Em Win Butler:

Win Butler continua cantando músicas dos outros e “invade” show do Future Islands

030914_futurewin2

Em turnê com o disco “Singles”, lançado no início deste ano, a banda americana Future Islands se apresentou na noite de ontem em Montreal. Grupo de Baltimore liderado pelo distinto vocalista Sam Herring, que passeia pela new wave e synthpop com um toque bizarro de psicodelia, o Future Islands recebeu um reforço de peso no palco em solo canadense.

Nada menos que Win Butler, do Arcade Fire, dividiu os vocais com Sam na canção “Seasons (Waiting on You)”, um dos hits do grupo americano.

Win recém terminou seu giro mundial com o Arcade Fire e, parece, tomou muito gosto em cantar músicas dos outros. Os registros dos fãs, aos poucos, estão pipocando na net.

>>

Arcade Fire e sua obra de arte amadora

>>

* Oba, desta vez não é a banda tocando cover de alguém.

140814_af

A trupe canadense Arcade Fire tirou um tempo em sua conturbada agenda para gravar o vídeo de seu novo single, “You Already Know”, provavelmente o último do álbum “Reflektor”.

Na verdade, dá para descrever a situação por uma outra ótica: a banda estava trabalhando enquanto o Win Butler, sim, tirou um tempo para fazer as vezes de diretor.

Com uma câmera em mãos, Win registrou seus companheiros em um ensaio. Com takes aleatórios, juntou todo, botou uns efeitos especiais em algumas obras de arte “cantando” a música e dali saiu o vídeo.

O Arcade Fire está na fase final de sua turnê que passou pelo Brasil há alguns meses. Na agenda, mais ou menos 10 datas por Estados Unidos e Canadá, terra natal deles. O derradeiro show será em Montreal, dia 30 de agosto, em um parque, com abertura do Spoon e do Dan Deacon. Tá ruim?

>>

O Papa é Pop: “Francisco” abençoa e dança com o Arcade Fire em Roma

260614_afire3

Uma das principais atrações do festival Glastonbury neste fim de semana, o Arcade Fire segue no gás com sua turnê de verão pela Europa. Antes do compromisso em terras inglesas, a banda canadense realizou dois shows na Itália, nas cidades de Roma e Verona.

No show em Roma, ocorrido na última segunda-feira, em meio às chinfras e teatrinhos já conhecidos nesse show novo, Win Butler apareceu no palco vestido de Papa Francisco, com direito ao cabeção característico como os que a banda tem utilizado como figurino desde o início da turnê. O “Papa” apareceu em outros shows do grupo, tipo no Coachella.

260614_afire1

Win entrou no palco evocando o sacerdote argentino na volta do bis, ao som da canção gospel “Pie Jesu”. Em seguida, retomou o show com a carnavalesca “Here Comes the Night Time”. A parte indie-messiânica do show, claro, ficou com “Wake Up” no encerramento.

O Arcade Fire toca nesta sexta-feira no Glastonbury.

* Setlist – Arcade Fire em Roma
Rebellion (Lies) (intro played by fake band)
Normal Person
Reflektor
Flashbulb Eyes
Neighborhood #3 (Power Out)
Rebellion (Lies)
Joan of Arc
Month of May
The Suburbs
The Suburbs (Continued)
Ready to Start
Neighborhood #2 (Laika)
No Cars Go
We Exist
Afterlife (w/ ‘My Body Is a Cage’ intro)
It’s Never Over (Oh Orpheus) (Régine on B-stage)
Sprawl II (Mountains Beyond Mountains) (‘Damian Taylor Remix’ intro)

Bis:
Pie Jesu (played over PA, with Pope bobblehead)
Here Comes the Night Time
Keep the Car Running
Wake Up

>>

Arcade Fire faz cover de Smiths e Echo & The Bunnymen ao vivo

>>

* Ainda por cima, levaram o Morrissey ao palco no show de Londres numa cabeça de televisão. TVhead.

