The Jesus & Mary Chain em SP: as fotos, o show completo e o Alan McGee

FAB_7627

Aconteceu ontem, no Memorial da América Latina, em São Paulo, o Cultura Inglesa Festival, em sua décima oitava edição. Debaixo de MUITA chuva e frio, o festival gratuito começou quietinho, com o público chegando aos poucos (talvez na esperança que o dia melhorasse), até atingir a marca de doze mil pessoas (!) durante a atração principal do line-up, o cultuado The Jesus & Mary Chain.

FAB_7593

Los Campesinos

A banda galesa Los Campesinos!, tocando pela primeira vez no Brasil, tentou esquentar a turma que chegou mais cedo, mas o show não empolgou (o som ficava tão baixo em alguns momentos que era como se a tecladista nunca tivesse estado lá). A qualidade do som mudava muito de um lugar para o outro no Memorial, então a ideia era se movimentar para achar a melhor “recepção”.

FAB_7615

Pela terceira vez no país, os escoceses do The Jesus & Mary Chain estavam se sentindo em casa. A chuva chegou a parar e o vocalista Jim Reid até comemorou (com aquela efusividade britânica, claro), mas ela voltou mais forte durante em, adivinha?, “Happy When It Rains”. Talvez essa tenha sido a legenda de 9 entre 10 fotos no Instagram sobre o show. Os irmãos Reid (Jim, no vocal, William na guitarra) nem tentam disfarçar a antipatia que sentem um pelo outro, confirmada em entrevistas e citada nessa conversa do vocalista com a Popload. Não se falaram, muito menos se olharam. Era visível o clima de irritação no palco quando algumas músicas tiveram que ser recomeçadas (“Sidewalking”, “Halfway to Crazy” e o “hit” “Just Like Honey”).

FAB_7597

Menos barulhento, mais lento, mas ainda com as mesmas distorções e microfonia que são a marca registrada do grupo, o J&MC agradou e emocionou os trintões (e quarentões e cinquentões) que estava ali. Foi um show bonito de ver e muito melhor que o anterior, de 2008, no Planeta Terra. Revezando músicas de quase todos os discos, todas muito bem recebidas, a banda fez um show relativamente curto, com pouco mais de uma hora. “Relativamente” se a gente levar em consideração que era a banda principal, mas até longo para um grupo que não fazia apresentações com mais de meia hora. Mais: os dois (dois!) beijinhos de Jim Reid para plateia também são um avanço para um vocalista tímido e mal humorado que cantava de costas para o público. A já citada “Just Like Honey” encerrou o show e para o bis ficaram “The Hardest Walk” e “Taste of Cindy”, todas do disco que revolucionou e causou uma bagunça no rock britânico há 30 anos, o “Psychocandy” (na foto acima, nas mãos de um fã durante o show).

Enquanto isso, no backstage, o “cara”! Descobridor do Oasis e do próprio J&MC, Alan McGee postou esta foto em sua página no Facebook, curtindo o show:

10325170_803056476374099_8753703254630393099_n

McGee com Simon Fletcher, diretor da Creation, no backstage

>> Abaixo e recheando o post: fotos do Poploader Fabrício Vianna, o setlist e o show completo, já no youtube! \o/


SETLIST

1. Snakedriver
2. Head On
3. Far Gone and Out
4. Between Planets
5. Blues From a Gun
6. Teenage Lust
7. Sidewalking
8. Cracking Up
9. All Things Must Pass
10. Some Candy Talking
11. Happy When It Rains
12. Halfway to Crazy
13. Just Like Honey

Bis

14. The Hardest Walk
15. Taste of Cindy
16. Reverence

FAB_7677

FAB_7639

FAB_7598

FAB_7625