Top 50 da CENA – Supersemana da música brasileira nova no nosso ranking, estrelando Tuyo, Edgar, Jonathan Ferr, Giovanna Moraes, Jadsa…

>>

* Que difícil escolher o primeiro lugar desta semana. Tuyo, Edgar e Jonathan Ferr lançaram discos que merecem o primeiro lugar. Caiu no colo da Tuyo desta vez, mas acho que vamos ter que dar um jeito de premiar os nossos outros colegas, que lançaram trabalhos tão bons quantos. Vamos observar – até porque, como pontua Edgar, todos esses trabalhos são daqueles que merecem repetidas audições. Pressa para quê? Aqui não é áudio de Whatsapp para acelerar as coisas.

top50tuyoquadrada

1 – Tuyo – “O Jeito É Ir Embora” (Estreia)
Este álbum novo do trio paranaense Tuyo consegue realizar a complicada missão do famigerado “segundo álbum”, por qual muitos grupos não passam. Em uma reflexão sobre crescimento estampada nas letras, a banda não tem medo de ampliar sua proposta sonora em uma transição bem feita – nem brusca demais, nem lenta demais. Essa coragem na proposta talvez esteja até na letra desta candidata a hit que pode ser tanto sobre desmanchar um relacionamento fracassado quanto sobre abandonar ideias que estão nos empacando. Discão.

2 – Edgar – “Mentes Mirabolantes” (Estreia)
Na metáfora que escolheu para explicar o álbum, Edgar comparou seu novo disco à maniçoba, um prato do Norte do Brasil que leva dias para ficar pronto. Ou seja, é preciso muito cozimento para que todas as ideias de “Ultraleve” batam na mente do ouvinte. Por aqui, enquanto o preparo não rola, já que não escutamos todas as vezes suficientes para captar o disco por inteiro, fica a impressão de que Edgar mantém sua capacidade dar alertas necessários e de correr de sensos comuns e respostas fáceis. Segue imprevisível. Para o nosso Top, pegamos a magnífica “Mentes Mirabolantes”. O universo brilhante da cabeça do Edgar em sua mais perfeita forma.

3 – Giovanna Moraes – “Baile de Máscaras” (Estreia)
“Baile de Máscaras” é uma das ótimas músicas do disco “III”, algo entre um EP e um álbum (miniálbum?) que a cantora e multiinstrumentista e atriz de vídeo e editora de vídeo lançou em março. Agora a canção surge em versão single com direito a uma música inédita e a versão instrumental, um jeito de oferecer um novo olhar complementar para a gravação. Retomada de proposta interessante para single, perdida nos tempos de streaming. Fora o vídeo, lindaço.

4 – Jonathan Ferr – “Amor” (Estreia)
Chamou nossa atenção a participação do Jonathan no disco da Tuyo e fomos ver o que ele andava fazendo. E não é que ele lançou um disco ao mesmo tempo que a banda parceira? Um senhor álbum, diga-se, quase todo instrumental e ao piano, chamado “Cura”. Uma obra belíssima para escutar de ponta a ponta, dada a profunda conexão entre cada faixa. Pode ser um pouco desafiante se dedicar a um disco mais experimental assim, mas acredite na gente. Vale cada segundo.

5 – Jadsa – “Mergulho” (Estreia)
A gente já celebrou tanto o álbum “Olho de Vidro” da Jadsa por aqui, mas sempre é bom reforçar nosso gosto por esse trabalho da guitarrista baiana. Agora que ela lançou um vídeo para este som que abre o disco, a gente achou a desculpa perfeita para trazer ela de volta às primeiras colocações do nosso Top 50.

6 – Mulungu – “A Boiar” (1)
Demorou, mas saiu o primeiro álbum da banda guitar-zen nordestina Mulungu – um trio de dois recifenses e um potiguar. Sem colocar em cheque a originalidade da banda, dá para dizer que os meninos pegam muito do caminho desbravado pelo Boogarins, uma música brasileira e muito universal e de letras caprichadas. Por aqui, reflexões sobre autocuidado – muito na brisa da onda de indie mental health que a gente comenta direto por aqui.

7 – Jup do Bairro – “Sinfonia do Corpo” (2)
Escrever e pensar sobre música é legal, lógico, é nosso trabalho, oras. Mas é muito bom também quando o artista faz questão de traduzir em algumas palavras suas ideias sobre suas músicas. Além de facilitar nossa missão, ajuda a decodificar e a convidar a prestar atenção em alguns detalhes que só eles sabem onde estão. Mas toda essa volta para puxar aqui a ideia que a própria Jup do Bairro dá sobre seu novo single: “Acredito que esta faixa é uma de minhas composições mais viscerais (literalmente). É uma viagem filosófica ao meu corpo e como o entendo. Entre dores e delícias, como podemos projetar o futuro se o presente é incerto?”.