Screen Shot 2014-06-09 at 8.41.38

Screen Shot 2014-06-09 at 8.52.03

Sábado passado, em show no grande Earls Court Exhibition Centre, a passagem da turnê do grupo canadense Arcade Fire por Londres trouxe um convidado especial de certa forma, em frente de 20 mil pessoas. Uma imagem do mitológico cantor Morrissey apareceu em uma TV “vestida” na cabeça por um dos integrantes da banda, enquanto Win Butler de máscara cantava “London”, dos Smiths, uma música não necessariamente fácil e usual de ser transformada em cover. Mas, na velocidade certa do Arcade Fire e no gás vocal de Butler, arrisco a dizer que a homenagem a Londres em Londres com “London” ficou sensacional.

Tem o áudio ripado do youtube, também, colocado no Soundcloud.

Um dia antes, em show em no mesmo Earls Court, o Arcade Fire homenageou o rock inglês com uma música do histórico Echo & The Bunnymen, heróis de Liverpool dos anos 80. Fizeram cover da incrível “The Cutter”. E ficou sensa na mesma medida. Tudo bem que ajudou que O IAN MCCULLOCH DOS BUNNYMEN ESTAVA NO PALCO CANTANDO. Sério.

Emocionante tudo isso ou o quê?

>>

E no meio da madrugada tinha o Jake Bugg, o Win Arcade Fire, o Disclosure

>>

Screen Shot 2014-04-06 at 12.09.08

* Não bastasse o perrengue de sair lááááá de Interlagos tardão da noite, quando chegávamos à “civilização” era preciso optar por ver o Jake Bugg no Cine Joia, o Win Arcade Fire discotecando Beastie Boys e frufrus no Bar Secreto ou o Disclosure praticando um DJ set no Gran Metropole. Sem comer, sem banho. Ou um pouco de tudo isso acima. Incluindo artistas, asseio, alimento.

IMG_7729

IMG_7734

Screen Shot 2014-04-06 at 11.52.34

JAKE BUGG – o Cine Joia, na Liberdade, estava cheio, com fãs na porta desde as sete (whaaa?), menores de idade implorando ao manager por misericórdia, para entrar onde não podia “de menor”… Jake Bugg já foi ao palco com gritaria de boy band. Meninas ensandecidas, meninos emocionados. Sério. O inglês quietão (marrentinho, mas com coração haha) falou pouco e tocou muito. 20 anos e umas 7 guitarras, só no palco — sem contar os dois violões. Começou com violãozinho básico, a la Bob Dylan, foi acelerando, acelerando, plugou tudo e o show foi ficando mais pesado. “What Doesn’t Kill You”, desta fase “elétrica”, ao vivo, é maravilhosa! Voltou para um momento violão (com ele sozinho no palco) e terminou com banda e mais guitarras. Tudo, TUDO!, cantado do começo ao fim por quem estava lá (“Two Fingers”, principalmente). Jake Bugg toca hoje no Lolla (quase que) ao mesmo tempo que Soundgarden… Adivinha quem a gente vai ver? ;o)

WIN BUTLER – Quem te viu e quem te vê, hein Win Butler? Sorte nossa, mas aquele gigante tímido, desajeitado, que na primeira vinda ao Brasil, em 2005, nem quis sair do hotel e tudo mais, acabou se transformando em show man, piadista, animador de festas com cabeças de Olinda e até DJ.

Em discotecagem de “última hora” no Bar Secreto, em Pinheiros, Win Butler vestia a sua tradicional fantasia de DJ: luvas de esqueleto, roupa camuflada e um lenço cobrindo o rosto (quando deixava a picape). Setlist improvisado, meio zoeira meio sério, mas quem estava lá nem ligava muito para isso, na verdade. Gostamos da versão zero por hora de “Hey Ya” e um Michael Jackson (em uma das várias do Jackson que ele tocou) beatbox. Tomando cachaça no gargalo e animadíssimo, ainda desceu para pista e dançou com a ~galere~. Óóónnnn. Win Ferveção tem todo nosso apoio. Só não vai dar uma de Julian hoje, por favor!

DISCLOSURE DJ SET –
O “show” que no fim era DJ set do grupo inglês de irmãos Disclosure foi “estranho”. Essa foi a impressão maior que arrancamos de quem foi. O grupo subiu às picapes do Gran Metropole, no Centrão, tipo 2h da manhã, cerca de três horas depois da ótima apresentação deles no Lollapalooza.O estranho (!) é que, como não fomos, perguntei para vários amigos que foram e quase todos falaram: “Estranho”!

>>