Em What Drives Us:

Dave Grohl estreia filme em homenagem às viagens de vans de bandas pequenas. E leva a filha para cantar na TV

>>

* Estreou hoje na Amazon Prime o documentário “What Drives Us”, idealizado pelo foofighter Dave Grohl. O filme é uma declaração de amor e uma volta do ex-Nirvana às lembranças de começo de carreira como integrante de banda pequena, quando “tudo começou”. E para essa viagem ao passado ele carrega junto um monte de gente de banda de todos os tamanhos, até gigantescas como as deles mesmo ou Metallica ou U2 ou Red Hot Chili Peppers, por exemplo, que um dia foram pequenininhas.

O símbolo focado no filme produzido e dirigido por Grohl são as vans de turnês, veiculo que puxa o “drives” do título do doc e representa uma pratica bem comum de bandas novas caírem na estrada para pingar de cidade em cidade tocando. O guitarrista do Foo Fighters foi atrás da van vermelha que o levava nos tempos de “bateristinha” ainda, para comprá-la.

grohl

“What Drives Us” começa com uma frase de Grohl dizendo que todas as grandes bandas do mundo tiveram que começar de algum lugar. “E todas as que conheço começaram assim, em uma van.”

Sim, o filme vai além dos carros que uniam as cidades em torno do rock. Ele fala com sua enorme lista de convidado ilustre sobre inspiração, tocar em cima de um palco diante de uma plateia seja ela de 30 pessoas ou 30 mil, mas desde o começo. Que fica com cara de “os bons tempos”, para um sujeito que faz dois shows no Brasil e praticamente pode comprar todas as vans dos Estados Unidos. O exagero é para passar o sentido.

Mas um bom e hoje dolorido jeito de enxergar esse “What Drives Us” é como uma celebração à música ao vivo. Dessas com banda tocando e galera assistindo, todo mundo no mesmo lugar e ao mesmo tempo, lembra? Algo que nos foi tirado ao mesmo tempo que nos motiva a enxergar a volta mais para frente. [Já falei aqui do Popload Festival 2022?]

Dave Grohl, além da música que faz e os showzões que conduz para a banda que comanda é um cara tão boa praça demais quanto chato. Ou “chato”, que seja. Ele está em todas,a toda hora e em todo lugar. Faz cover de todo mundo, faz 200 projetos, um outro tanto de filmes, puxa a filha de 15 anos para cantar com ele, se envolve em causas musicais. Abraça sonoramente até religião que nem é a sua. Porque o cara ama rock e não sabe nem quer fazer outra coisa. “What Drives Us” é mais um de seus bons produtos para manter o gênero sempre vivo. Não que ele esteja morrendo, essa é a graça da coisa. E a importância de Grohl.

O filme, para quem gosta de música em geral, mas também bastidores, ver gente famosa e novata falando da mesma coisa com a mesma paixão, apenas com diferentes fases de vidas, é uma delícia, embora não pretenda concorrer a um Oscar ou ser unanimidade da crítica especializada. É um filme de roqueiro para roqueiros, seja esses gente de banda ou apenas fãs.

Captura de Tela 2021-04-30 às 6.00.46 PM

Flea Chili Peppers, Steven Tyler (Aerosmith, o da foto acima), Ben Harper, St. Vincent, Lars Ulrich (Metallica), Brian Johnson (AC/DC), Tony Kanal (No Doubt), The Edge (2) e Ringo Starr, daquela banda lá, são alguns dos nomes que dividem espaço com os molequinhos da banda Radkey, para citar alguns.

“Eu, pessoalmente, não acho que estaria aqui se não fossem as experiências do começo, cair na estrada numa van, viajar com meus amigos para tocar. Se não fosse aquelas velhas vans, eu não tenho ideia onde eu estaria hoje”, disse Grohl, no filme.

No começo desta semana, Grohl e sua filha Violet foram a atração musical do programa de entrevistas do Jimmy Kimmel, um desses noite adentro da TV americana. Grohl tocou guitarra e montou uma “bandinha” para sua filha de 15 anos cantar “Nausea”, uma sensacional cover da lendária banda punk californiana X, música esta que já tinha tido seu áudio revelado há alguns dias e está na trilha sonora do “What Drives Us”, o doc.

Para a família Grohl brilhar na TV, o ex-Nirvana Krist Novoselic tocou baixo, o slayer Dave Lombardo espancou a bateria e o superprodutor Greg Kurstin comandou teclados.

