Em yo la tengo:

Popload Gig com YO LA TENGO acontece HOJE em São Paulo. Veja como foi no Rio

Today IS the day!

YoLaTengo

Yo La Tengo, a banda que há trinta anos (!) é o indie do indie americano, toca hoje em São Paulo, na trigésima primeira (!!) edição do Popload Gig. O trio já tem 13 discos lançados e lançou o ótimo “Fade”, “o da árvore”, no ano passado.

O disco “I Can Hear the Heart Beating as One”, de 1997, é até hoje o mais citado da carreira do YOLA, entrando na lista de “100 melhores discos dos anos 90” da revista Rolling Stone.

Ira, Georgia & James tocaram primeiro no Circo Voador (RJ), via Queremos, no último sábado. Dizem que foi o “melhor show do ano até agora”. Veremos…

Abaixo, setlist e um vídeo da noite carioca:

10307386_882919428401693_2003574760642323683_n

>> Quem avisa amigo é:

* Levem dinheiro (“cash”!) porque a banquinha de merchan da banda não aceita cartões.

* Sim, vai rolar autógrafo depois do show!

* Para concorrer ao pôster desta edição, feito pelo ilustrador mineiro GUTO, coloque a hashtag #poploadgig em suas fotos no Instagram!

* Os ingressos custam R$ 80 a meia e R$ 160 a inteira e sobraram poucos, muito poucos! Só avisando…

* O vencedor da promo na Popload foi o Victor Alvares. Ele ganhou um par de ingressos.

Popload Gig com Yo La Tengo é apresentado pela Heineken e acontece no Cine Joia

>>

Popload Gig com Yo La Tengo, em São Paulo. Quer um par de ingressos?

310514_yolapromo

Na próxima terça-feira, 3 de junho, o Popload Gig tem o orgulho de receber no Cine Joia a grande banda norte-americana YO LA TENGO, um dos maiores patrimônios da história da música independente, capitaneada pelo distinto Ira Kaplan. Depois de 30 anos de carreira e 13 discos lançados, a Yo La Tengo ficou conhecida como “a banda das outras bandas”, aclamada especialmente pelos críticos de música.

Como a Popload sempre foi camarada, botamos na roda UM PAR DE INGRESSOS para mais este esperado show. Para participar, basta responder aí nos comentários uma pergunta básica:

“Qual música não pode faltar no Popload Gig com YO LA TENGO e por quê?”

A melhor resposta ganha esse concorrido par de ingressos. O resultado sai no fim da tarde de segunda-feira. Vamos ver se a gente consegue montar tipo um “setlist perfeito”.

O Yo La Tengo vem ao país com a turnê do incrível disco “Fade”, lançado no ano passado. Os ingressos custam R$ 80 a meia e R$ 160 a inteira e me disseram que “restam alguns” no site do Cine Joia. Se eu fosse você, corria lá.

Abaixo, a Popload destaca o pôster (A2) diferenciado para a ocasião, obra designer, ilustrador e engenheiro de som (!) GUTO, mineiro de Contagem, que cresceu em Santa Rita do Sapucaí, o Vale da Eletrônica. http://st-p.co/

3100514_yolaposter

>>

Popload Gig traz ao Brasil em junho o histórico grupo YO LA TENGO

>>

* Em mais um gol do Popload Gig em época de Copa do Mundo, o pocket-festival deste blog-quase-site tem o prazer de anunciar a vinda ao Brasil de uma das mais distintas bandas do rock americano, o YO LA TENGO, patrimônio da música independente feita nos EUA. O clássico grupo de Ira Kaplan, 30 anos e 13 discos, conhecida como “a banda preferida dos críticos de música” ou “a banda das outras bandas”, se apresenta no dia 3 de junho no Cine Joia, em São Paulo.

O Yo La Tengo vem ao país com a turnê do incrível disco “Fade”, lançado no ano passado. Os ingressos custam R$ 80 a meia e R$ 160 a inteira e JÁ ESTÃO À VENDA no site do Cine Joia (cinejoia.tv/ingressos).

O trio de New Jersey engrossa uma lista de shows futuros da empresa de entretenimentos legais Popload Inc., que já tem anunciado o seguinte:

* Popload Gig com Omar Souleyman: 23 de março, Beco SP
* Popload Gig com Jagwar Ma: 27 de março, Audio Club
* Popload Gig com Yo La Tengo: 3 de junho, Cine Joia
* POPLOAD FESTIVAL 2014: Metronomy é uma das atrações. 29 de novembro, Audio Club

Screen Shot 2014-03-09 at 11.52.40 PM

O Yo La Tengo anda em uma curta turnê na Austrália nesta semana. Na quinta, eles tocam na absurda Sydney Opera House Concert Hall, em Sydney.

>>

Yo La Tengo fazendo Supremes. Dinosaur Jr. fazendo Phoenix. O indie está lindo

>>

O incrível Yo La Tengo, espécie de grupo pioneiro do indie vindo de Nova Jersey, lançou no início deste ano o ótimo disco “Fade”, já falado diversas vezes por aqui como uma volta à velha forma do grupo liderado pelo grande Ira Kaplan, que acertou a mão neste décimo terceiro trabalho de estúdio da sua banda.

