Em ventre:

CENA – No Ar Coquetel Molotov turbina edição de Salvador com Ventre, Bagum e Céu

>>

cena

Banda Ventre, do Rio de Janeiro

Banda Ventre, do Rio de Janeiro

O ano de 2017 vai começar agitado em Salvador. E nem é por causa do Carnaval. Vem aí a edição baiana do grande No Ar Coquetel Molotov, evento pernambucano em doses especiais de expansão de domínio nacional, a primeira grande movimentação indie do ano que vem.

O evento acontece no Museu du Ritmo, dia 14 de janeiro, e adicionou novas atrações para sua programação. Além de Ava Rocha, Boogarins e OQuadro, que já estavam no line-up, a organização confirmou que Céu, Giovani Cidreira, Ventre, Lívia Nery e Bagum estão na programação de shows no local, que terá dois palcos e apresentação começando a partir das 17h.

Além dos shows, vai ter ainda algo parecido com uma feira-desfile da transgressora marca de roupas (e casa, ateliê, selo, experiência e processos multilinguísticos) recifense ACRE, do estilista Cassio Bomfim.

Os ingressos para o No Ar Coquetel Molotov em Salvador já estão à venda no site sympla.com.br pelos valores de R$ 20 (meia), R$ 40 (inteira) e R$ 30 (social). Para ter direito a ingresso pelo valor Social, é preciso doar um livro infantil (não didático) no dia do evento. As doações serão entregues após o evento à Biblioteca do Lalá no Rio Vermelho.

Banda Bagum, de Salvador

Banda Bagum, de Salvador

Serviço – No Ar Coquetel Molotov – Edição Salvador
Atrações: Céu, Ava Rocha, OQuadro, Boogarins, Giovani Cidreira, Ventre, Lívia Nery e Bagum
Quando: Sábado, dia 14 de janeiro de 2017, a partir das 17h.
Onde: Museu Du Ritmo (Travessa do Cais do Ouro – Comércio), em Salvador.
Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 30 (social) e R$ 20 (meia-entrada).
À venda pelo site www.sympla.com.br | Ingresso social com doação de livro infantil não-didático.
Realização: Maré Produções Culturais e Coda Produções Artísticas.
Patrocínio: Skol e Governo da Bahia, através do Fazcultura
Apoio: Spotify
Mais informações: www.facebook.com/noarcm e www.coquetelmolotov.com.br

>>

CENA – Rio de Janeiro, quem diria, a terra do indie: Kult Kolector, Hocus Pocus, Ventre, Novas Frequências

>>

cena

* Estava devendo aqui um post sobre o Rio de Janeiro, de rolê recente, e aqui vai. Devo, não nego. Cheirinho de indie no RJ.

Captura de Tela 2016-12-14 às 10.07.32 AM

A cultura de cartazes lambe-lambe no Rio bota às vezes o indie no dia a dia da cidade. Em uma rua de Botafogo, o anúncio de show de Mahmundi e Jaloo que aconteceu no fim de novembro, no revivido Centro

*

* Ainda em Botafogo, um bar inaugurado em setembro virou um bom reduto para quem quer tomar uma cerveja artesanal de personalidade ouvindo, sei lá, Wilco. A cervejaria cigana (sem fabricação própria) Hocus Pocus DNA, mistura música boa, 12 torneiras de chope de alto teor alcoólico e comidinhas legais, tudo servido em mesas comunitárias ou sofás e poltronas dentro, ou cadeira de praia do lado de fora. O bar tirou seu nome de canção famosa do rock progressivo setentista, que também toca na casa junto com uma trilha de clássicos na linha Fleetwood Mac e Thin Lizzy. Indie nacional e nova MPB, assim bons sons “linha Popload”, fazem parte do playlist da casa, que pelo que eu entendi é trocado mensalmente.

Captura de Tela 2016-12-14 às 11.06.01 AM

*

* E eis que até o esquisito território carioca da Barra, abastado por um lado mas carente de manifestações culturais “de base”, ganhou em 2016 um importantíssimo ponto de encontro da cena independente, da aquecida onda carioca de boas bandas e do som alternativo nacional mesmo. O espaço chamado Kult Kolector, uma loja de dois andares que é galeria de arte, moda lifestyle, arma para 2017 um estúdio de tattoo e, mais importante, tem um palco para cada vez mais frequentes apresentações de bandas indies. Mais? Nesta sexta-feira inauguram com festa o primeiro lançamento de selo próprio “ambicioso” ligado ao espaço, chamado Kult Kast, que segundo a galera tem por finalidade “amplificar e consolidar esse movimento de bandas independentes de altíssima qualidade”. No evento de depois de amanhã, base de lançamento de uma coletânea, estão escalados para tocar dois bons nomes do indie do Rio, The Outs e Two Places at Once, e o energético duo paulistano FingerFingerrr.

