POPLOAD NOW – Cinco novos lançamentos que você não pode perder, estrelando The Cribs, Phoebe Bridgers, Wry, King of the Stone Age e King Gizzard

>>

* Nas sextas-feiras, dia oficial de lançamento de álbuns, singles e vídeos, geralmente sai uma batelada de novidades por todos os lados do planeta. E a Popload sempre bota a mão nessa cumbuca sem fim de coisas novas, para “curar” para você alguns dos mais relevantes “produtos” fresquinhos dessa fornada de lançamentos. E, já que somos a “cura”, por assim dizer, escolhemos cinco dessas novidades imperdíveis para você ter assunto num call com as amiguinhas e amiguinhos.

****

** DISCO NOVO DO CRIBS
Como a gente adoraaaaava a banda de irmãos The Cribs, inglesa. Não que eles tenham acabado, veja bem. Trio importante no novo rock nos anos 2000 com seu garage pop, os brothers Jarman já viveram até a loucura de ter em sua formação, por um período mas ainda assim de modo oficial, o guitarrista Johnny Marr, ex-Smiths.

O problema é que, dos seus sete álbuns lançados desde 2004, apenas os três primeiros eram, digamos, consistentes. Mas vamos dar essa chance para o Cribs porque eles merecem. E porque hoje saiu seu oitavo disco “Night Network”, gravado em Los Angeles e tals. Estamos ouvindo aqui, deglutindo aqui. Mas, só para dizer uma opinião de quem tem ouvido há mais tempo, certamente, a a “NME” aponta como o melhor disco do Cribs nos últimos dez anos. E deu todas as cinco estrelas possíveis como nota. Vamos ouvir?

****

** PHOEBE BRIDGERS RELÊ A SI MESMO
A cantora americana Phoebe Bridgers, que já deu pinta por aqui nesta semana, está lançando (ou seria relançando?) hoje o “Copycat Killer EP”, que nada mais é do que um EP com 4 músicas do seu segundo incrível e sensibilíssimo álbum de 2020, “Punisher”, que saiu em junho.
Coisas da pandemia. Lança o disco, não tem show para mostrar ao vivo, no máximo poucas lives e vídeos e programas de TV, refaz o disco, lança para movimentar a carreira.
Este EP conta com a colaboração do multiinstrumentista Rob Moose, que já trabalhou com artistas como Bon Iver, Alabama Shakes e Perfume Genius entre outros, além de fazer os arranjos de “Punisher”.
E, claro, seja de que forma for, é sempre bom ouvir a Phoebe Bridgers.

****

** VÍDEO NOVO TENSO DO WRY
Dá um nervosinho o vídeo novo lindão da banda sorocabana Wry, velha de guerra sempre com ideias novas. O grupo de Mario Bros, pedreiro do indie BR, lançou o disco mezzo português mezzo inglês faz pouco tempo e gastamos umas linhas falando dele por aqui, porque curtimos bem.

No embalo, agora lançam o vídeo para a bela “I Feel Invisible”, o assunto desta parte do post. Ele, o vídeo, envolve dança e uma arma que fica aparecendo aqui e ali, sempre dando a pinta que uma hora alguém vai usá-la.

Em ação, o dançarino convidado Lucas Fernandes interpreta o clima à beira de um ataque de nervos em performance junto a um móvel de uma sala, uma alegoria da arte em tempos de enclausuramento pandêmico e os efeitos psíquicos que isso pode trazer. A dança de Fernandes, com interações pontuais dramáticas da banda, é incrível e magnética. Quase não dá para tirar o olho. Um misto de da conta do Twitter “Funkeiros dançando ao som de rock” (eu gosto demais) com Christine & The Queens, levando em consideração que é uma sala de Sorocaba.

Grande conteúdo, como é mais moderno dizer. Sonoro e visual.

****

** GIOVANNA MORAES, UMA KING OF THE STONE AGE
A gente já falou aqui, a cantora e multiinstrumentista Giovanna Moraes, rising star dessa simbióse indie-MPB anglo-brasileira, tendência cada vez mais atual de uma cena global que já teve só bandas cantando em inglês em cima de som só de características gringas. Não sei se você me entendeu, mas imagina algo na linha “pense global aja local” aplicado à CENA.

Para combater sua inquietude criativa e um turbilhão interno represado por não poder fazer shows com suas músicas, Giovanna pegou algumas canções de seu segundo álbum, lançado em junho, e as regravou num esquema session ao vivo, com bandaça a suportando, aumentando o som, roqueirizando na caruda. E funcionou. Virou um EP “Rockin’ Gringa”, que foi lançado na sexta-passada.

A cereja do bolo rocker de Giovanna é a ideia de, como última faixa, botar uma cover de mina para a banda de machos alfas Queens of the Stone Age. A homenagem lindamente transgressora é para o hit “No One Knows”. Agora, graças a Giovanna Moraes, “everybody knows”. Toma esta, Josh!

****

** KING GIZZARD & THE LIZARD WIZARD
Se tem banda que curte lançar um álbum, essa com certeza é a australiano King Gizzard & The Lizzard Wizard. Geralmente eles soltam uns dois (mínimo) por ano, isso desde sua formação, em 2010. Tipo hoje, quando eles estão lançando dois NO MESMO DIA.

Por isso, para facilitar sua vida, hoje damos a letra dos lançamentos de “K.G.” e “Live in San Francisco ’16”, além do vídeo de “Intrasport”, single mais recente de “K.G.”, que já mostrou anteriormente músicas como a surreal “Automation”.

Sobre o ao vivo em São Francisco, o disco foi gravado num show realizado em 2016 no The Independent, casa de shows americana que desde o começo dos anos 2000 sedia desde bandas emergentes a headliners de peso como Sonic Youth e sei lá, Green Day.

O show você pode assistir por tempo limitado no link abaixo por apenas 5 doletas.

*****

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.

>>

>>