CENA – Subburbia, de Curitiba, mostra vídeo com tudo o que não poderia ser feito. E, claro, ficou bom

>>

1 - cenatopo19

2 - lilgiff3

* Lado B do indie curitibano, que evidentemente já é um lado B por si só, a banda indie-fofa-macabra Subburbia continua sua notável produção, lançando músicas novas, mixtapes, fitas k7, fazendo vídeos e controlando todo o processo de suas coisas, porque, afinal, na real cena independente, o “modelo de negócios” é esse mesmo.

O single novo, “LIL Girl”, que é tirado da ótima mixtape “LUV EXORCISM”, revelada no final no ano passado, aparece com um vídeo dentro da “temática Subburbia”: espelhos quebrados, pegada de pesadelo, climinha de desespero. O que não está dentro da tal “temática Subburbia”, então, é a música em si, uma baladinha, que ganha peso rocker pela participação da boa banda synth-instrumental Tigre Dente de Sabre, do interior paulista. As duas, Subburbia e Tigre, navegam no indie-terror, e a combinação em “LIL Girl” saiu balada rocker. Ótima por sinal.

1 - lilgiff2

O informe do vídeo é preciso: “Misturando tensão, agressividade e pureza, o Subburbia faz tudo que não pode ser feito. Marina Penny mostra seu lado Trash Princess na única balada da mixtape LUV EXORCISM, lançada em dezembro de 2017. Apesar de balada, a música é um pesadelo, aquela pra fazer os ravers chorarem de emoção”.

Sem mais.

>>