*

* Patrimônio vivo das movimentações sonoras do Rio de janeiro, o figura Mauricio Valladares, o Mau Val, agitador, radialista, DJ e fotógrafo, usou essa sua última e importante faceta recentemente para lançar um pomposo livro de fotos, focado no Rio e batizado de “Preto e Branco”, com imagens incríveis que vão desde um anônimo no Carnaval e o Freddie Mercury. São mais de 200 páginas e 142 fotografias (R$ 60) para um mundo diverso para o qual Valladares apontou suas lentes, em espacial para um universo sonoro. Da famosa foto do Bob Marley com a camisa do Pelé (abaixo) até o cultuado David Byrne, do Talking Heads, passando por Rita Lee e Clementina de Jesus, para citar apenas alguns. Presentão de Natal.

news_lurixs_21_1422038441.01.15_

*

* O principal nome da cena indie carioca hoje, o trio Ventre se apresentou duas vezes de modo especial em São Paulo nos últimos dias, no showcase da SIM-SP durante o dia e na Casa do Mancha, dentro da programação sob a chancela do festival Bananada, de Goiânia. Há algo de peculiar no modo de se portar no palco, cantando ou na guitarra canhota sem inverter as cordas, de Gabriel Ventura. Ao mesmo tempo que Gabriel está muito bem acompanhado pelo baixista Hugo Noguchi e pela baterista Larissa Conforto, em entrosamento evidente, ele muitas vezes no show faz sua viagem sozinho, introspectivo. Voltado para o… ventre.

IMG_7395

Se sua voz pode incomodar em alguns momentos pelo inerente “timbre Los Hermanos”, que é praga de certa geração de bandas independentes, principalmente do RJ, ela acalenta em outras horas, como à perfeição para cantar o tipo de letra que canta, na entonação entre o indie e a nova MPB que é surpreendentemente acompanhada por muita gente do público, mesmo em São Paulo, em praticamente todas as canções. No show que eu vi na Casa do Mancha, sexta passada, parecia que sua guitarra estava irritantemente fora da afinação, até eu perceber com a evolução do show que ela era mesmo daquele jeito e fazia todo o sentido para o som que emulava. Gabriel é magnético, está aí a foto acima que acidentamente define sua performance frente a esse Ventre. O grupo, que é da Zona Norte do Rio, lançou recentemente o DVD “Ao Vivo no Méier”, gravado em dezembro do ano passado na casa Imperator, um dos shows de lançamento de seu caudaloso primeiro disco, homônimo. O DVD pode ser assistido na íntegra, abaixo.

*

* O Rio é também sede de um dos mais originais e diferentes festivais do Brasil, o estranho-instigante-curioso Novas Frequências, que acabou semana passada depois de espalhar vanguarda dos dias 1º a 8 de dezembro de vários formas e por vários endereços do Rio de Janeiro, em especial o Galpão Gamboa. O site bamba de fotografia I Hate Flash postou um especial de imagens do Nova Frequência. Pegamos três emprestadas, mas lá tem muito mais.

Gamboa_0182
Gamboa_0085
Gamboa_0080

>>

CENA – Boooooom. Sequência de shows absurda agita São Paulo até domingo

>>

cena

* Dá até uma canseira antecipada só de pensar. Daqui a pouco, a partir das 20h, com show da carioca Marcela Mahmundi no Auditório do Ibirapuera, e se estendendo até domingo (tem mais, mas até aqui está bom), São Paulo vai ser sacudida por indie, indie psicodélica, indie-MPB, electro cool, pós-punk retrovanguarda, tudo embalado numa pacoteira incessante de shows legais em lugares legais e diferentes e tudo mais.

A grande atração da semana vai ser a cada vez mais relevante e hoje enorme SIM – Semana Internacional de Música, uma feira de música, com foco na indústria e mercado e que traz encontros, negócios, palestras e muitos shows. E na órbita da SIM, que abre oficialmente hoje à noite com shows do Liniker & Elsa Soares, com abertura da Mahmundi, vão girar muitos dessas apresentações na cidade. Mas, fora do “music convention”, a programação vai ser dinâmica. Vamos tentar abraçar (quase) tudo.

