Em wonderwall:

Festival na Inglaterra. Liam Gallagher canta dez músicas do Oasis no Isle of Wight 2021. Veja o show. E veja também a cara dele depois da “queda do helicóptero”

>>

Captura de Tela 2021-09-20 às 12.21.05 AM

* Num setlist que tinha 17 músicas no total, o roqueiro figuraça Liam Gallagher cantou DEZ músicas de sua ex-banda, o Oasis, sexta-feira no festival Isle of Wight, em Newport, Inglaterra. Se contar que “Fuckin’ in the Bushes” tocou quase inteira enquanto Liam e companheiros eram esperados no palco, foram 11. O hit gigantesco “Wonderwall” foi o grand finale. Temos todo o show, ali embaixo.

O Isle of Wight, que reuniu 65 mil pessoas de sexta a domingo, teve ainda em seu line-up bandas como Duran Duran, James, Snow Patrol, Primal Scream e Kaiser Chiefs, além de artistas como Sam Fender e Imelda May.

***

* Horas depois da apresentação headliner no festival inglês, Liam postou uma foto em seu instagram com a cara toda machucada, dizendo que “caiu de um helicóptero”. Ninguém confirmou a história, mas o fato que a cara de Liam apareceu com o rosto cheio de curativos e cremes. Depois desse post, Liam subiu uma imagem de uma garrafa de cerveja com a legenda: “O que não te mata te torna feroz”.

Captura de Tela 2021-09-20 às 12.13.13 AM

>>

Toma esta, Liam. Noel Gallagher afirma que não gosta de “Wonderwall”, hino do Oasis

>>

* Hahahaha. Noel voltou a ficar bom, depois de uma fase, diríamos, desinteressante.

noel

O irmão mais velho do Oasis revelou, em entrevista para a nova edição da revista inglesa “Mojo”, que está indo às bancas, que acha o clássico “Wonderall”, cantada aos berros ainda hoje nos vestiários campeões do Manchester City, é o “menos interessante” dos hits do Oasis.

A Mojo, de junho/julho que traz a veterana cantora folk canadense Joni Mitchell, na capa, ainda arrumou uma manchete, na mesma capa, bem direcionada para essa confissão curiosa: “Noel knocks down ‘Wonderwall’!” Com exclamação e tudo.

MOJO-332-cover-Joni-Mitchell-with-CD

A entrevista de Noel Gallagher para a “Mojo” tem como fundo a chegada ao cinema do documentário do Oasis aos cinemas e lojas de streaming sobre os lendários shows que a banda fez em Knebworth, Inglaterra, em 1996, que está completando 25 anos. A gente falou bastante do doc e desses concertos em especial, aqui. Oasis em 1996 era tão fenômeno que, na correria pelos 250 mil ingressos (125 mil por dia), um número de fãs equivalente a 4% da população britânica encarou ou fila telefônica ou fila real de bilheteria para comprar suas entradas, na era pré-ingressos online.

“Wonderwall” foi gravada em maio de 1995, para ser o terceiro single do fenomenal segundo álbum da banda de Manchester, “(What’s the Story) Morning Glory?”, que sairia quebrando recordes de vendas em outubro daquele ano.

Noel disse agora à revista que não considera a música “finalizada”. Ele queria ter trabalhado mais nela, mas a pressa do estúdio para lançar o segundo disco teria atrapalhado todos os andamentos. Pensa.

“Aquele é o único disco do Oasis que não fizemos demos antes. Eu o compus durante a tour do primeiro disco e tinha planejado terminar algumas músicas quando entrasse em estúdio. Não consegui”, lembrou Noel. Além de “Wonderwall”, o líder da banda considera “Cast No Shadow” e “Morning Glory” outras canções do disco gravadas sem terem sido finalizadas. Para o guitarrista, sua música preferida do álbum é “Some Might Say”, o primeiro single.

Na “Mojo” também saiu a história de como outro estrondoso hit do Oasis, “Champagne Supernova”, também do (What’s the Story) Morning Glory?”, foi composta. “Fiz ela num hotel em Londres, depois de uma festa. Eu tava completamente maluco. Típica cena dos anos 90: todo mundo tinha ido embora, garrafas de champanhe vazias enfileiradas na mesa, e a música caiu pronta do céu, para mim. As canções costumavam cair do céu todo dia nos anos 90.”

Abaixo, misturando tudo, Oasis tocando “Wonderwall” nos dois desses shows de Knebworth que vai virar documentário para os cinemas. Foi no primeiro deles. 125 mil pessoas cantando junto, em cada dia.

>>

Noel vai trazer “Wonderwall” para São Paulo. Talvez…

>>

* Sem tocar desde o começo de dezembro, Noel Gallagher retomou os palcos no México em dois shows, um terça em Guadalajara, outro quarta na Cidade do México. Tudo a caminho de São Paulo, onde domingo o ex-dono do Oasis se apresenta no Lollapalooza paulistano.

O irmão do Liam costuma tocar bastante músicas do Oasis em seus shows solo, e já faz tempo que é assim. Numa média de seis a oito canções, em um concerto regular. Mas “Wonderwall”, o maior hit do Oasis e da recente história da música britânica, não tem sido tão comum assim. Ou não tinha.

gallagher

Tanto em Guadalajara como na Cidade do México, a canção de 20 anos de idade esteve no setlist do show de Noel Gallagher e foi acompanhada em uníssino pelos mexicanos. Mas teve um certo desencontro.

É compreensível que Noel esteja um pouco cansado de cantar sua principal composição, tanto nos tempos de Oasis quanto em seu já razoáveis anos solo. Então Noel tem interpretado a música num, digamos, andamento diferente. Pouca coisa, mas a pegada de “Wonderwall” 2016 tem sido outra. O que tem causado uma trombadinha com a galera, que vai na cadência normal da poderosa canção. Mas enfim. É só um pouco engraçado. Bem-vinda a SP, “Wonderwall”.

Noel toca, antes de vir para o Brasil, hoje à noite na Colômbia, no festival Éstéreo Picnic.

Veja abaixo o astro inglês em dois momentos Oasis: com “Champagne Supernova” na Cidade do México e “Wonderwall” #diferentona em Guadalajara.

>>

Hahaha. Daft Punk vs. Oasis

>>

Mais um para a conta interminável de remixes, mash-ups, covers e afins para “Get Lucky”, a música do verão, a faixa que o Colbert não tira da cabeça nos últimos dias e que, veja bem, já deve ter enjoado todo mundo. Haha.

Depois das cabras, do gato e das mil misturebas com outras bandas, o Daft Punk ganhou um novo parceiro agora: o Oasis. Resolveram misturar o maior hit de 2013 com o maior de 1996, “Wonderwall”, e ficou mais ou menos assim…

A música em "Girls"

>>

* Seu spoiler musical semanal já chega contando o final. O episódio de ontem da modernosa série “Girls”, quatro meninas losers no reino hipster do Brooklyn, acaba com Oasis. Pensa.

“Girls” desta semana foi tenso. Ninguém escapou de derrotismo, constrangimento, frustrações diversas e conversas sobre heroína e plug anal à mesa do jantar. Daí que no final vem “Wonderwall”, o maior hino do Oasis, que ninguém mais aguenta escutar, mas que no episódio foi colocado interferindo em uma cena (Hannah cantou a música), embalando um banho de banheira de duas garotas e ainda nos créditos finais de uma forma tão cool que, vou dizer, arrepiou. Haha.

“There are many things that I / Would like to say to you but I don’t know hooooooooow”.

>>