CENA – Luna França leva a música à terapia (ou seria o contrário?) em seu lindo segundo single

1 - cenatopo19

** “Te ver mal me faz tão mal, meu bem. Te ver bem, também.” **

O lindo segundo single da vida de cantora da muitas-outras-coisas Luna França, “Terapia”, que está sendo lançado nesta sexta-feira, com participação da conhecidíssima Tiê, aterrissa de bico nesta onda forte da música nova, aqui e lá, que é o indie-mental health, do qual temos falado bastante na Popload.

É o movimento de ajuda mútua, desabafos e escapes sonoros em meio a melancolias, tristezas, sentimentos negativos que têm pautado bandas e fãs. De Billie Eilish a girl in red, de Phoebe Bridgers a Clarice Falcão, de Hayley Williams a Giovanna Moraes, essas dores da alma estão cada vez mais escancaradas na música de hoje para quem quiser ver e ouvir. E, principalmente, sentir.

** “Só de escrever esta música, já me sinto bem melhor. Como é bom fazer canção e ao mesmo tempo… terapia” **

Luna França é tecladista, compositora e produtora, bem conhecida na CENA, principalmente a paulistana, por seus trabalhos tocando com artistas como a própria Tiê, Papisa, Rafael Castro. E desde novembro do ano passado, com o lançamento do single e vídeo “Minha Cabeça”, assumiu um protagonismo de cantar e gravar músicas suas. Saiu de trás, tomou a frente.

Tanto “Minha Cabeça” quanto esta impressionante “Terapia” têm a chancela do selo ​CENA​, braço curatório da Popload para novos lançamentos. O primeiro a ter o selo CENA foi o músico carioca Marcelo Perdido, com seu mais recente álbum, o ótimo (cóf cóf) “Não Tô Aqui para Te Influenciar”, lançado em junho de 2020.

Captura de Tela 2021-02-19 às 9.30.14 AM

As duas músicas de Luna França abrem caminho para seu álbum de estreia, que está até pronto e deve sair em qualquer momento deste 2021, com co-produção de André Whoong e dela mesma.

** “Eu não sei nem bem por quê, ando em tal melancolia. É um sentimento estranho, tudo está como eu queria” **

“Escrevi essa letra como se estivesse escrevendo um diário e refletindo sobre essa sensação de posse que é real e até bem comum. A gente não quer ver a pessoa triste, mas também não quer ver mais feliz que a gente”, confessa brincando Luna França. Brincando?

“No meio da letra, enquanto reflito sobre esse sentimento ‘feio’, porém sincero, eu o aceito e já me sinto melhor só ao falar sobre isso. É como se o sentimento ocupasse um espaço cada vez menor à medida que eu o assumo”, diz a cantora, que considera a música leve, debochada até, apesar da melodia e harmonia melancólicas, os arranjos mais orgânicos e grandiosos, com instrumentos clássicos, como quarteto de cordas, clarinete e piano fazendo o clima pesar.

Talvez “Terapia” precise de terapia?

****

* Ontem, no Instagram de Luna França ela e Tiê abriram uma live terapêuticO-MUSICAL, para falar dE “Terapia”, o single. Dá para ver aqui.

>>