Em vovô bebê:

Popload Live: hoje, 17h, no Stories da @poploadmusic, papo e música com Vovô Bebê

>>

* O carioca Pedro Carneiro comparece hoje à Popload Radio carregando sua alcunha artística, Vovô Bebê, no papo + música que acontece logo mais na @poploadmusic, 17h.

Vovô Bebê, um dos destacados nomes da nova cena carioca, lançou o álbum “Briga de Família”, em fevereiro deste ano, um pouquinho antes de o mundo fechar. O som caótico muito bem tocado, e cantado, vai de Tom Zé a Frank Zappa em segundos. Deve ter muito conflito na cabeça desse menino. Ou desse senhor.

É o que vamos descobrir, logo mais, na Popload Live, 17h.

1 - PHOTO-2020-06-24-11-34-24

A live da Popload foi criada para proporcionar, em tempos de clausura, papo e performance com pessoas legais da nossa música. Inclusive… tocando música.

Já rolou por aqui conversa e som com Flavio FingerFingerrr, André Aldo, Eduardo Apeles, Vivian Kuczynski, Lucas Fresno, Rita Papisa Oliva e Ale Sater, do Terno Rei, Bianca e Rodrigo do Leela, Lucas da Glue Trip, Fefel do Boogarins, Duda Brack, Clarice Falcão, Gabriela Deptuski, do My Magical Glowing Lens, Jay Horsth, do Young Lights, Salma & Macloys, do Carne Doce, a trinca Naíra, Érica e Caro, do sexteto Mulamba, e João Erbetta, do Los Pirata, o Popoto, da banda Raça, a Sara Não Tem Nome e o produtor paulistano CESRV, o internacional Sessa, o cheio-de-histórias-incríveis Supla, a multimídia Lia Paris, o rapper afrojaponês-andróide Yannick Hara e a guitarrista e cantora Brvnks, o professor Frank Jorge, o brit-paulistano Charly Coombes, Tim Bernardes de O Terno, Mario Bross, do Wry, a diva Ava Rocha, o produtor mashapeiro Raphael Bertazzi, com o engenheiro de som e beatmaker Master San, com o músico mineiro André MOONs, com o enigmático cantor Gevard DuLove, com o músico, agora escritor e eterno VJ Luiz Thunderbird, Tatá Aeroplano, com o Pata, do Holger, com o mineiro JP, Jair Naves, Zé Antônio (dos Pin Ups), com o graaaande Clemente, do Inocentes, com a Giovanna Moraes, com Marcelo Perdido, com o Chico Bernardes, com Mário Arruda, do Supervão, o electroindígena Nelson D e a Larissa Conforto (Àiyé).

Tudo regado a som ao vivo, adaptado, rearranjado, diferente, tecnicamente perdoadíssimo.
Já teve DJ set, do ótimo Willian Mexicano, com a digníssima diva pop Pabllo Vittar participando animada. E a do Lúcio Morais, do Database. Do Trepanado, da Selvagem. Do Lúcio Caramori. Do Paulão, do Garagem. Do gaúcho hard-funk Fredi Chernobyl.

Já teve conversa sobre a história da CENA brasileira com um dos personagens principais dela desde sempre, o agitador Fabrício Nobre. Já teve papo de jornalismo musical com Pedro Antunes, editor da “Rolling Stone”, também conhecido como o inventor do programa “Tem um Gato na Minha Vitrola”. Já conversamos com Bruno Natal, do podcast Resumido, e Thiago Ney, da newsletter MargeM, dois instrumentos ~modernos~ vitais para entender o mundo hoje. Falamos também com Ronaldo Lemos, o maior especialista em internet no Brasil e ex-curador do Tim Festival. Com o jornalista-boleio Mauro Beting, que tem uma série de serviços prestados à música. E com a jornalista, escritora, DJ e agitadora Claudia Assef.

A ideia da live é que ela, diária, de segunda a sexta no período de quarentena, não necessariamente tenha um horário padrão para rolar, mas até que tem acontecido bastante às 17h.
A gente avisa aqui e nas redes o horário certo do dia.

Então, hoje, às 5 da tarde, no Stories do @poploadmusic, conversa e música com Vovô Bebê.

E lembrando que as Lives passaram a ficar disponíveis no igtv da conta do Popload Music, para outras revisitações ou mesmo para ver pela primeira vez. Escolha sua opção, mas veja.

