A grande volta do Blur. Damon Albarn se sentindo heavy metal

>>

* O inesgotável Damon Albarn, que só perde em projetos musicais para Jack White na história do rock, ataca forte novamente. O cara, líder do Blur e do Gorillaz, é de repente o grande nome do pop dos últimos dias.

1. Londres está forrada com cartazes do novo single do Gorillaz, “DoYaThing”, que tem lançamento amanhã na Inglaterra (e no mundo virtual). A canção tem “só” a participação no refrão do gênio James Murphy (o inaugurador do Cine Joia e líder do LCD Soundsystem, em ordem de importância) e ainda traz o convidado Andre 3000, do Outkast, fazendo um rap.
2. O supergrupo de afrobeat Rocket Juice and The Moon, formado por Damon, Flea (Chilli Peppers) e o veterano Tony Allen (Fela Kuti), lança seu primeiro álbum no dia 26 de março.
3. E, óbvio, o Blur. A banda que já foi a maior do mundo e teve rivalidade de sangue com o Oasis voltou a bombar. Nesta semana o Blur foi anunciado como uma das grandes atrações do encerramento dos Jogos Olímpicos em Londres, em agosto, no imenso Hyde Park, junto com New Order e The Specials. Domingo passado, Damon Albarn e o guitarrista Grahan Coxon apresentaram ao vivo uma nova música da banda, que, é o que se diz, lançará disco novo em 2012: “Under the Westway”, baladinha chorosa normal. Por fim, ontem à noite, o Blur fez um show de cinco músicas no Brit Awards, um desses prêmios xaropes e “arranjados” tipo Grammy, com a diferença que na Inglaterra eles fazem a coisa melhor. O Blur tocou os megahits “Girls & Boys”, “Song 2”, “Parklife”, “Tender” e “This Is a Low”. Tudo cheirando a velharia, tadinhos. Mas “Tender” foi matadora. No Brit Awards, a banda ganhou o prêmio pela “contribuição histórica à música britânica”. E, por tudo isso, é capa da “New Musical Express” desta semana, que começa a circular hoje.

>>