio, o australiano divulgou o single “Like Gold”. O álbum será lançado em fevereiro de 2018.

>>

Lorde dá canja no show da Taylor Swift indie

>>

140715_taylorlorde2

Duas das cantoras de maior sucesso na música nos últimos anos, as amiguinhas Taylor Swift e Lorde dividiram o palco diante de 40 mil pessoas na noite de ontem em Washington. A cidade está na rota da turnê absurda da princesinha Taylor por estádios americanos e foi premiada com a presença do fenômeno neozelandês que é toda avessa à americana quando o assunto é requebrado e presença de palco. Quer dizer…

O público foi ao delírio quando Taylor chamou Lorde ao palco para cantarem juntas o grande hit “Royals”. Em boa parte da música, enquanto Lorde cantava, Taylor fazia caras e bocas. Ou seja, tudo lindo.

De quebra, o show da Taylor teve abertura das babes HAIM e do Vance Joy. Taylor rainha do pop indie.

>>

De volta à Austrália. Vance Joy fazendo cover ao vivo “daquela” do Radiohead

>>

Screen Shot 2015-04-06 at 11.12.54

* De novo a rádio Triple J, baseada em Sidney, cujo app para celular é ótimo e traz a Austrália até você numa dedada. A emissora agitou uma performance especial do muso indie-folk local, Vance Joy, 26 anos, fazendo uma cover para “Fake Plastic Trees”, a música mais conhecida da cultuada banda inglesa Radiohead, assim, para um espectro de gosto médio.

No Brasil, “Fake Plastic Trees”, do disco “The Bands”, de 1995, bombou depois que virou, três anos depois, uma propaganda de TV sobre o menino Carlinhos, que tinha Síndrome de Down e se divertia num carrossel. Era uma ação de marketing contra o preconceito que a doença tinha e tem.

Na Austrália, não sei qual o apelo que esta canção tem para o país, mas a própria Triple J, a principal rádio Down Under, colocou a música entre os TOP 30 de “principais canções de TODOS OS TEMPOS”. Coisa séria por lá também.

Vance Joy, garoto de Melbourne tanto quanto Courtney Barnett e Chet Faker, fazendo Radiohead para chorar, aconteceu ao vivo sexta-feira passada durante apresentação dele no atual festival internacional de comédia no Melb Town Hall. Bonito!

Queridinho da Taylor Swift, Vance Joy tenta conquistar a “América Indie”

>>

181214_vance4

Ele tem tudo para ser o grande nome do indie em 2015. Vance Joy, australiano esperto meio fenômeno no indie local, vai desbravando aos poucos as fronteiras musicais “down under” do planeta. Ele, que andou frequentando o mercado americano no início deste ano só com um EP na bagagem, voltou aos Estados Unidos para divulgar seu primeiro álbum cheio, “Dream Your Life Away”, lançado em setembro.

Vance Joy e seus inseparáveis instrumentos de cordas costuma fazer estrago em ambientes alternativos. Vi um show dele no comecinho deste ano no Laneway Festival, na Austrália, e o cara arrastou um público de gente grande, sendo ovacionado do início ao fim.

Tem uma turma que cresceu tanto o olho em cima do potencial do rapaz que a boneca superstar Taylor Swift andou não só cantando música dele em sessions, como também o convidou para abrir alguns de seus shows ano que vem.

Com um ukulele em mãos e voz cristalina no ponto, ele participou na noite de ontem do programa de Conan O’Brien. Por lá, mostrou seu pequeno grande hit “Riptide”, o que a Taylor adora. Olho no cara.

* A versão da Taylor, em session para a BBC Radio 1, em outubro passado.

>>

Vance Joy desbravando a América. E dançando no escuro

>>

* Se você concorda que a música australiana está bombando mais que nunca, então você precisa se lembrar do rapaz Vance Joy, sobre o qual falamos recentemente, durante a viagem poploadica por aqueles lados.

Screen Shot 2014-04-01 at 8.03.06

Vance Joy e seu violão fazem estragos no nível Lorde na parte “down under” do planeta, claro que sem o Grammy e sendo ainda apenas uma referência musical local. Mas Joy já começa a alçar vôos mais longos.

Na Austrália, Vance Joy já está bastante popular. No último Laneway Festival, a que a Popload teve a oportunidade de acompanhar, Joy foi ovacionado com um superlotado show de dia.

Uma semana antes, ele havia emplacado a melhor música de 2013, segundo a ótima rádio Triple J, na bombada votação do Triple J Hottest 100, enquete anual que contou com a participação na escolha da lista de cerca de 1.5 milhão de ouvintes. Com sua “Riptide”, canção romântica tipo folk em que toca ukelele como instrumento principal, Vance Joy bateu “Royals”, de Lorde, “Get Lucky”, do Daft Punk, e “Do I Wanna Know”, respectivamente segundo, terceiro e quarto lugares da votação.

Joy, que só tem um EP, começa a ser “trabalhado” nos EUA. O rapaz tocou no Sxsw com algum barulho na “Rolling Stone” e “Spin” e em uns blogs americanos. E emendou uma turnê por EUA/Canadá. Ontem ele tocou em Edmonton, amanhã é a vez de Vancouver. Depois ele desce a Seattle.

Desde agosto, fechou um contrato com uma gravadora grande nos EUA, a que tem como “clientes” gente como Bruno Mars e Skrillex.

De passagem pelos EUA, Vance Joy foi cooptado para fazer uma session para a Spectrum, emissora de rock da rádio por satélite SiriusXM.

Ontem, dessa session, caiu na internet a performance que Joy fez tocando “Dancing in the Dark”, clássica do Bruce Springsteen. Ficou bem boa.

>>