Em young lights:

CENA – Mais americana das bandas mineiras, Young Lights muda o rumo de seu som em novo single

1 - cenatopo19

* Os mineiros do Young Lights estão entre os favoritos da casa. E isso deve se manter com o novo é ótimo single que eles soltaram nesta semana, “When You Were Here”. Eles não ficaram com o quinto lugar do nosso Top 50 à toa, né?

young1

A nova faixa indica a nova direção que trilhará, pelo que parece, a banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. Saí o folk e entram referências mais roqueiras e eletrônicas.

É rock dos EUA, praticamente – onde o grupo foi idealizado. Mas é de BH, mesmo. A gente explica: Jairo Horsth, vocalista e guitarrista do Young Lights, é mineiro, mas foi arrastado aos EUA pelo pai pastor logo cedo. Voltou a Belo Horizonte tem dez anos e montou por lá a Young Lights, que atualmente ainda conta com João Paulo Pesce, Bruno Mendes, Matheus Fleming e Henrique Correa.

O disco que vem por aí em breve tem produção de Bruno Giorgi (Lenine, Baleia) e de Gabriel Ventura (Ventre).

Nos ilumine, Young Lights.

>>

CENA – Misturando Minas e ruas europeias, Arthur Melo lança seu segundo álbum, o não planejado “Metanoia”

>>

1 - cenatopo19

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini


 

PREMIEREPOPLOAD
Nome conhecido na CENA mineira, Arthur Melo lança via Popload, em primeira mão, seu novo disco “Metanoia”, projeto que mostra um lado mais visceral do cantor e compositor de Belo Horizonte, embora o álbum não tenha sido propriamente planejado.

Gravado em praças, parques e bares de Portugal e Espanha (!), “Metanoia” conta com participação direta do músico Pedro Theodoro, percussionista e ex-baterista da também banda mineira Young Lights. A parceria surgiu a partir de uma turnê que Arthur e Pedro fizeram pela Europa em julho deste ano.

De última hora, eles resolveram levar para o rolê equipamentos de gravação e microfones para musicarem composições de Melo. Daí, simples assim, surgiu o disco.

No total são 10 canções que captaram os momentos da dupla, com participações de amigos que os dois fizeram durante a viagem, para dar um ar ainda mais despretensioso e espontâneo para o disco.

Diz o Arthur que “Metanoia”, o nome, representa a viagem como um todo, uma mudança sobre a forma de ser ver diversas coisas, entre elas a ideia de se construir um disco sem um planejamento mais complexo e convencional.

Este é o segundo álbum de Arthur Melo, que lançou ano passado o bom “Nhanderuvuçu”. A produção, mixagem e masterização ficou por conta do Pedro. E a audição em primeira mão pela Popload. Enjoy!

METANOIA – TRACKLIST
1- Tejo
2- Aroma
3- Solitude
4- Entre os Dias
5- Socorro
6- Olha o Que a Cidade Fez Comigo
7- Cambio
8- Una Canción
9- Normal
10- Albano

>>

CENA – Os mineiros do Young Lights invadem São Paulo e fazem session incrível em uma sala de estar

>>

1 - cenatopo19290319_youngligths2

Uma das bandas mais legais da CENA mineira, a Young Lights pinta na Popload para lançar uma session incrível, registrada na cidade de Cotia/SP, no final do ano passado.

O local preparado foi a sala de estar casa-estúdio Bem Maior, de Sérgio Ugeda, o que influenciou até no nome do projeto, “Living Room Sessions”. Na apresentação, o Young Lights tentou mostrar um pouco do que é o seu show, um dos mais intensos e vigorosos do indie no Brasil hoje. Quem já foi, sabe bem.

As canções escolhidas para a session foram “Eyes Closed”, “Strangely Intimate” e “Understand, Man”, todas do disco “Young Lights”, lançado em 2017, um dos melhores daquele ano na escolha da Popload. Completa o setlist “Alaska, I Just Want to Be Home”, do primeiro EP do grupo, “An Early Winter”, de 2013.

A session dura pouco mais de 20 minutos e foi o primeiro registro da banda com o guitarrista Matheus Fleming (Câmera) e o último com o também guitarrista Vitor “Boss” Ávila, que deixou o grupo mês passado. Completam a formação Jay Horsth (Voz/Violão/Piano), João Pesce (Baixo) e Bruno Mendes (Bateria).

A direção e montagem é de Guilherme Garo, com o trio Sérgio Ugeda, Rodrigo Montorso e JP Cardoso cuidando do áudio. Coisa de qualidade.

