CENA – JP construiu seu disco de estreia em BH, praticamente sozinho. E mostra ele hoje ao vivo na Casa do Mancha

>>

cena7260816_jpcardoso2

Minas Gerais não tem praia, mas JP Cardoso conheceu seu melhor amigo pulando ondas. É o que ele conta logo na faixa de abertura de “Submarine Dreams”, digníssimo disco de estreia do rapaz mineiro, todo composto, gravado e bancado por ele mesmo com o dinheiro que arrecadou depois de passar uma temporada vendendo pedais de guitarra. É sério.

“Submarine Dreams”, como o próprio define, é um resgate a uma sonoridade psicodélica guiada por letras em inglês, com referências no indie rock dos anos 2000 e a surf music dos anos 60, destiladas em 10 canções com um clima nostálgico. O resultado é, para falar o mínimo, viajante e bonito.

O álbum está sendo lançado hoje pelo selo belga-mineiro La Femme Qui Roule. Haverá um show de lançamento também hoje, na Casa do Mancha, em São Paulo, junto com a banda Teach Me Tiger, que faz sua estreia em solo paulistano.

A Popload coloca abaixo, para audição, o bem bom “Submarine Dreams” na íntegra.

>>