O Yo La Tengo foi o grupo convidado para abrir a nova temporada da série A. V. Undercover, do A.V. Club Vídeo. E, na session gravada para o programa, eles mandaram uma cover linda de “Come See About Me”, música que ficou mundialmente conhecida como faixa do The Supremes, o famoso grupo de meninas da Motown nos anos 60, que um dia teve como integrante a diva Diana Ross. E a pegada indie do som clássico com o Yo La Tengo ficou mais ou menos assim.


Yo La Tengo covers The Supremes

******

O distinto J. Mascis, líder do veterano e imponente Dinosaur Jr., resolveu prestar uma homenagem ao “novo rock”. Veja bem. O Dinosaur Jr., uma das bandas mais honestas que já apareceram na história do rock, com três décadas de estrada, fez uma cover surreal para a animada “Entertainment”, música nova do disco novo da até ontem banda nova Phoenix. “Entertainment”, carro chefe do álbum “Bankrupt!”, ficou toda sutil com o Dinosaur Jr., assim podemos dizer.

O dia em que a maior loja de discos de Seattle fechou suas portas, trancando para sempre uma parte do rock americano

>>

* Segue melancólica a despedida da era mesozóica na música, na dura adaptação aos novos tempos. Estou falando das românticas lojas de discos. No Reino Unido, enquanto a ex-poderosa rede HMV, quase um cartão-postal da Inglaterra, anunciou a venda de seus estabelecimentos para quem quiser comprá-la, lá em Seattle a incrível Easy Street Records fechou para sempre a porta de sua principal loja, na última sexta-feira.

Culpando a especulação imobiliária e fazendo questão de dizer que 2012 não foi um ano ruim para a tradicionalíssima loja da tradicional Seattle musical, o dono da ESR diz que vai fechar por não poder pagar o aumento de aluguel proposto agora no novo contrato. A Easy Street Records, abrigo de boa parte da história do rock americano do lado esquerdo do mapa, tem uma sede restante, menor e com um café anexado, em West Seattle, que por enquanto vai ser mantida.

A Easy Street Records que fechou era no bairro de Queen Anne e abriu em 2002 para dar vazão à grande procura que tinha na loja menor, inaugurada em 1988. A loja vendia CDs, discos em vinil e DVDs novos e usados, além de revistas e merchandise próprio. Em 2010, foi considerada pela “Rolling Stone” uma das mais importantes lojas de disco dos EUA. Outra revista, a “séria” “Time” citou a ESR num artigo como uma das dez grandes lojas de disco americanas. Neil Young, Elvis Costello, Kings of Leon e Mudhoney, para dar uma ideia do leque, já tocou nas dependências da Easy Street. Lana Del Rey, Patti Smith e Franz Ferdinand também.

No sábado, numa espécie de “funeral alegre” para parafrasear James Murphy quando acabou com o LCD Soundsystem, a Easy Street Records teve na frente de sua loja um show gratuito da banda Yo La Tengo. E nosso correspondente em Seattle, o chapa Rodrigo Hermann, praticamente um empresário do ramo de tecnologia, foi ver a Easy Street Records descer sua porta pela última vez, em especial para a Popload. Hermann conta sobre o fim de uma era.

Liquidação de encerramento da Easy Street Records, de Seattle, na sexta-feira

Por Rodrigo Hermann

E lá se vai outra loja de disco. A Easy Street Records, clássica megaloja local de Seattle, fechou as portas na última sexta. Mas, em vez de ficar de chororô, colocou o Yo La Tengo para tocar de graça no palco da loja.

Yo La Tengo fez seu show correto, tocou músicas do disco novo, viajou em músicas mais antigas e durante uma hora fez a trilha sonora pra uma loja lotada de apaixonados por música que se mostravam claramente emocionados ao ver o fim de uma era.

E, mesmo com a emoção lá em cima, nao era hora para a deprê. Tentando evitar isso, latas e latas de PBR (a cerveja mais hipster do universo) foram arremessadas ao publico. Vi pelo menos duas pessoas tomando latadas na cara. Nem por isso o sorriso estampado no rosto desapareceu. Momento histórico.

Noite ainda mais histórica para o DJ Troy da KEXP (rádio clássica de Seattle e cá pra nós a melhor rádio do mundo). Troy foi o primeiro funcionario da Easy Street. Ajudou a montar e hoje ajuda a desmontar a loja. Conheceu todos os funcionários e raças de cachorro que passaram por ali. Conseguiu seu emprego de DJ dentro da loja e no fim conheceu a namorada também debaixo daquele teto. Para fechar o ciclo só lhe restava uma opção, e de joelhos ele propôs a namorada em casamento, que sobre urros de aplausos e pernas que mal se aguentavam em pé aceitou.

E um pedaço da história da música de Seattle se fecha, mas assim como Matt Vaughan (dono da loja) citou, eu também faço aqui a minha referência ao Bruce, aquele Springsteen: “Everything dies baby that’s a fact, but maybe everything that dies someday comes back”.

*** Veja o discurso de encerramento do dono da Easy Street Records e trecho do show do Yo La Tengo na loja. Galera chorando e tal. Matt Vaughan agradecendo emocionado a galera por ter comprado tantos discos do Postal Service e do Modest Mouse. Triste dia para o rock.

*** Troy, o DJ da famosa KEXP, contando sua história como empregado da loja e pedindo a namorada em casamento dentro da Easy Street Records, onde se conheceram. Era agora ou nunca.
Pode ver o vídeo sem constrangimento. Ela aceita.
E vou confessar uma coisa. Em nome da loja, da rádio, de Seattle, do rock americano e tal, com essa cena eu ch…

>>