>>

TOP 50 DA CENA – O primeiro lugar é da Mahmundi, sim! Thunderbird entra alto, sim! Mais: as novas de Jair Naves, As Bahias, Vanguart, Aiyé, ATR, Pantera Negra

>>

* Semana passada expressamos por aqui o nosso amor explícito à CENA. Foi nossa pequena homenagem aos tantos artistas que estão em casa sem poder fazer seus shows, sem proporcionar a reunião de pessoas em torno da música, juntando velhas e novas amizades na frente de um palco, sem movimentar por trás desse palco essa importante roda da economia musical que inclui tanta gente. Mas que ainda assim estão na briga, na luta. Escrevendo, gravando, indo atrás, buscando novos meios de encarar a realidade. O tal do “novo normal” que não temos ideia ainda do que vai ser.

De alguma forma, ou de várias formas, nesta semana veio um sinal e tanto dessa turma. Mais de dez músicas ótimas novas em folha. Boas novidades. Algumas que já estão pelo top 10 e outras que se espalham pela lista. A crise se apresenta, mas ninguém se rende, não. É sobre isso.

Ouça a CENA. O mundo está difícil. mas com nossas playlists fica um pouquiiiiiiiinho mais fácil. Elas, no Deezer e Spotify, contam de um modo a história do que estamos vivendo.

