CENA – Wry, de Sorocaba, lança dois álbuns em um só, firma o português nas letras e é tocado em rádios americanas

1 - cenatopo19

* O veterano grupo paulista Wry, que já esteve “grupo inglês” quando foi se aventurar em Londres, e se desdobrou num dos bares mais legais da CENA brasileira e em festival indie idem, lançou recentemente dois discos em um. Os dois bons. Com um foco diferente. E isso tudo é muito legal.

Bem, vamos explicar tudo.

O Wry é de Sorocaba, terra do clube Asteroid e do festival Circadélica (quando tem). Banda que mergulhou no shoegaze antes de ser modinha (hahaha) no país, isso nos anos 90, passou um tempo atrás de suas referências/influências na capital inglesa, isso nos 2000. Voltou cheia de ideias, continuou fazendo o disco, hibernou no famoso hiato e passou a buscar na cena indie algo mais intevencional, administrativo, digamos. Isso nos anos 2010. Movimento esperto, um outro tipo de protagonismo.

Quando deu a coceira da volta ao estúdio e aos shows, a CENA era bem outra. Uma arriscada ali, uma experimentada acolá, e neste 2020 esquisito o Wry resolveu voltar ao disco com um álbum esquisito, “Noites Infinitas”, o sexto de sua carreira de bons álbuns. E este não é diferente.

1 - capa_album WRY

“Noites Infinitas” são dois álbuns em um, como já falamos. Um é o “velho Wry”, guitarras precisas, nunca escondidas (como 60% das bandas de guitarras no Brasil), e letras em inglês, porque sim e porque eles querem manter vivo o sonho do encaixe no mercado internacional. O disco saiu pelo selo norte-americano OAR, o mesmo do Boogarins, e a distribuição, do jeito que dá para distribuir discos hoje, é mundial.

O outro Wry que habita o disco “Noites Infinitas” traz a banda cantando em português, tentando também o encaixe na CENA nacional, com as mesmas guitarras nada escondidas. Mas é outra métrica, outra levada, quase uma outra banda. Talvez seja o consume de saber que é o Wry. E isso não é juízo de valor, porque algumas das músicas são realmente boas. Mas tem-se o inevitável choque de necessidades diversas de um mudo plural em que a cena internacional é dominante, mas a CENA brasileira anda gigante, plural, quase autosuficiente.

Os dois Wry de “Noites Infinitas” está simetricamente dividido: cinco faixas são em inglês, cinco em português.

Ainda na pegada Wry gringo, mas mais próximo dos EUA do que da sua amada Inglaterra, a banda de Sorocaba conseguiu uma colocação inédita nas rádios indies americanas. Louve-se aqui, também, o trabalho do selo OAR. O grupo de Mario Bross nunca teve tantos airplays gringos. Repare na lista de rádios que veicularam/estão veiculando faixas do sexto álbum do quarteto paulista.

Bagel Radio Forest Hills NY
CJAM Grosse Pointe MI
KFAI Minneapolis MN
KJHK Lawrence KS
KRNU Lincoln NE
Radio Fairfax Fairfax VA
Radio UTD Richardson TX
WCSF Joliet IL
WHRW Binghamton NY
WITR Rochester NY
WKDU Philadelphia PA
WLOY Baltimore MD
WLUR Lexington VA
WLUW Chicago IL
WMXM Lake Forest IL
WODU Norfolk VA
WPNR Utica NY
WRUR Rochester NY
WRUW Cleveland OH
WWUH West Hartford CT
WXAC Reading PA
WZBT Gettysburg PA

O disco está nas plataformas. Aqui, selecionamos duas faixas. Uma em inglês, outra em português. Balanceado como no álbum.

***

* A foto do Wry que ilustra a chamada da home da Popload é de Ana Érica.
>>