Captura de Tela 2016-12-07 às 7.38.56 PM

quarta

* Abertura SIM – Semana Internacional da Música
Auditório do Ibirapuera
Mahmundi – 20h
Liniker (foto acima) e Elsa Soares – 21h
ingressos esgotados

* Showcase Bananada @ SIM
Stage Bar (Barra Funda)
Hierofante Púrpura – 23h30
Boogarins – 0h30
mais infos aqui

quinta

* SIM
Centro Cultural SP – Sala Adoniran Barbosa
– Jéf 15h
– FingerFingerrr 15h40
– Deb and the Mentals 16h20
– Ogi 17h
– Tássia Reis 17h40
– Verônica Ferriani 18h20
– Chocolat 19h
– The Baggios 19h40
– Maglore 20h20

Z Carniceria
– Allie X
– Jaloo
– Tássia Reis
Das 21h às 3h

Casa do Mancha
Showcase Bananada

– Ventre
– Brvnks
Mais infos aqui.

Cine Joia
– Céu
– General Elektriks
– Sophie Hunger
Das 22h às 1h50

Centro Cultural Rio Verde
Festival Dias Nórdicos

– Inky
– Julia Clara
– Sandra Kolstad
– Teitur
Das 22h às 23h55

* Honey Bomb Mini Fest
Breve
– Bike 21h
– Catavento 22h

sexta, dia 9

* SIM
Centro Cultural SP – Sala Adoniran Barbosa

– Vicente Barreto 15h
– Craca e Dani Nega 15h40
– Molina Y Los Cósmicos 16h20
– Isaar 17h
– Yangos 17h40
– Quartabê 18h20
– Iara Rennó 19h
– Random Recipe (Canadá) 19h40
– Nomade Orquestra 20h20

Casa do Mancha
Showcase Bananada

– Carne Doce
– Bike
Mais info aqui.

Associação Cultural Cecília
– FingerFingerrr
– The Baggios
Das 20h à 0h

Z Carniceria
– Cartola
– Catavento
– Wannabe Jalva
Das 22h à 1h

Estúdio
– Dingo Bells
– Silva
Das 21h às 23h55

Cine Joia
– Orquestra Brasileira de Música Jamaicana
– Pardieiro
Das 23h às 5h

Jongo Reverendo
– Mi Amigo Invencible
– Pélico
– Un Planeta
Das 21h às 23h55

* Rakta
Show de lançamento do álbum “III”
Sesc Belenzinho – comedoria
Das 20h30 às 23h

sábado, dia 10

* SIM
Centro Cultural SP – Sala Adoniran Barbosa

– Juliana Cortes 15h
– Jack Nkanga (Angola) 15h40
– Luiza Lian 16h20
– Projeto Rivera 17h
– Mi Amigo Invencible (Argentina) 17h40
– Allie X (Canadá) 18h20
– Ventre 19h20
– Tagore (Canadá) 19h40
– As Bahias e a Cozinha Mineira 20h20

Estúdio
– Adam Naas
– Scalene
– Selvagens à Procura da Lei
Das 21h à 0h

Centro Cultural Rio Verde
– Chocolat
– Foreing Diplomats
– Les Deuxluxes
– Random Recipe
Das 21h às 23h55

VIC – A Casa do Centro
– El Efecto
– Francisco El Hombre
– Juanafe
– Rachid
Das 22h à 0h

Stage Bar
– Banda Uó
– Gabi Milino
– Luê
– Serge Erege
Das 22h às 4h

Z Carniceria
– Ego Kill Talent
– Far From Alaska
– Medulla
Das 22h às 4h

* Honey Bomb Mini Fest
Breve

– The Holydrug Couple 21h
– Winter 22h

* NoPorn
Dois shows ainda de lançamento do álbum “Boca”
– Pavilhão da Bienal – 16h
Show faz parte da Oficina de Imaginação Política (que começa às 14h)
– Al Janiah
Show com Babá Eletrônica (2h) e André Baiano (23h) no espaço árabe cultural e político do Bexiga. O NoPorn toca à 0h.

mauricio-pereira

domingo, dia 11

* SIM
Centro Cultural SP – Sala Adoniran Barbosa

– Mauricio Pereira 20 anos atrás 18h

Mirante 9 de Julho
Baile Tropical

– Patricktør4 convida DJ Manga
– Dr. Swing
– Kick Bucket
Das 15h às 20h

>>

CENA – É hoje! Balaclava Fest tem a banda inglesa Yuck e a americana Mild High Club puxando shows do Ventre e do Bilhão em SP

cena

* A galera multifuncional da Balaclava Records, guerreira da cultura indie brasileira, faz hoje em São Paulo a quarta edição de seu festival, botando para rodar no palco do Clash Club, na Barra Funda, como principais atrações, a banda indie mais americana da cena inglesa, o Yuck, que volta ao Brasil para shows, e a californiana e psicodélica Mild High Club.