3 - PHOTO-2020-06-02-19-48-34

1 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (Estreia)
Em seu mais recente disco, Mahmundi encontra em velhos timbres um som que é totalmente novo. Seja para ela, seja para o mundo. Novo mundo. O que é o violão dessa faixa? Gravado em fita, ele transporta a gente aos anos 60, 70, enquanto todo o resto nos deixa em 2020. E bem acompanhados por Mahmundi, arrepiando em termos de voz e letra. Uau!
2 – Thunderbird – “A Obra” (Estreia)
Parece Morphine cantado por um adolescente louco. E talvez esssa afirmação seja mais literal do que parece. Afinal, estamos falando do querido Luiz Thunderbird, eterno e-VJ, já eterno agitador das várias mídias novas. Das almas mais apaixonadas por música. seja falando sobre ou aqui, em plena ação. Sabedoria e punk rock em doses corretas faz muito bem. E um disco inteiro ainda está por sair. Oba!
3 – As Bahias e a Cozinha Mineira – “Forasteira” (Estreia)
Enquanto deixa um novo disco guardado até que uma hora apropriada apareça, um EP feito nesta quarentena ilumina os dias da banda. E a bela “Forasteira” é das que mais chama atenção na boa coleção de cinco músicas.
4 – Jair Naves – “Irrompe” (Estreia)
Single de um disco que está interrompido por “motivos óbvios”, de acordo com o compositor, a faixa é uma reflexão dos novos tempos. Em um mundo zuado, qual a nossa responsabilidade com os problemas? O quanto nos permitimos ir além de um script imaginado por outras pessoas? Esta forte canção, “dramática” com todas as boas características que envolvem uma música de Jair Naves, foi feita no ano passado. Se já fazia sentido em 2019, imagina agora no meio disto tudo?
5 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (1)
“Mudou Como?” pode ser lida como uma música sobre um relacionamento que desandou e que ainda mexe bastante com os personagens. Quando Rico avisa que a música é sobre os “trágicos efeitos da ordem colonial”, os sentidos da letra se ampliam para muito além de um relacionamento qualquer. Precisamos ouvir e reouvir a música, uma produção de Mahal Pita pesadíssima.
6 – TARDA – “Breath” (2)
Sara Não Tem Nome, Júlia Baumfeld, Victor Galvão, Paola Rodrigues e Randolpho Lamonier formam este belo supergrupo de poucas canções lançadas, mas de ótimas canções lançadas. “Breath” é pura delicadeza e realmente serve de respiro no aperto em dias complicados. Sabe quais?
7 – ÀIYÉ – “Pulmão” (Estreia)
Velha conhecida do nosso ranking, a faixa ganhou um belíssimo vídeo. Vale ir ver. Quem ainda não ouviu o álbum de estreia da ÁIYÉ está marcando bobeira. Corre.
8 – Black Pantera – “I Can’t Breath” (Estreia)
Uma música emergencial para tempos emergenciais. A frase que marca os assassinatos de tantos jovens negros pela polícia é lembrada pela banda em um vídeo tão simples como forte. Letra seca, direta ao ponto, sob a égide do metal.
9 – Silva – “Aquele Frevo Axé” (ao vivo) (Estreia)
Em novo disco ao vivo, gravado em show de Portugal, Silva saca uma pequena joia do repertório de Caetano Veloso e Cézar Mendes, que o próprio Caetano nunca registrou em um disco de estúdio, só ao vivo. E bota ela aqui, da mesma forma. E Silva deixa a música como se fosse dele. Mas é do Caetano, imagina a “ousadia”.
10 – Vanguart – “Encontro Adiado” (Estreia)
Uma boa música que estava perdida e que casa com os tempos atuais. O Vanguart sacou essa dos tempos de “Muito Mais Que o Amor”, de 2013. Ficou de fora do disco lá, mas agora é nossa aqui.
11 – ATR – “Qué Tá Mirando?” (Estreia)
12 – Arthur Melo – “Tempo Após um Contratempo” (Estreia)
13 – Abc Love – “Catwalk” (Estreia)
14 – Sessa – “Sereia Sentimental” (3)
15 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (48)
16 – Jup do Bairro – “All You Need Is Love” (5)
17 – Gustavo Bertoni e Vivian Kuczynksi – “Louder Than Words” (6)
18 – Carne Doce – “A Caçada” (7)
19 – Tagua Tagua – “Inteiro Metade” (8)
20 – Meu Nome Não É Portugas e Apeles – “Eterno Azul” (9)
21 – Tatá Aeroplano – “Alucinações” (10)
22 – Tagore feat. Boogarins – Drama (11)
23 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (12)
24 – Edgar – “Carro de Boy” (49)
25 – Douglas Germano – “Valhacouto” (14)
26 – Rachel Reis – “Sossego” (15)
27 – Emicida – “Who Has a Friend Has Everthing” (16)
28 – Rincon Sapiência – Quarentena (17)
29 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (18)
30 – Clarice Falcão – “Só + 6” (19)
31 – YMA – “No Aquário” (20)
32 – Database – “Mandrake (Nesta onda)” (21)
33 – Mariana Degani – “Horda Mulheril” (22)
34 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (23)
35 – Kiko Dinucci – “Veneno” (50)
36 – Gui Hargreaves – “Praia do Futuro” (25)
37 – Clarice Falcão feat. Linn Da Quebrada (26)
38 – Duda Brack – “Pedalada” (27)
39 – Rohmanelli – “Toneaí” (44)
40 – Francisco – “Traumas” (29)
41 – Aldo – “Restless Animal” (30)
42 – Jhony MC – F.A.B. (45)
43 – Cícero – “Às Luzes” (33)
44 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (46)
45 – Djonga – “Procuro Alguém (35)
46 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (36)
47 – Vovô Bebê – “Êxodo” (47)
48 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (38)
49 – Troá! – “Bicho” (39)
50 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (40)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o roqueiro Thunderbird.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

Top 50 da CENA – E se o primeiro lugar desta semana fosse uma música chamada “Quarentena”? Mais: Tagore e Coruja BC1 voam alto nas paradas

1 - cenatopo19

* Uma música chamada “Quarentena” lidera o Top 50 na quarentena. Este dia ia chegar. O que mais podemos dizer?

Semana foi beeeeem movimentada. Muitos lançamentos de uma vez só e tentamos incluir tudo de bom a gente ouviu. Até ficou coisa de fora, inclusive umas inéditas que só nós ouvimos, porque só vão ser lançadas nos próximos dias e resolvemos não ser ansiosos e “forçar a entrada” já neste Top 50. Sim, jornalista de música tem lá seus privilégios, que merecemos, às vezes. Mas, como manda a quarentena, um dia de cada vez.

E, como manda a “Quarentena” do rapper Rincon Sapiência, é primeiro lugar.

Bem, outro problema, começa a ficar difícil tirar músicas da lista. Tem umas que queremos deixar o ano todo ali como se nada tivesse acontecido.

Bom, já sabem o resto, né? Playlist firmeza no Spotify e Deezer e os nossos espaços de comunicação todos abertos para suas sugestões. O que perdemos nesta semana? Avisa aí, por favor.

