Popnotas – Sonic Youth liberando raridades. O Tiny Desk do Fleet Foxes. Lucy Dacus e o trauma de seu single novo. E a Bernardo, de Londres

>>

– A seminal banda americana Sonic Youth, ainda que sem existir mais snif., anda generosa no compartilhamento de raridades de seus arquivos. Vale ficar atento ao Bandcamp deles, vai saber. Ainda que a novidade mais recente venha do YouTube. Eles soltaram por lá a íntegra da apresentação beneficente de 12 de abril de 2003 no The Anthology Film Archives, onde o quarteto criou uma colaboração instrumental improvisada com filmes mudos de Stan Brakhage. Essa performance ainda contou com o baterista Tim Barnes (Essex Green, Jukeboxer, Silver Judeus). Ela já tinha sido lançada no disquinho “SYR 6 Koncertas Stan Brakhage Prisiminimui”, que como todo bom fã de Sonic Youth pode desconfiar é o sexto capítulo de linha de álbuns SYR, onde a banda soltava suas raridades. Mas esta versão aí do Youtube é coisa inédita.

***

– Nosso querido Robin Pecknold, o dono do Fleet Foxes, pegou seu violão e uma mesinha para o Tiny Desk (Home) Concert, a versão home-office do Tiny Desk, e mandou nada mais nada menos que quatro canções de seu álbum mais recente, “Shore”, lançado em 2020: “Going-to-the-Sun-Road”, “Sunblind”, “Featherweight” e “I’m Not My Season”. É uma barato ver ele se virar no português para dar conta da parte que teve a voz do Tim Bernardes na gravação original, na primeira delas.

***

– Tem música nova da Lucy Dacus na área – quem ainda não conhece a Lucy precisa saber que ela faz parte do boygenius (olha as minúsculas geracionais), seu trio com as atualmente bombadas Julien Baker e Phoebe Bridgers. A gente acredita que ela tem tudo para repetir o barulho das amigas com seu próximos álbum solo. Enquanto esse disco não vem, ela soltou uma música que já rolava nos shows desde 2018, “Thumbs”. Muito querida dos fãs, teve até uma conta de Twitter que perguntava: A Lucy já lançou “Thumbs”? A guitarrista conta que sentia um certo nervosismo com essa canção e esperou isso se resolver antes de gravar, tanto que ela sempre pedia de que ninguém registrasse a versão ao vivo.

***

– A mistura é grande e quase dá um post CENA, mas vamos lá. A gravadora paulistana Seloki Records lançou “Almost a Mother”, novo single da Bernardo. Bernardo, no caso, é Sonia Bernardo, algo como uma portuguesa que nasceu em Londres e foi e voltou de suas duas pátrias até se achar como música e se fixar na capital inglesa para tentar viver disso. Bernardo, vocalista, guitarrista e produtora, tem alguns singles lançados e deve vir muito em breve com um EP de quatro músicas chamado “Wasn’t There, Someone Told Me”, também via Seloki. Dentro da enorme cena londrina de soul alternativo com pegadas jazzísticas, Bernardo fez essa “Almost a Mother” para armar um bullying musical em garotos estúpidos sendo estúpidos com uma menina, pelo que eu entendi da letra. A música em si é ótima e tem na produção o Dave Maclean, do Django Django. Olho em Bernardo. Ela é bem articulada na cena inglesa

>>