Em vice:

Melhores discos do ano: uma análise profunda do top 100 da “Vice”, que botou dois discos da mesma banda em primeiro lugar

>>

* Mais um dia de listas por aqui. E hoje é a vez da cool-esquisitona “Vice”.

O curioso desta lista, na verdade, é que nem a gente faz ideia de quem sejam uns 60% dela, massssssss estamos aqui pela música e toda sua diversidade, então bora lá. A gente te conta o ranking de acordo com a nossa percepção, ok?

Nós aqui estamos focando nos dez primeiros das listas mundo afora. Mas, da “Vice”, vale analisarmos o top 100 mesmo.

E ele é assim:

100 – 95: Temos a Taylor Swift com seu “Folklore” não tão querido por aqui, e a Lianne La Havas que neste ano lançou um disco autointitulado sobre um coração partido.

95 – 87: X

86: Olha o Fantastic Negrito!

85 – 80: vários artistas de hip-hop e só uma mulher

79: as irmãs Haim!!!

78 – 70: legal, seja o que for.

69: era óbvio que ia ter Grimes aqui! Ou não?

68 – 65: X

64: Mothermonster, quer dizer, Lady Gaga

63: X

62: ahhh, Porridge Radio

61 – 57: turma que a galera da Mamba Negra deve curtir

56 – 51: tem uma cota latina aqui

50 – essa não era a moça do Paramore, aquela banda emo?

49 – 35: só conheço um

34: opa, opa. Dua Lipa

33 – 32: ???

31: Soccer Mommy!!!

30: Perfume Genius fofo

29 – 24: alguns nomes que a gente viu em outras listas

23 e 22: Rina Sawayama e Phoebe Bridgers (elas entram numa cota exótica/cool da lista também)

18: Charli XCX não ia faltar nesta também

17: Fleet Foxes, com uma pequena ajuda de nosso Tim Bernardes

15: Pa Salieu, que, se você não ouviu, apenas uma palavra: necessário.

13: uma banda que chama Shame mas não é o mesmo shame que você e eu conhecemos.

9: Waxahatchee: mais nomes familiares, uhuuu!

8: Yves Tumor, nice

5: Fiona Apple o álbum conceito do ano

3: Thundercat

2: Why is you here, Flo Milli? Ah, é a Vice!

1: SAULT e seus dois discos de 2020, realmente indiscutível e maravilhoso.

sault 1

sault2

>>

Malkmus faz cover irreverente de Black Crowes

>>

230115_malkmus2

Em dezembro passado, a marca cool de entretenimento VICE comemorou seus 20 anos de existência com uma festa de responsa. Artistas do nível de Jarvis Cocker, Karen O, Lil Wayne, Stephen Malkmus e Scarlett Johansson marcaram presença no evento e deram uma canja, com o suporte de uma banda liderada pelo músico Nick Zinner, do Yeah Yeah Yeahs.

Pouco mais de um mês depois, a VICE começou a liberar vídeos oficiais da festa e o mais recente deles chama bastante a atenção. O icônico músico, cantor e compositor Stephen Malkmus fez uma releitura de “Remedy”, faixa clássica da recém finada banda de rock Black Crowes.

O detalhe sórdido da intensa apresentação é que Malkmus não teve pudor em recorrer ao seu smartphone para conferir a letra da canção. Haha. No YouTube, as opiniões estão um tanto divergentes sobre a atitude do fundador do Pavement.

>>

A única lista de melhores do ano que realmente interessa ler (segundo a "Vice Portugal")

>>>

* Popload em NYC, mas de olho em Portugal.

Listas, listas e mais listas. Essa é a melhor, da séria-revista-zoada-ótima Vice, de Portugal. Cansados das listas de melhores músicas e álbuns do ano, a Vice dos gajos publicou a “Única Lista de Melhores Que Realmente Interessa Ler”. Isso aí. Um top 50 revisitando o que foi 2011, as tendências, os grandes nomes, os grandes álbuns, as revelações, as bandas de sempre.


O Fleet Foxes, 9º colocado da lista

 

Aqui vai o Top 50 da Vice Portugal, com algumas observações da Popload, já que tem artista português que a gente não conhece na lista haha. Mas vale a leitura.

50 a 43
Uma cena que nunca ouviu antes.

42 e 41
Outra cena que nunca vai querer ouvir.

40
O álbum daquele artista que é muito amigo de um jornalista de música e que passa, por isso, o tempo todo a abusar dos possíveis contatos para uma crítica positiva.

35 a 39
Álbuns que incluem músicas com a frase “feat. Nicki Minaj”.

34
Aquela banda que lançou um álbum por um selo indie ousado, que na verdade recebe rios de dinheiro da Universal Music (ou qualquer outra)

33
Um álbum qualquer que tenha vendido milhões para que ninguém entenda como anti-sucesso.

32
Uma banda que tenha lançado o seu álbum graças a um inovador modelo de distribuição três anos depois de alguém querer saber de inovadores modelos de distribuição.

31
Um álbum todo frito e louco, inspirado pelo RnB dos anos 90.

30
O Animal Collective lançou alguma coisa este ano?.

29
O álbum daquela banda que todo mundo nas redações adora sem se lembrar que os leitores são uns dez anos mais novos, ou seja, que nenhum deles pegou a fase que a banda fazia disco bom ou que nenhum deles quer saber que a banda voltou à velha forma.