2 - rincon_feed_top50

1 – Rincon Sapiência – Quarentena (Estreia)
Rinco Sapiência é dos velhos adeptos do home-office. Não faria sentido a quarentena não ter um som dele. E ele fez justamente a música que leva o nome “Quarentena”. Bem ao seu modo, afiado, lotado de referências ao presente. Ouça várias vezes até captar tudo que ele joga aqui. É o mundo que em vivemos milimetricamente musicado. Ou rappeado. Para ser estudada nos livros de história. Perfeita.
2 – Tagore – Drama (Estreia)
A parceria da Tagore com o Boogarins deu jogo. A canção pega de cara de tão boa. Tem uma clima meio jovem guarda encontra a psicodelia. Carregada no som, mas a mensagem soa clara como música pop das mais limpinhas.
3 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (Estreia)
Coruja prevê um EP e um álbum neste ano de 2020. O EP sai nesta quarta-feira e um dos destaque é a romântica “Baby Girl”, que tem um beat daqueles, mas também tem um riff delicioso de guitarra. Romântica no clima, mas um tanto quanto reflexiva sobre aprender amar, entender o amor.
4 – CESRV – “Cry Baby” (1)
“Cry Baby” encontra um toque brasileiro em um sample que reconhecemos de uma música estrangeira que rolava nas rádios nos anos 80, tipo “flashback de FM”. É que o tal sample veio de um disco da banda carioca standard Cry Babies, um grupo que daria origem a Banda Black Rio e que regravou sons gringos em versões instrumentais em um disco de 1969. A música faz caminhos inusitados, não é? Quão rico é isso? Quão necessário são esses caminhos do CESRV?
5 – Douglas Germano – “Valhacouto” (2)
Aldir Blanc é das grandes perdas do ano. Relembramos o compositor versátil e afiado nesta letra incrível para um nome da CENA, que é Douglas Germano. “Valhacouto” é uma crônica sobre a violência nazista que acaba resvalando em cenas da atualidade. Passado e presente juntos em um alerta sobre o perigo que nos ronda. Prova de que Aldir seguia atento, forte e necessário.
6 – Ava Rocha e Los Toscos – “Lloraré Llorarás” (3)
A parceria da Ava Rocha com a banda colombiana é daquelas combinações que ficam tão boas e naturais que deixam a gente desejando por horas aquele som. São só duas músicas lançadas, mas queremos mais e mais disso.
7 – Clarice Falcão – “Só + 6” (4)
Clarice lançou um belo vídeo para uma música que está lá no seu disco de 2019. Que visual esse vídeo tem. Encantou a gente e voltamos ao disco e à faixa. Uma belezinha de sua fase eletrônica.
8 – YMA – “No Aquário” (5)
Que bom ouvir um novo single da YMA. A letra parece prever os tempos de pandemia, sendo uma letra feita antes da atual situação. A voz, o andamento, a letra (do Lau, do Lau e Eu), a guitarrinha à lá Chris Isaac. Tudo em harmonia perfeita. E a música nem é de disco (achamos). Pertence a uma coletânea de site.
9 – Database – “Mandrake (Nesta onda)”
Quase 5 anos sem lançar nada, aos poucos o Database volta à rotina com a dupla reestabelecida de novo em São Paulo. “A ‘Mandrake’ surgiu como uma brincadeira após uma viagem para Portugal”, conta a banda, que foi atrás de fazer um som “das antigas” que estão chamando de “nu disco rap”, cantada em português. Galera da eletrônica sabe a importância, a música está entre as 100 mais vendidas do Beatport. Só vai.
10 – Mariana Degani – “Horda Mulheril”
Primeiro single do novo álbum, o segundo da carreira de Mariana Degan. Aqui ela fala sobre a conexão e a solidariedade entre as mulheres que vêm sendo construídas nos últimos anos. Nas palavras da cantora, o ambiente escuro em que se via no passado agora se apresenta como um ambiente de acolhimento, força e poder.
11 – CESRV – “Onda” (6)
12 – Sara Não Tem Nome – “Agora” (7)
13 – Taco de Golfe – “Nó Sem Ponto II” (8)
14 – Vir GO – “Lunes” (9)
15 – Sessa – “Sereia Sentimental” (10)
16 – Clarice Falcão feat. Linn Da Quebrada (11)
17 – Duda Brack – “Pedalada” (12)
18 – YMA – “Evaporar – Ao Vivo” (13)
19 – Carne Doce – “Saudade” (14)
20 – Francisco – “Traumas” (15)
21 – Aldo – “Restless Animal” (16)
22 – Obinrin Trio – “Medo” (17)
23 – Ozorio Trio – “Get Up” (18)
24 – Cícero – “Às Luzes” (19)
25 – Boogarins – “Inocência” (21)
26 – Djonga – “Procuro Alguém (22)
27 – Letrux – “Déjà-Vu Revival” (23)
28 – ÀIYÉ – “Isadora” (24)
29 – Tuyo e Terno Rei – “Eu Te Avisei” (25)
30 – Troá! – “Bicho” (26)
31 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (27)
32 – Apeles – “Deságua” (28)
33 – Papisa – “Homem Mulher” (29)
34 – Valciãn Calixto – “3R1K0N4”
35 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (32)
36 – Marietta – “Analógica” (34)
37 – Manaié – “Tira a Mão” (35)
38 – Rohmanelli – “Toneaí” (36)
39 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (41)
40 – Jhony MC – F.A.B. (42)
41 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (43)
42 – Vovô Bebê – “Êxodo” (44)
43 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (45)
44 – Edgar – “Carro de Boy” (46)
45 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (47)
46 – Victorino – “Roque” (48)
47 – Valuá – “Veneno” (49)
48 – Kiko Dinucci – “Veneno” (50)
49 – Leo Fazio – “Se Pá”
50 – Tatá Aeroplano – “Alucinações”