Setlist
00:00 Eyes Closed
05:39 Strangely Intimate
12:22 Understand, Man
18:16 Alaska, I Just Want to Be Home

** Dia 12 de abril tem show n’A Casinha, rolê indie intimista em BH.

>>

Popload Radio estreia programa sobre a CENA independente brasileira. Chamado exatamente assim: CENA

>>

1 - cenatopo19

popload_radio_p

Ainda na semana de novidades da Popload Radio, estreia nesta noite, às 22h30 (originalmete era às 21h), o programa CENA, representante radiofônico da grande manifestação da cena independente brasileira em seu viés mais amplo, com toda a musicalidade que mescla indie de guitarras, indie-MPB, hip hop, psicodelia gringa, psicodelia brasileira nível Mutantes ou os mineiros viajantes, shoegaze paulistano, um certo metal ou punk periféricos. Cantado em português ou inglês. Já falei aqui e vou repetir: a CENA brasileira anda muito loka. E tínhamos a obrigação de transformar isso num programa, além de apenas tocar suas músicas na rádio.

O CENA vai ao ar todas as terças às 21h. Apenas hoje, devido a problemas técnicos, ele entra às 22h30. Reprises acontecerão quartas às 16 e quintas às 11h.

O programa de estreia, na linha do que foi o Popscene desta semana, com o Top 10 dos álbuns gringos de 2017, vai trazer músicas dos melhores discos nacionais de 2017, eleitos pela Popload, em lista publicada no final de dezembro.

Para lembrar, a lista dos dez melhoresdiscos nacionais do ano, vencida por um EP, e que vai conduzir o CENA da Popload Radio, foi a seguinte:

1. Supervão – TMJNT (EP) – Rio Grande do Sul
2. Baco Exu do Blues – Esú – Bahia
3. Tim Bernardes – Recomeçar – São Paulo
4. Letrux – Letrux em Noite de Climão – Rio de Janeiro
5. Boogarins – Lá Vem a Morte – Goiás
6. Djonga – Heresia – Minas Gerais (foto abaixo)
7. Far From Alaska – Unlikely – R. N. do Norte
8. Giovani Cidreira – Japanese Food – Bahia
9. Gorduratrans – Paroxismos – Rio de Janeiro
10. My Magical Glowing Lens – Cosmos – Espírito Santo
11. Young Lights – Young Lights – Minas Gerais

Captura de Tela 2018-01-09 às 6.09.52 PM

Tenho sonhado há um tempinho já, desde que a movimentação independente brasileira passou a ter uma representatividade absurda de CENA mesmo, com bandas fortes, artistas fortes, festivais cada vez mais fortes no Brasil inteiro, de ponta a ponta, circuito integrado, diálogo de diversas variáveis entre os envolvidos locais, pensando local e agindo global, enfim, inclusive exportando e importando bandas, pessoas e ideias em intercâmbios dos mais frutíferos. Isso, que acontece com força de CENA verdadeira, desde 2015 mais ou menos, já é uma grande realidade e ganha aqui o seu programa radiofônico.

Então, a Popload Radio tem o prazer de apresentar esse novo programa, chamado exatamente CENA, que é o título de uma campanha editorial que acostumamos a fazer aqui já tem uns dois anos, meio que para chamar geral a atenção para o vigor da cena independente brasileira, com todo viés integrado.

O ano passado todo, mais do que ir aos festivais gringos, passei visitando as cenas locais, de Manaus a Santa Maria no Rio Grande do Sul, passando por Goiania, Brasilia, Coritiba e Belo Horizonte, por exemplo, para constatar in loco e mais profundamente que a cena indie brazuca pulsa geral e uníssona, de norte a sul, de leste a oeste. E o que é melhor: junto e misturada.

Do Supervão, que foi escolhido por este site como o responsável por fazer o disco do ano, além de botar para rolar uma música do EP campeão, o “TMJNT”, vamos colocar ainda para audição, no final do programa, meia hora de um show que o trio gaúcho fez no Oculto, bar de Porto Alegre que é uma espécie de Casa do Mancha local, mas no formato de um sobrado. O show aconteceu no começo de dezembro no minifestival do Mais Shows, entidade produtora indie dos agitos no Sul.

O áudio da apresentação do Supervão em POA foi captado por Marcelo Conter, professor de produção fonográfica no Rio Grande do Sul e dono do projeto A Dobra Lo-Fi, que consiste em gravar shows no Sul com um microfone só, garibar ele com equipamentos baratos em seu estúdio caseiro e reverberar tudo no Mixcloud, para o chamado desdobramento do pop underground sem fins lucrativos, que é o conceito que o Marcelo defende.