Tudo o que envolve esse “What Drives Us” é legal. Embarque nessa van do Dave Grohl. Se você assinar o Prime Video da Amazon, ou conhecer alguém que assine, ou saber se movimentar pela internet, vai ajudar bastante.

>>

As crianças estão bem. Garoto de 10 anos em cover de Rage against the Machine, enquanto a filha de Dave Grohl canta música da banda punk X (com o pai)

>>

* Estão?

Violet Grohl, a filha de 14 anos de Dave Grohl, se juntou ao pai para fazerem uma versão de “Nausea”, música da lendária banda punk californiana X, uma das bandas prediletas do dono do Foo Fighters. A menina canta “Nausea”, tipo lindamente. Violet parece estar bem encaminhada mesmo. Aos 12, já tinha participado num evento pró-Nirvana, cantando “Heart-Shaped Box” ao lado dos ex-integrantes da banda, obviamente sem Kurt Cobain. Mas agora ela ganhou um protagonismo maior, ao assinar a cover com o pai.

“Nausea”, pelos Grohl, foi postada na conta de YT do Foo Fighters, remetendo ao ” target=”_blank”>documentário “What Drive Us”, que estreia na Amazon Prime dia 30 de abril, sexta-feira da semana que vem, e é dirigido por Dave Grohl, ótimo contador de histórias, desta vez disposto a contá-las com todos seus laços familiares no longa.

Estamos de olho aqui para quando Violet Grohl formar sua banda.

***

* No paralelo e sem conexão com a cover acima apareceu na conta do YT da
O’Keefe Music Foundation, ong americana que ajuda na formação musical de crianças sem condições econômicas, um vídeo de um homem de 10 anos de idade cantando “Freedom”, importante canção de protesto da sempre protestante Rage against the Machine. A garoto se chama Colt Shedden e estrela ainda um vídeo da versão. Outro míni ser humano que esperamos ver o futuro musical ansiosamente.

>>

Popnotas 2 – O filme novo do Dave Grohl. O vídeo fera do Years & Years. Lil Nas X nas paradas do mundo. Silk Sonic dominando os EUA

>>

– Até quem encana que nosso amigo Dave Grohl não vive seus melhores momentos na música admite que o rapaz se encontrou mesmo foi na onda de fazer documentários: os já conhecidos “Sonic Highways” (2014) e “Sound City” (2013), por exemplo, são duas obras bem legais. E vem aí mais um documentário by Grohl. É o filme “What Drives Us”, um doc que começou sobre a experiência das turnês em vans e evoluiu para uma avaliação sobre o que realmente motiva um músico a embarcar nessa vida. O documentário tem entrevistas com Jennifer Finch, do L7, Tony Kanal, do No Doubt, Flea, do Red Hot Chili Peppers, Lars Ulrich, do Metallica, entre outros. O “What Drives Us” estreia no dia 30 de abril pela Amazon Prime. Dá uma sacada no trailer:

– “Starstruck”, primeiro single do grupo inglês Years & Years desde o álbum “Palo Santo”, de 2019, e depois de o dono da banda, Olly Alexander, ter estourado com a supersérie “It’s a Sin”, ganhou um vídeo responsa, divulgado hoje. Dançando sozinho, o talentosíssimo Olly domina a cena em uma coreografia da renomada Sherrie Silver, responsável por “This Is America”, vídeo obra-prima do Childish Gambino.

– “Montero (Call Me by Your Name)”, do Lil Nas X, pegou o primeiro lugar esta semana no Billboard Global 200 – ranking lançado em setembro do ano passado para listar quais são os singles mais bombados no mundo, em uma conta da publicação que leva em consideração vendas e streamings em 200 países. Tudo bem que ele já tinha ficado em segundo no nosso top 10 gringo, mas conseguiu mais uma grande conquista com seu single arrasa-quarteirão, de vídeo idem. Que, aliás, já estava em primeiro no tradicional Hot 100 – single mais vendidos só nos EUA – na semana passada.

– Na semana passada porque quem está agora no topo da América é o single de esteia do supergrupo Silk Sonic, projeto dos bambas Bruno Mars & Anderson .Paak (foto na home). A música primeirona do rolê é a deliciosa “Leave The Door Open”. O feito representa ainda a oitava vez que uma faixa de Bruno Mars é número um no chart Billboard Hot 100. Dupla de muitos prêmios Grammy nas costas, eles dizem que a pretensão é lançar um álbum ainda este ano. O vídeo oficial de “Leave The Door Open” é muito bom. E, falando em vídeo, a apresentação deles da música no último Grammy virou tipo um “vídeo oficial 2”. Relembramos os dois, aqui embaixo

>>