Pink Floyd, George Michael, Oasis e David Lynch formam mistureba indie extravaganza que anuncia a volta do SSION. Aliás, lembra o SSION?

>>

231117_ssionoasis

Coletivo surgido na segunda metade dos anos 90 no Kansas, o SSION está de volta com novo single e disco anunciado para o início do ano que vem, quando se completarão sete anos desde “Bent”, o último que saiu em 2011.

Para quem não está ligando o nome à pessoa, o SSION é basicamente o projeto liderado pelo distinto Cody Critcheloe, que é compositor, cantor, músico, filmmaker, pintor e tudo mais. Ele foi o responsável, por exemplo, pela capa de “Fever To Tell”, do Yeah Yeah Yeahs. Já dirigiu e participou de single do nosso CSS (“City Grrrl”) e recentemente se envolveu em trabalhos da Charli XCX. Enfim.

231117_ssion2

O SSION é conhecido no circuito alternativo por ser uma banda que não tem gênero musical definido. Começaram como uma banda punk, já caíram na eletrônica, glam, synthpop e tudo mais. Tem gente que define como punk-gay-friendly. São conhecidos, também, por fazerem de suas músicas uma experiência multiplataforma que envolve vídeos cheios de performance, referências artísticas, etc.

Dito tudo isto, a notícia é que o SSION voltou com um vídeo desses elaborados com duração de 7 minutos, divulgado pela FADER. Na produção audiovisual estão os singles “Big as I Can Dream”, que dá início ao vídeo em preto e branco em ritmo deprê, emendada com a sugestiva “Comeback”, que descamba para um ótimo som de pista de dança.

Na parte das referências artísticas no vídeo, estão a logo da banda, imitando a clássica do Oasis, e imagens e recortes que relembram obras como “Faith”, de George Michael, e “Atom Heart Mother”, do Pink Floyd, e personagens do David Lynch. Uma mistureba indie viciante que pode ser conferida abaixo.

>>

  • Mão Branca

    COLETIVO, GENERO INDEFINIDO, PUNK GAY, NOVILINGUA, FILHOS DA PUTA, … LUCIO VÁ TE CATAR SEU OTÁRIO, ESCREVE COM LINGUAGEM DE GENTE…TINHA QUE TER SIDO REPÓRTER DA FOLHA