A eleição de Donald Trump e seus desdobramentos musicais: o som novo e épico do Dirty Projectors

>>

dirty-projectors

* Na verdade tem mais a ver com a saída do Obama do que com o Trump. Mas fica o recado. A música nova do Dirty Projectors, “Up in Hudson”, oito minutos de um som quebrado, muitos metais e um vocal característico da banda, a música também, e além, é sobre essa geração do indie rock, veio na descrição da banda.

A letra mistura o indie com o rap americano. Tupac Shakur e Kanye West são evocados. Com uma questão regional Nova York/Los Angeles. “Now I’m listening to Kanye on the Taconic Parkway ridin’ fast / And you’re out in Echo Park blasting Tupac, drinking a fifth for my ass”.

O Dirty Projectors anunciou que lançará o próximo álbum, “Dirty Projectors” (capa acima), no dia 24 de fevereiro. Desde o ano passado, a banda do incrível David Longstreth tem soltado músicas novas, do sétimo disco de estúdio: “Keep Your Name” e “Little Bubble”, precederam esta “Up in Hudson”.

Dá uma ouvida. Música ryca.

>>