Bom, é isso. Se der, ouça esse primeiro CENA. Em sua estreia hoje à noite ou nas reprises de quarta ou quinta. Acho que vai ser divertido e importante fazê-lo.

** A Popload Radio pode ser ouvidas em aplicativos. Tem app para iPhone e para celulares do sistema Android. Pode ser ouvida por aqui mesmo, neste site, na barra principal acima ou na aba “radio”, no menu. Também é alcançada no Facebook da Popload/Popload Gig, no item “Popload Radio”, na barra à esquerda.
 E está disponível no TuneIn, a plataforma americana de streaming ao vivo, que tem milhares de rádios cadastradas.

** Amanhã contamos mais outra das novidades da Popload Radio 2018.

>>

CENA – OS MELHORES DISCOS DE 2017 DO INDIE NACIONAL, PELA POPLOAD. Inclui EP e hip hop :)

>>

popload_cena_pq

* Esta vai ser a última vez que a Popload vai usar a vinheta CENA desse jeito aí de cima. A cena nacional não vive mais o “boom”. Ela é uma realidade, além de “booms”. 2017 mostrou isso. O processo era lento mas seguro. 2017 solidificou. O ano serviu para dá-la corpo, seja através de festivais bacanas e numerosos e bem organizados e bem curados e diferentes entre si, seja pelas grandes bandas, cantores vivendo uma proporcional beatlemania, público empolgado e enchendo os lugares e as redes, produções decentíssimas próprias feitas em casa, produções em ótimos estúdios com ajuda profissional, agitadores em papeis fundamentais, intercâmbio cada vez mais vivo entre cenas estaduais e inclusive com a cena gringa, casas de shows decentíssimas e de todos os tamanhos, seja no Auditório do Ibirapuera (SP) ou na salinha do Oculto (RS).

2017 foi o ano inédito em que a Popload foi mais em festivais brasileiros do que internacionais. Visitou e retratou cenas diversas em suas particularidades, no Mapa do Rock. Buscou novas tendências de Manaus ao Rio Grande do Sul. Aliás, dá para escrever um livro só sobre a cena nova gaúcha, a quebra geracional, o novo e o velho que quase nem se conhecem, seus artífices e suas articulações, a mudança de eixo e de comportamento. Mas isso é uma outra história.

O ano de 2017 foi tão louco e variado que a lista da Popload dos dez melhores discos de 2017, na nossa humilde opinião, tem 11!!!!! Tem indie, indie-MPB, hip hop, psicodelia, showgaze, quase metal. É cantado em inglês, é cantado em português. Tem EP!!!!!! EP que foi colocado em primeiro lugar, ainda por cima. A CENA tá muito loka.

Bom, lista é lista. E aqui vai a nossa.

2 - MELHORESDISCOS2017 - NACIONAL copy

1. Supervão – TMJNT (EP) – Rio Grande do Sul
2. Baco Exu do Blues – Esú – Bahia
3. Tim Bernardes – Recomeçar – São Paulo
4. Letrux – Letrux em Noite de Climão – Rio de Janeiro
5. Boogarins – Lá Vem a Morte – Goiás
6. Djonga – Heresia – Minas Gerais
7. Far From Alaska – Unlikely – R. N. do Norte
8. Giovani Cidreira – Japanese Food – Bahia
9. Gorduratrans – Paroxismos – Rio de Janeiro
10. My Magical Glowing Lens – Cosmos – Espírito Santo
11. Young Lights – Young Lights – Minas Gerais

Captura de Tela 2017-12-29 às 10.12.05 AM

A gente escolheu muito o EP de cinco músicas e 20 minutos do Supervão porque ele sintetiza um estado de coisas na CENA independente que a gente acha importante. Essa mudança de foco da importante no novo rock gaúcho (já falamos sobre, logo acima), o trio ser de São Leopoldo e não de Porto Alegre, a referência da psicodelia dos moleques ser o Boogarins e não o Tame Impala, o jeitão MPB brazuca por cima da tal psicodelia ao mesmo tempo que exala um Flaming Lips em alguns momentos. E, óbvio, a qualidade das músicas, a construção do disquinho, o show ao vivo meio “arsy”. Explicado, mais ou menos?

Feliz 2018, galera. Para nós e para a CENA. Ano que vem tem mais. Stay gorgeous, stay musical.

***

>>