8 – Bonifrate – “Rei Lagarto” (3)
Bonifrate que sumiu ou a gente que marcou bobeira? Seja lá qual for a resposta envolvendo o ex-Supercordas, é bom escutar sua nova música, uma produção solitária, analógica e filosófica, cujo combo dá toda uma textura e clima únicos à canção. Tudo indica que vem um novo álbum solo por aí. E pelo mesmo selo gringo que cuida de nomes como Boogarins, Wry e Carabobina. Saudamos a volta do Bonifrate com um top 3, que ele merece.

9 – GIO – “Nebulosa” (4)
O baiano ex-Giovani Cidreira segue bem por aqui com a bonitaça “Nebulosa”, canção sua com a conterrânea Jadsa no rolê. “Nebulosa” chega dentro de um projeto que Cidreira iniciou, que envolve um novo álbum, uma websérie no Youtube deles e até uma mudança de nome para GIO, já adotado por aqui e batismo com o qual ele já assinava outros trabalhos. “Nebulosa”, que vai estar no álbum “Nebulosa Baby”, a sair agora em junho, ainda traz a marca da não convencionalidade sonora que marca o ex-Cidreira, mas com um ar moderno e em voga com um pop meio melancólico e para cima ao mesmo tempo.

10 – Lupe de Lupe – “Brasil Novo” (5)
Esperta, achamos, a sacada dos mineiros da Lupe de Lupe de renomear no último minuto seu novo álbum, uma reflexão sobre o Brasil, de “Lula”. Que personagem da nossa história consegue reunir nosso melhor e nossas maiores contradições? Ao nomear cada música como uma cidade, neste disco que acaba de ser lançado, a banda percorre este país como o ex-presidente percorreu algumas vezes atrás não só de respostas, mas de questões. Por que no Brasil tem moleques tocando pensando som em uma formatação gringa que é a banda punk, guitarra, baixo e bateria? E quanto eles produzem um som que só poderia ser brasileiro? Isso para ficar em uma das muitas questões. Um disco irregular, mas muito bom quando é bom, que é para ser absorvido devagar. Até porque ele é um tanto longo para os padrões atuais, quase uma hora. Mas vale prestar atenção quando artistas tão atentos e cuidadosos preparam algo com essa ambição.

11 – BK – “Dinheiro, Poder, Respeito” (6)
12 – Jomoro e Karina Buhr – “Saudades de Lá” (7)
13 – Bruna Mendez e June – “A Vida Segue, Né?” (8)
14 – Rodrigo Campos, Juçara Marçal e Gui Amabis – “Ladeira” (9)
15 – Zé Manoel – “Como?” (10)
16 – Os Amantes – “Linda” (11)
17 – Rashid – “Diário de Bordo 6” (12)
18 – Isabel Lenza – “Imenso Verão” (13)
19 – Rodrigo Amarante – “Maré” (14)
20 – Rincon Sapiência – “Cotidiano” (15)
21 – Saulo Duarte com Luedji Luna – “Lumina” (16)
22 – Anitta – “Girl from Rio” (17)
23 – Gustavo Bertoni e Giovanna Moraes – “Como Queria Te Deixar Entrar” (18)
24 – Jupiter Apple – “Cerebral Sex (The Apple Sound)” (19)
25 – Salma e Mac – “Amiga” (20)
26 – Yung Buda – “Digimon” (21)
27 – Hierofante Púrpura – “Na Terra das Cartas” (22)
28 – AKEEM MUSIC – “Eu Já Amei uma Ginasta” (23)
29 – Plutão Já Foi Planeta – “Depois das Dez” (24)
30 – Duda Beat – “Meu Pisêro” (25)
31 – FEBEM – “Crime” (26)
32 – Aquino e a Orquestra Invisível – “Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã” (27)
33 – Boogarins – “Supernova” (28)
34 – Moons – “Love Hurts” (29)
35 – BaianaSystem – “Brasiliana” (30)
36 – Bárbara Eugênia – “Hold Me Now” (31)
37 – Jair Naves – “Vai” (33)
38 – Sophia Chablau e uma Enorme Perda de Tempo – “Delícia/Lúxuria” (34)
39 – Carmem Red Light – “Faith No More” (35)
40 – Yannick Hara – “Raça Humana” (36)
41 – Jota Ghetto – “Vagabounce” (37)
42 – FBC – “Gameleira” (40)
43 – Mbé – “Aos Meus” (41)
44 – Rico Dalasam – “Expresso Sudamericah” (43)
45 – Djonga – “Eu” (44)
46 – LEALL – “Pedro Bala” (45)
47 – BNegão – “Salve 2 (Ribuliço Riddim)” (46)
48 – Ale Sater – “Peu” (47)
49 – Apeles – “Eu Tenho Medo do Silêncio” (48)
50 – Rohmanelli – “Viúvo” (49)

*****

*****

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a imagem é do trio paranaense Tuyo.
*** Este ranking é pensado e editado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>