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o rapper paulistano Rincon Sapiência.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – Febem, Fleezus e CESRV. Sabe quens? O topo é deles. ÀIYÉ também pediu passagem

1 - cenatopo19

* Chega de bloquinho. Agora o ano começou. Voltaram os lançamentos, alguns inclusive fora da já tradicional sexta-feira de novidades musicais, o que ajuda a gente a apurar com mais tranquilidade as músicas boas ao longo da semana.

No pódio da vez temos rap nacional novinho (ALERTA DISCAÇO!!), umas palavras sobre o novo disco da Larissa Conforto e a manutenção do Vovô Bebê, um dos nossos queridinhos até aqui. Além dos destaques, temos boas estreias pela lista, por enquanto lá embaixo e quem sabe logo mais no topo? Vamos ouvir.

Perdemos algo? Lembre-se de avisar a gente nos comentários. Sem se esquecer de que que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

larissa2

1 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (Estreia)
A parceria dos rappers Febem e Fleezus em um EP com produção de CESRV deu jogo dos bons. Repleto de músicas que estão prontas para irem bem longe, “Terceiro Mundo” é das que mais brilha ao citar Racionais, Marighella e “deixa os garoto brincar”. Ok, tem uma homenagem ao Corinthians… Mas beleza.
2 – ÀIYÉ – “Terreiro” (35)
Ouvimos o novo disco de Larissa Conforto, agora (há um tempinho) como ÀIYÉ, e gostamos do resultado do álbum, que será lançado só no dia 20 de março. Sai o rock dos tempos de Ventre e entra a experimentação com música eletrônica. As aventuras que ela faz com os ritmos dentro das próprias músicas são uma delícia de ouvir e perceber. Vem discão aí. Se liga.
3 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Ainda não deu para cansar deste disco. Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
4 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (10)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
5 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
6 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
7 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (8)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
8 – Jhony MC – F.A.B (Estreia)
Um dos raps mais certeiros do ano. Que letra que Jhony MC fez. Do futebol aos crimes do Estado. A ligação é bem-feita e o talento do rapper deixa a gente impressionado, como ele avisa na letra. Ouça no YouTube.
9 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (6)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
10 – Young Lights – “When You Were Here” (4)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
11 – Flu & Amigos – “Porco” (5)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
12 – MC Loma – “Predadora” (7)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
13 – Carne Doce – “Temporal” (9)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Liniker – “Não Adianta” (11)

Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
16 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (13)
17 – Amen Jr. – “amoretempo” (16)
18 – Marietta – “Analógica” (17)

19 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (12)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
20 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (18)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
21 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
22 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (20)
23 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (22)
24 – Terno Rei – “São Paulo” (15)

Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
25 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (27)
26 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (31)
27 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (23)
28 – Valuá – “Veneno” (34)
29 – Triz – “O Som Vem Assim” (38)
30 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (49)
31 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (40)
32 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (41)
33 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (44)
34 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (42)
35 – Yannick Hara – “Replicantes” (43)
36 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (45)
37 – Black Mantra – “Funky Drama”
38 – Barro – “Ondas do Desejo”
39 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (21)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
40 – Nill – “Options” (24)
41 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (25)
42 – Rashid – “Eu” (26)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
43 – Saskia – “Tô Duvidando” (32)
Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
44 – Julia Melo – “Touch”
45 – Hiran e Nininha Problemática – “Kika (Com Cara de Mau)”
46 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (50)
47 – Karol Conká, Johnny Hooker e Haikaiss – “Pronto pro Rolê”
48 – Linn Da Quebrada – “Oração” (39)
49 – Vivian Kuczynski – “Carne” (28)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
50 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (30)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, Larissa Conforto em seu projeto ÀIYÉ. O funkeiro paulistano Nego Bala ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>

TOP 50 DA CENA – Pouca mexida no pódio. Carnaval? Dá-lhe Vovô Bebê, Edgar e Kiko Dinucci. Who the fuck is FingerFingerrr?

>>

1 - cenatopo19

* Depois de semanas até que bem movimentadas, parece que os lançamentos musicais deram uma minguada por conta do carnaval. Com menos músicas novas circulando por aí, foi inevitável repetir esta semana o pódio da semana passada. Na real, as primeiras colocações nem se mexeram. Primeira vez que isso rola no nosso Top 50. Até porque estamos curtindo bem ainda o carioca Vovô Bebê.

Mas não ficamos parados, não. Temos novidades no resto da lista. Além disso, temos algumas subidas e descidas também. E, bom, se estamos perdendo algo, avisem nos comentários que a gente corre para ir ouvir as novidades.

Seeeeeempre lembrando que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

Ficamos assim:

liniker_slider

1 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
2 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
3 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
4 – Young Lights – “When You Were Here” (5)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
5 – Flu & Amigos – “Porco” (4)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
6 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (Estreia)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
7 – MC Loma – “Predadora” (6)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
8 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (Estreia)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
9 – Carne Doce – “Temporal” (7)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
10 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (Estreia)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
11 – Liniker – “Não Adianta” (24)
Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
12 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (10)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
13 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (12)
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Terno Rei – “São Paulo” (8)
Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
16 – Amen Jr. – “amoretempo” (13)
17 – Marietta – “Analógica” (17)
18 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (15)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
19 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
20 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (21)
21 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (22)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
22 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (25)
23 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (28)
24 – Nill – “Options” (9)
25 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (23)
26 – Rashid – “Eu” (16)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
27 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (Estreia)
28 – Vivian Kuczynski – “Carne” (11)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
29 – Lava Divers – “My Boy” (18)
Banda clássica do indie mineiro, o Lava Divers lançou um vídeo de música de 2017 para dizer que neste 2020 vem novidade por aí. Ótimo indie rock para aquecer os ouvidos _ e esperar ansiosamente por inéditas do Divers.
30 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (20)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.
31 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (36)
32 – Saskia – “Tô Duvidando” (26)

Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
33 – Hot e Oreia – “Estilo” (27)
Da ótima cena mineira de rap, Hot e Oreia conseguem dosar aqui humor e mensagem de uma maneira única. A sacada “Cês são CS, eu RPG” é para poucos. E o “pior” é que o som é bem bom. Olho neles.
34 – Valuá – “Veneno” (41)
35 – AIYÉ – “Terreiro” (30)
36 – Rachel Reis – “Ventilador” (31)
37 – Anderson Primo – Ocê, Oceano” (32)
38 – Triz – “O Som Vem Assim” (35)
39 – Linn Da Quebrada – “Oração” (29)
40 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (Estreia)
41 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (40)
42 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (Estreia)
43 – Yannick Hara – “Replicantes” (39)
44 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (Estreia)
45 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (Estreia)
46 – Bruno Capinam – “Mais Amor” (37)
47 – Karol de Souza – “Tambor” (43)
48 – Decaer & Vulgar Débil – “Na Taverna, Eu e Você: Aparições” (42)
49 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (Estreia)
50 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (Estreia)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a cantora Liniker. O duo punk paulistano FingerFingerrr ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>