28
O álbum de hip-hop feito por um artista na prisão.

27
Álbum obscuro de um artista folk que todo mundo considera “o Bon Iver deste ano”.

26
Bon Iver.

25
O álbum de um gajo qualquer do Chillwave que já percebeu que ninguém lhe acha piada em 2011 e que irá reaparecer, daqui dois anos, com um novo nome artístico e um bigodinho para ser tendência no regresso do Electroclash.

24
O novo super-grupo do momento, mesmo que todos os seus membros sejam perfeitos desconhecidos.

23
Um álbum que era o favorito a ganhar esta lista, mas que todo mundo decidiu deixar para último para tentar ser pouco óbvio e que está, por isso, no meio da lista.

22
Uma banda cujos músicos tenham sido todos nascidos, educados e desvirginados (!!!) no Brooklyn, mas que tenham escondido tudo isso para evitarem ser internacionalmente catalogados como “mais uma banda do Brooklyn”.

21
Um álbum em que a palavra swag apareça muito por nenhuma razão em particular.

20
Seja qual for o novo trabalho relevante do B Fachada (o Marcelo Camelo de Portugal?).

19
O álbum daquela banda razoavelmente underground que já tem uns 12 discos lançados e cuja posição neste tipo de listas varia de acordo com o número de capas de revista que apareceu ao longo do ano.

18
O álbum de qualquer artista que não seja ironicamente descrito como “pós-James Blake”.

17
Shabazz Palaces.

16
Aquele artista cujo álbum só teve alguma atenção porque ele ou ela está namorando com outro artista que também tem um álbum nesta lista.

15
Fausto Bordalo Dias (o Caetano Veloso deles?).

14
Qualquer banda que tenha uma tour marcada para o início de 2012 e precise, por isso, estar presente na lista por razões comerciais.

13
Norberto Lobo ou Filho da Mãe (ficamos com o Filho da Mãe).

12
Paul Simon ou Tom Waits.

11
Iceage ou Fucked Up.

10
O álbum de uma banda qualquer que venha ao Porto em 2012 graças ao Primavera Sound. (Ou que, no Brasil, venha a qualquer um de nossos diversos festivais).

9
Fleet Foxes ou Fleet Foxes.

8
O álbum de um dos caras dos Odd Future.

7
O álbum de um alguém que é ex-membro dos Odd Future.

6
Aquele álbum pós-dubstep que, segundo alguns jornalistas mais entusiasmados, “sintetiza na perfeição um ano cheio de descontentamento, motins e desobediência civil”.

5
The Glockenwise ou PAUS. (ops)

4
Aquele álbum de uma banda que teve o bom senso de o lançar em meados de Outubro (e não em Maio), ou seja, no momento exato em que as pessoas estão fazendo este tipo de listas, e que consegue assim agradar aos jornalistas mais preguiçosos.

3
O pessoal da redação só votou neste álbum porque todo mundo seu editor (ele adora estes caras) e ninguém quer ficar desempregado em 2012.

2
O álbum que, na verdade, ninguém ouviu, mas todos dizem (ou ouvem dizer) que é muito bom e que até teve um 8,5 da Pitchfork, por isso recebe muitos votos daquelas pessoas que se dispõem a fazer estas listas e percebem depois que só curtiram nove discos ao longo do ano.

1
PJ Harvey (Q), PJ Harvey (NME), PJ Harvey (Mixmag), PJ Harvey (Uncut), PJ Harvey (Classic Rock), Steve Jobs (Pitchfork), assobios por cima de loops transcendentais bué distorcidos de máquinas que fazem cimento (Wire).

Aquecimento Popload Gig – Rapture, ao vivo, de Londres

>>

* Popload em Nova York. E, por falar nisso…

* A incrível banda nova-iorquina The Rapture, um dos patrimônios indie-dance e atração do próximo Popload Gig (o 10, que acontece dia 25 de janeiro no Cine Joia), se apresentou em Londres nesta semana, num clube de boliche. O show teve transmissão ao vivo do Noisey, o canal da nova música na internet que tem curadoria da descolada revista “Vice”, publicação que circula de graça e causando nas principais cidades do mundo, São Paulo incluída.

O Noisey realiza shows de bandas cool em lugares inusitados, para transmiti-lo ao vivo pelo seu site. Desta vez, e nesta semana, armaram o show do Rapture direto do Rowans Tenpin Bowl, na capital inglesa. Lindo, lindo.

O Rapture mesclou seus hits com as músicas do ótimo disco “In the Grace of Your Love”, lançado neste ano pela DFA, o que já diz muita coisa. O Noisey deixou disponível em seu site uma edição especial do show do Rapture no boliche. Tem quatro músicas, 21 minutos. “In the Grace of Your Love”, “Whoo! Alright, Yeah… Uh Huh” , “Sail Away”, “How Deep Is Your Love”. Veja abaixo de Londres o que você vai ver em janeiro pessoalmente. Quer dizer, se…

* O Popload Gig com o Rapture acontece dia 25 de janeiro em São Paulo, no Cine Joia. O DJ e produtor francês Breakbot (da Ed Bangers) e a dupla curitibana Drunk Disco (Avalanche Musical) estão no festival. Os ingressos estão rapidamente sendo vendidos no site do Cine Joia.

>>