POPNOTAS – A espada na carne de Phoebe Bridgers, a morte de Phil Spectors e o Foo Fighters no show do presidente (o deles)

>>

* Sexta passada o Foo Fighters foi mostrar seu novo single, a balada sensível “Waiting on a War”, no programa do Jimmy Kimmel, na TV americana. A gente deu aqui. No fim de semana surgiu uma outra do mesmo programa, dessa vez pesando mais a mão. A banda de Dave Grohl tocou a “crunch” “No Son of Mine”, outro single já conhecido do álbum “Medicine at Midnight”, que sai logo mais em fevereiro. A taxa de energia liberada por esta música, a “No Son of Mine” é boa. Ao vivo então.

* Falando em Foo Fighters, o grupo vai ser uma das atrações do SHOW DO BIDEN, quarta agora, o festival virtual transmitido desde Washington DC, que representará o lado musical da inauguração de Joe Biden na cadeira de presidente dos EUA. Xô, Trump. O “line-up” vai ter também, pelo que consta (a escalação ainda não é oficial), a Lady Gaga cantando o hino americano mais shows de Bruce Springsteen, Fall Out Boy e John Legend, entre outros.

* Outro personagem da música a ser batido pela Covid-19, em notícia que chegou neste domingo, foi o famoso produtor e músico e compositor americano Phil Spectors, aos 81 anos. Spectors morreu num hospital fora da prisão da Califórnia onde vinha cumprindo uma pena de assassinato da atriz Lana Clarkson nos últimos 11 anos. O ex-produtor, responsável pela revolucionária técnica à época do “wall of sound”, foi intubado no dia 31 de dezembro. Ele tinha mais oito a cumprir de sua sentença de 19 anos. Seu trabalho na música, dos anos 50 aos 70, foi gigantesco. Envolveu uma penca de músicas número 1 nas paradas americanas, tipo “Be My Baby” com as Ronettes e ““You’ve Lost That Lovin’ Feeling“, com os Righteous Brothers, além de produzir discos mil com Beatles, Ramones, Leonard Cohen, Céline Dion, Ike and Tina Turner.

* A espertíssima cantora californiana Phoebe Bridgers, uma das melhores coisas da música que a gente gosta no complicado ano de 2020, mostrou no fim de semana uma tatuagem nova. De uma espada rasgando um bilhete. O desenho saiu de uma espada real dada a ela por um fã tempos atrás, depois que ela revelou que o cancelado músico e produtor Ryan Adams uma vez que excursionavam juntos deu uma espada para cada uma das mulheres envolvidas na tour, menos para ela. Phoebe Bridgers e Mandy Moore, ex-mulher de Adams, junto com outras mulheres, acusaram o músico em 2019 de abusos e má conduta sexual e manipulação psicológica. “Phoebe, Espero que você goste dessa espada de verdade. Você não precisa dela, mas você a merece. Obrigado por dividir suas canções tristes com a gente”, disse o fã, cujo arroba é @_dr_woo_, ao entregar a espada à cantora. “Obrigada, Doctor Woo …e este é meu pulso”, falou Phoebe agora, no post, mostrando a tatuagem feita.

>>