CENA – Young Lights, de BH, toca hoje em SP para mostrar o vigoroso show do vigoroso disco novo

>>

popload_cena_pq

* Já está entre nós o segundo álbum do Young Lights, uma das bandas-farol (sem querer brincar com o nome da banda, mas já brincando…) da nova e boa cena mineira, de propriedade do yankee-brasileiro Jairo Horsth, grupo articulado em um movimento local de arte e música entre amigos e que do produtor do disco aos colaboradores mexe bem com o ecossistema sonoro bonito de Belo Horizonte.

E, mais ainda, já está entre nós, paulistanos, o Young Lights, que mostra esse álbum novo ao vivo com sua vigorosa performance hoje, sexta, na Casa do Mancha, em SP, dentro da programação noturna da importantíssima feira SIM, em uma ocupação mineira do famoso lar indie da cidade.

Captura de Tela 2017-12-08 às 7.35.05 AM

“Young Lights”, o disco, ótimo, traz uma formação nova da banda, a partir de Jairo (o segundo na foto acima, a partir da esq.). Sai pelo selo Quente (que é produtora, agência e faz altos agitos em BH), tem produção de Leonardo Marques (que ajeita o som de 80% da cena mineira e participa ou participou de umas cinco bandas locais) e traz como convidado Matheus Fleming, ex-Câmera, na guitarra da faixa single “Understand, Man”, que abre o álbum. Em intercâmbio de cenas, Gustavo Bertoni, vocalista do brasiliense Scalene, empresta a garganta em “Fast Heart”, outra das grandes canções do trabalho novo do Young Lights.

O disco, como a banda e a cena é ligada em arte, foi lançado no Youtube no formato de álbum visual, construído com imagens analógicas enviadas por fãs e amigos, convocados a participar pelo Young Lights. É muita viagem acompanhar o andamento do disco vendo os vídeos aleatórios remetidos e editado como um grande videoclipe só de um álbum inteiro. Recomendo, principalmente porque a música é bem boa.

youngcapa

Jairo Horsth, vocalista e guitarrista do Young Lights, é mineiro, mas foi arrastado aos EUA pelo pai pastor logo cedo. Voltou a Belo Horizonte em 2010, após 16 anos fora e bastante impactado sonoramente por gospel e folk americanos. Montou o Young Lights e impõe aos vocais das músicas do grupo, todas em inglês, um excelente pois natural sotaque.

Abaixo, o álbum visual homônimo do Young Lights, o segundo e mais sólido da banda. Se puder, não os perca em ação hoje à noite no Mancha. O show tem alta carga de energia. Embutida aí, a carga natural de Jairo e de toda a cena mineira. Talvez, apenas talvez, seria um disco bom para ser feito pelo Coldplay, se a banda inglesa não decidisse virar xarope.

** Além de lançar o disco hoje em SP, na Casa do Mancha, pela SIM, o Young Lights mostra o álbum novo ao vivo em casa, em BH, no Galpão Cine Horto, na semana que vem, dia 15.

 >>