Em warpaing:

Popload na Austrália. Com a Lorde e as Haim. E Parque Courts e Jagwar Ma

>>

* Popload em Sydney.

IMG_7088

Acabei de saber que nesta semana vou ter duas terças-feiras, uma aqui, outra em Los Angeles. Para compensar a sexta-feira que eu perdi vindo para cá, que eu não registrei a passagem. Você está entendendo? Eu também não.

Me contaram aqui, eu ri e tal, mas tive que ver com os próprios olhos para botar uma fé. Sydney é uma cidade tipo Rio de Janeiro, com praias bonitas, relação cidade-natureza forte e uma galera que curte o culto ao corpo. Malha, corre, faz exercícios. Nos parques, à beira-mar. Daí que…
Nem sei se é tão novidade assim, mas a moda aqui entre as mulheres, nessa onda saúde, é ir para a academia vestida de… Flashdance. O filme dos anos 80. Moletom dois ou três números maior, recortado. E as polainas, claro. Mas não usadas em cima. Colocadas mais para baixo, amassadas, quase como um meião. Quando me contaram achei que isso era uma coisa na linha indoor, dentro de academia e tudo mais. Mas boa parte da “academia” dos australianos é em meio a parque público mesmo. Maniac. No próximo rolê em parque vou tentar uma foto.

Screen Shot 2014-01-13 at 10.54.26 AM

* LANEWAY FESTIVAL – O line-up chega a ser espetacular de tão indie. Pelo que eu estou entendendo, quando o festival foi armado e divulgado, no ano passado, a atração principal era a banda Warpaint. Hoje em dia, é Lorde e Haim, fácil.
O festival também é itinerante, tipo o Big Day Out. Tem quatro palcos. As edições de Melbourne (foi sexta) e Sydney (é agora, no domingo) estão esgotadíssimas faz tempo.
Além de Lorde, Haim e Warpaint, o festival traz QUATRO coisas lindas de se ver:
1. minha banda nova predileta, o Parquet Courts, de Nova York;
2. o incrível rapper inglês ruivo King Krule, que escreve tipo como o Morrissey, canta como se o Joe Strummer (Clash) fosse do hip hop e em sua música há ainda algo de jazz e dubstep. ninguém é tão futuro na música jovem e urbana hoje como o King Krule.
3. o delicioso Jagwar Ma, aqui mesmo de Sydney, mas acha que é de Manchester começo dos 90, amiga dos Happy Mondays e tal. Indie dance viciante, eles vão a SP e Rio em março. Lançaram o disco de estreia no ano passado, sem nenhuma música ruim e sem nenhum remix ruim para cada música não ruim que eles têm.
4. o Jamie XX, a cabeça sonora do The XX, quase tão importante atuando solo produzindo e discotecando do que sua banda principal.
Tirando tudo isso o Laneway Festival tem Chvrches, Kurt Vile, Autre Ne Veut, Drenge, Mount Kimbie, Savages, Cass McCombs, Four Tet, Youth Lagoon e outros.
A parte “down-under” das atrações, muito bem encabeçada por Lorde (neozelandesa) e Jagwar Ma, tem também Vince Joy (da ótima canção “sing-a-long” e pra cima “Riptide”, a música número 1 do Top 100 de 2013 da rádio Triple J), Cloud Control e Jezabels, para citar os mais bombados por aqui.

A única coisa MUITO CHATA a respeito do Laneway Festival é ter feito o crime de botar o Parquet Courts e o Jagwar Ma para o mesmo horário. O MESMO HORÁRIO. Ainda não sei como proceder.

A rádio Triple J transmitiu ontem ao vivo o Laneway Festival de Melbourne. E postaram um vídeo que reproduz um pouco o clima desse evento indie daqui. Com a música do Vince Joy como personagem principal. Olha que demais.

Screen Shot 2014-01-13 at 9.50.55 AM

Galera no show da Lorde ontem, sábado, no Laneway Festival de Melbourne

Screen Shot 2014-01-13 at 9.54.22 AM

E a própria…

* Duas musiquinhas da galera local que vai estar no Laneway Festival aqui de Sydney: a primeira é um remix incrível para a bela “The Love Club”, que está no primeiro EP que ela lançou, no ano passado, e ficou de fora do álbum de estreia, também do ano passado, haha. A menina é mesmo um estouro. A segunda música é do Jagwar Ma, um remix que eles fizeram deles mesmo para “Let Her Go”, single do álbum “Howlin'”, a estreia da banda, lançado no fim de 2013.

E amanhã um descanso na região da Bondi Beach…

IMG_7055

*** A Popload está em Sydney a convite do Tourism Australia

Popload em LA. O Fuck Yeah Festival vai começar, para devolver o indie ao indie

>>

* Popload na Califórnia.

* Já que os megahiperblaster festivais tipo Coachella e Lollapalooza tomaram o indie dos indies e o transformaram em mainstream, vem um moleque para devolver a música independente a um festival independente. Acontece hoje e amanhã em Los Angeles o delicioso Fuck Yeah Festival, festival de nome apropriado para abrigar 70 bandas do punk ao eletrônico em um parque no meio do centrão de Los Angeles, a região “feia” de Downtown. Imagine o centrão de São Paulo. Pense agora nessa área a caminho da restauração, ganhando ares cool de novo, novos restaurantes e clubinhos, reformas em parques e ruas. Enfim, a revitalização de lugares históricos.
Pois, do lado contribuidor indie hypster, o FYF Festival está fazendo sua parte.

O local do show é perto da prefeitura de Los Angeles, no Los Angeles Historical Park, colado já na famosa região de Chinatown. Ali, cerca de 30 mil pessoas por dia estão sendo esperadas para ver a partir de daqui a pouco a 9ª edição do evento, criado por Sean Carlson quando ele tinha 18 anos.

De edição em edição, o festival cresceu absurdamente, em tamanho, número de bandas, patrocinadores. A Goldenvoice, que organiza o Coachella entre muitos eventos musicais nos EUA, já se aproximou do FYF, para dar uma idéia. Uma ainda mais robusta e impactante edição está sendo prometida para 2013, quando o festival completa 10 anos.

Do dream pop do M83, do punk sueco do Refused, o folk delicinha do Beirut até a bombástica eletroferveção do Simian Mobile Disco, passando por gostosuras como Glass Candy (foto acima), Father John Misty, Paul Banks, The Faint, Future Islands, Warpaint, Chromatics, Chairlift, Tainlines, Twin Shadow, Liars, Yeasayer, Fucked Up, Health e, ufa, Dinosaur Jr e Vaselines, entre muitos outros, o Fuck Yeah Festival 2012 vai ter destaque aqui na Popload.

Os destaques de hoje do FYF são:

A Popload está em Los Angeles a convite da marca de óculos brasileira Chilli Beans, uma das patrocinadoras master do FYF Festival. Eles me perguntaram se eu queria vir para o festival e eu respondi: “Fuck Yeah”.

>>