A armada gringa tem abertura das bandas nacionais Ventre e Bilhão, ambas do Rio de Janeiro. Todas as bandas do Balaclava enquanto produtora do festival são do grande elenco da Balaclava enquanto selo mesmo. O trio Ventre é a nova aquisição. O Bilhão é uma dupla, formada por Gabriel Luz e Felipe Vellozo, este último também faz parte do Séculos Apaixonados e da banda da Mahmundi.

bala

Este é o quarto festival que a Balaclava arma dentro de um espaço ousado de um ano e sete meses, para fazer circular seus artistas. Mac DeMarco, Swervedriver, The Shivas e Mac McCaughan foram alguns dos nomes internacionais trazidos pela produtora. Supercordas, Quarto Negro, Séculos Apaixonados e Nuven estão entre os brasileiros escalados dentro das outras três edições.

O Yuck, que está em sua terceira passagem pelo Brasil, tocando no festival Se Rasgum (Pará) e na edição gaúcha do Balaclava Fest, lançou em fevereiro deste ano o bom “Stranger Things”, seu terceiro álbum. O single de “Cannonball” está tocando bastante nas rádios indies inglesas, pude perceber na viagem recente.

Acompanhe abaixo o horário dos shows. Os ingressos para o Balaclava Fest de hoje pode ser comprados aqui.

Captura de Tela 2016-11-14 às 1.19.54 PM

** A foto da home da Popload, relativa a este post, é de Carly Hoskins e traz uma sobreposição com a baixista Mariko Doi, do Yuck.

>>

CENA – Talvez o maior festival indie do mundo, o nordestino DoSol anuncia 100 bandas e 160 shows em 14 cidades de cinco estados

>>

cena

* Corrija meu título se eu estiver errado. Pode não ter a programação do americano South by Southwest ou atingir o gigantismo de outrora do brasiliense Porão do Rock, mas o negócio é que foi anunciado recentemente a nova edição do ousado (por tudo que o cerca) Festival DoSol, evento indie original de Natal, Rio Grande do Norte, que agora em 2016 completa 15 anos e que movimentará a cena nordestina em novembro acontecendo em 14 cidades de cinco estados.

Serão mais de 150 apresentações de bandas nacionais e internacionais no rolê bastante patrocinado e apoiado do DoSol, que chacoalhará entre os dias 11 e 27 de novembro a própria Natal, mais cidades da Paraíba, Sergipe, Pernambuco e Ceará.

Plutão Já Foi Planeta_Foto por Anderson Silva

“Este ano é facilmente a edição mais desafiadora que já fizemos para o Festival DoSol em toda a sua história. É um ano de muitas mudanças, com insegurança nas políticas públicas para a cultura. Navegar com um barco desse tamanho nessas águas requer muita firmeza, mas conseguimos reunir artistas maravilhosos numa mostra bastante diversa e teremos uma edição bastante contundente. É sempre uma batalha, mas estamos felizes de estar em pé mais um ano”, diz Anderson Foca, organizador do Festival.

“Queremos ampliar nossa área de atuação no Nordeste e consolidar o mês de novembro como um polo recebedor de música por toda a região. Todo mundo ganha: produtores locais, artistas e casas que recebem uma programação de qualidade e mais barata, subsidiada em parte pelo Festival DoSol e seus parceiros.”

O DoSol 2016 vai receber bandas e artistas como O Terno, Tulipa Ruis, Silva, Mombojó, Ventre, Maglore, entre muitos outros. Exemplos da armada internacional a visitar o Nordeste temos Gonzo, do Uruguai, Killimanjaro, de Portugal e The Kendolls, da Suécia. A vasta cena de Natal empresta ao DoSol nomes como Fetuttines, Luisa & os Alquimistas, Mahmed, Plutão Já Foi Planeta (foto acima) e Camarones Orquestra Guitarrística, a banda do chefe do festival.

Ah, também presente estará o Conjunto de Música Jovem Merda, do Espírito Santo.

Toda a programação e eventos do Festival DoSol 2016 estão informados nos seguintes links.

Cartaz Geral_Cidades e Bandas

O DoSol, cidade a cidade

* Natal, RN

* Paranamirim, RN

* Pium, RN

* Mossoró, RN

* Assu, RN

* Currais Novos, RN

* Caicó, RN

* Santa Cruz, RN

* Recife, PE

* João Pessoa, PB

* Campo Grande, PB
Programação em breve.

* Santa Rita, PB
Programação em breve.

* Aracaju, SE

* Fortaleza, CE

Caramba!!!!

*** A foto da banda Plutão Já Foi Planeta, deste post, é de Anderson Silva.

>>