Em wack:

O incrível Wack, teen-garage de Curitiba, lançou música nova. E vídeo. E tudo mais

>>

* Fico louco com essas coisas. Música nova do Wack, banda da frutífera Curitiba capitaneada por um moleque guitarrista de 17 anos e que tem uma fiel escudeira da mesma idade, baixista, japonesa e loira ainda por cima. O Wack, que já apareceu na Popload algumas vezes, é banda do lado B curitibano e seu proprietário, o tal guitarrista, se chama Ian Joe. Ele tem esse nome mesmo. Está na identidade. A mãe resolveu homenagear via filho sua paixão por Ian Curtis (Joy Division) e Joe Strummer (Clash). Mãe bacana.

Uma espécie de Jon Spencer do som de garagem sujo, ou Wavves para ter uma referência lo-fi mais atual, Ian Joe preparou um novo EP do Wack. Ele e sua parceira Tami Taketani lançaram, na virada de maio/junho, o EP “WACK LIVE”. Quatro músicas novas e mais um bônus, que dá para baixar gratuitamente no Facebook da banda. O bônus é a versão “slow” de uma música já slow.

O “live”, do nome do EP, foi porque o disco foi gravado no porão-estúdio da galera do Subburbia, outra espertíssima banda de Curitiba, meio que da “crew” que abarca bandas como o Wack, produtores de vídeos indies, fotógrafos idem.

A canção que puxa esse trabalho chama “Dry”, e é muito boa. E tem um vídeo-colagem bem bom também. Nessa Curitiba underground, as bandinhas de Curitiba adoram um vídeo-colagem cool. Está virando uma marca até. Difícil tirar o olho.

A gente tem aqui o vídeo de “Dry”, do “Wack Live”. Tenha o Wack você também.

>>

Curitiba, 40 graus… negativos. Conheça a WACK, banda de garoto de 16 anos que não conseguiu ninguém para tocar com ele, então foi e fez sozinho um EP que é…

>>

* Popload em Curitiba, à convite do Festival de Teatro. Hein?

* Ontem assisti à peça “Los Pájaros Muertos”, sobre Pablo Picasso, com orquestra ao vivo, falada em francês e espanhol, puxando gente da plateia para dançar, citando Elis Regina, com garotas peladas andando de moto e gente dançando quebrado igual uns amigos meus na balada. Não entendi muita coisa, mas adorei, haha.

* Vim muito para ver o espetáculo do Steven Severin, ativista do pós-punk inglês dos anos 80 (claro!), mas o cara cancelou. Então me resta ir caçar os… novos curitibanos.

* Para quem só botou camiseta na mala, e levantou no meio da noite para desligar o ar-condicionado do quarto que NÃO estava ligado, a notícia de hoje de jornal, “Temperatura vai despencar”, não foi das mais gostosas de ler, principalmente com o “lide” começando na linha “Prepare casacos e cobertores. Depois de vários meses…” Hoje amanheceu com 10 graus. Amanhã deve descer a 6.

* Novos Curitibanos – Preciso investigar, mas parece que a cena dos novos curitibanos está tendo importantes baixas. A ver.
Enquanto estou em Curitiba, o reformatado Copacabana Club está fazendo turnê do ônibus em Londres. E A Banda Mais Bonita da Cidade está ajudando a construir casas para quem não tem casa em São Paulo.

* Novíssimos Curitibanos: Conheça o WACK – A história é assim. Moleque de 16 anos, armado de uma guitarra barulhenta, não consegue arrumar amiguinhos para fazer uma banda. Galera mais velha não dá muita atenção para ele, que se chama Ian Joe. Então ele vai, grava sozinho o espetacular EP “Bad Vibes Forever”, de cinco músicas, e decide que ele é uma banda chamada WACK. O EP tem capa que o Morrissey não aprovaria e som garage que os amantes do Sonics ou Pussy Galore aprovariam muito. o Jon Spencer, então… O menino ainda me lembra bem o chinês doido do Dirty Beaches, do Brooklyn, com mais técnica, hahaha. E, com esse EP debaixo do braço, ainda caça alguém para formar uma banda com ele. Ai se eu soubesse tocar baixo, pelo menos.

O EP está todo aí embaixo. Se você só tem tempo para uma música, escute “Get Lost”, forte concorrente a melhor música que o Brasil vai forjar neste ano, incluindo na lista a “Ai Se Eu Te Pego”.

1. Blasted 02:27
2. BURSTINGcorpes 01:21
3. CALI SURFERS 01:23
4. get lost 02:07
5. Virtue Monroe 03:47

Fotos: Estelle Flores

>>